Envie esta página a um amigo!

sábado, 30 de julho de 2016

0

Canal FLAMES: Bookhaul de Junho e Julho



Nos últimos dois meses chegaram cá a casa 16 livros. Mas se a quantidade é boa, o que dizer da qualidade?! Recebi novidades fantásticas e livros que queria há muito, mesmo muito tempo!
 
Vejam tudo no nosso novo vídeo do Canal FLAMES:

quinta-feira, 28 de julho de 2016

0

Livro: Correspondência


Género: Erótico, Romance 
Ano: 2015 
Autora: Linete Landim 


* Por Mariana Oliveira *

Já todos perceberam que nos últimos anos a literatura erótica tem dominado o mercado editorial português. Contudo, confesso que ainda não me rendi a este género literário e por isso mesmo foi com alguma desconfiança que encarei a leitura deste livro assim que, ao fim de algumas páginas, percebi que se inseria nesta categoria. 

Sinopse: 
Gustavo Soares de Mello era um homem infeliz. Herdara do pai, muito mais do que o título de duque de Mascarenhas. Herdara também o seu terrível feitio. Era arrogante, impiedoso, ríspido e controlador. Depois de ver o pavor e o sofrimento nos olhos da mãe devido às crueldades praticadas pelo progenitor, Gustavo jurou nunca se casar. Jamais submeteria uma mulher aos seus ataques. Mas a vida subjugou-o, obrigando-o a abdicar do juramento. Madalena Rodrigues, uma jovem de temperamento forte, confiante, aceita lorde Mascarenhas como seu esposo. Só não aceita a visão excêntrica, e a seu ver, demente que o noivo tem sobre a vida em comum. Mesmo sabendo que enfrentará um demónio, Madalena não desiste de Gustavo, empenhando-se em suavizar o duro e gélido coração masculino. 


Opinião: 
Finda a leitura deste livro, continuo a achar que a literatura erótica está longe de figurar na minha lista de géneros preferidos. No entanto, tal facto não significa que não tenha gostado desta leitura. Pareço confusa? Pois bem, eu passo a explicar. Em “Correspondência” a grande figura é Madalena, uma jovem de origens distintas que pela sua tenacidade ousadia me conquistou logo desde o início. Gostei da forma corajosa como ela enfrentou as adversidades ao longo desta história e com isso acabou por mudar as vidas de muitas das pessoas que com ela tiveram a sorte de se cruzar. Numa época em que a voz das mulheres muitas vezes não era ouvida, Madalena ousou ser diferente e acabou por conquistar a sua própria felicidade. Já Gustavo apresenta-se, numa fase inicial, como uma personagem tudo menos agradável. Não foi difícil antipatizar com ele logo nas primeiras páginas mas também foi ele quem me trouxe as maiores surpresas. Foi muito interessante acompanhar a evolução que ele sofre ao longo do livro. É sempre interessante quando os leitores podem testemunhar as mudanças que ocorrem em determinada personagem e quais os factores que as impulsionaram. Assim, acabei por considerar este um dos casais mais interessantes que tive o privilégio de conhecer nos últimos tempos. Pelas suas diferenças e pela forma surpreendente como acabam por se complementar, foi um prazer acompanhar as suas peripécias. No que diz respeito ao retrato que a autora fez da época em questão, não tenho defeitos a apontar: reconheci os costumes e modo de vida de outras histórias que conhecia dessa altura e foi com muito gozo que voltei a mergulhar numa fase da nossa história que tanto me fascina. Mas, e porque infelizmente neste caso há um “mas”, houve algo que não me agradou e creio que o início desta opinião deixou bem claro do que estou a falar. Refiro-me, claro está, às passagens eróticas. Uma vez que não aprecio este tipo de literatura, foi sem surpresas que os momentos eróticos não foram os meus preferidos. Contudo, existindo tantos leitores que gostam deste tipo de livros, considero que “Correspondência” conseguiu atingir um agradável equilíbrio entre o género romântico e o erótico.

terça-feira, 26 de julho de 2016

3

239º Passatempo do FLAMES (em parceria com a Porto Editora)


Há meses que andávamos de olho nesta obra, por isso podem imaginar a nossa alegria quando a Porto Editora gentilmente decidiu fazer um passatempo com o FLAMES no qual oferece um exemplar de um dos livros do momento: "Viver Depois de Ti" de Jojo Moyes.


Em parceria com:



Sinopse:
"Louisa Clark é uma jovem com uma vida banal - um namorado estável, trabalhador e uma família unida - que nunca saiu da aldeia onde sempre viveu. Quando fica desempregada, vê-se obrigada a aceitar um emprego em casa de Will Traynor, que vive preso a uma cadeira de rodas, depois de um acidente. Ele sempre tinha vivido de um modo trepidante - grandes negócios, desportos radicais, viajante incansável - agora tudo isso ficou para trás.
Will é mordaz, temperamental e autoritário, mas Lou recusa tratá-lo com complacência e em breve a felicidade e o bem-estar dele tornam-se muito mais importantes do que ela esperaria. No entanto, quando Lou descobre que Will tem planos inconfessáveis para a sua vida, ela luta para lhe mostrar que ainda assim vale a pena viver.
Em Viver depois de ti, Jojo Moyes aborda um tema difícil e controverso, com sensibilidade, obrigando-nos a refletir sobre o direito à liberdade de escolha e as suas consequências." 


Passatempo Terminado
Vencedora: Gizela Mota

segunda-feira, 25 de julho de 2016

2

Livro: Maria



Sinopse
Rodrigo Alvarez conquistou os leitores com Aparecida, a história da padroeira do Brasil, que já vendeu mais de 150 mil exemplares. O autor está de volta com seu novo livro Maria – A biografia da mulher que gerou o homem mais importante da história, viveu um inferno, dividiu os cristãos, conquistou meio mundo e é chamada de Mãe de Deus.


Opinião 
(por Roberta Frontini)

Quer vocês sejam católicos, não católicos, ateus, agnósticos, religiosos ou não, há uma coisa inegável: Maria é uma das mulheres mais influentes da história da humanidade. Talvez alguns de vós questionem esta minha afirmação, mas basta pensarmos numa coisa muito simples e que foi expressa na própria capa deste livro: Maria dividiu o "tempo". Como? Existe um "antes" e um "depois" por causa de Maria. Por causa de ter feito nascer aquele que é considerado o filho de Deus, nas escolas e no mundo inteiro referimo-nos aos anos usando a expressão "antes" e/ou "depois" de Cristo. E este é apenas um aspecto da influência de Maria. Existem muitos outros. Bastará pensar também, por exemplo, que Maria é um dos nomes mais utilizados no mundo. Olhem à vossa volta e pensem quantas pessoas vocês conhecem que se chamam Maria, e quantas vezes achamos que sabemos o nome de uma pessoa e, mais tarde, descobrimos que ela também tem o nome Maria incorporado. É absolutamente inegável o poder que esta mulher teve, sem que talvez ela alguma vez tenha tido consciência disso.

Este livro interessou-me logo a partir do primeiro momento que saiu, exactamente porque nunca tinha pensado na importância de se fazer uma biografia de Maria. Não sou, infelizmente, uma grande conhecedora da Bíblia, mas daquilo que sei sempre me questionei sobre o facto de haver "pouca" informação sobre a mãe de Jesus lá contida. Especialmente relativamente aos anos antes da concepção de Jesus e depois da sua morte. É por isso mesmo que um livro deste é tão importante.

Aprendi imenso com esta obra e relembrei coisas que já não me lembrava, especialmente sobre o Império Romano e sobra as distinções entre as várias religiões. Como é que Roma que tantos cristãos perseguiu e tanta gente matou acaba por se tornar numa das cidades mais importantes para o cristianismo? Porque é que pessoas como Lutero acabaram por se destacar da igreja católica e "criar" outras religiões, e que papel teve Maria nisto tudo e de que forma continuou a ser vista? Tudo respostas que facilmente lhe serão respondidas com este livro.

A minha parte favorita foi a última, onde o autor se refere aos acontecimentos que mais "recentemente" envolveram Maria, colocando-a como uma mulher que apesar de ter vivido há tantos anos atrás, continua a influenciar o mundo. E é precisamente nesta parte que o autor não se esquece de falar sobre Portugal e sobre a aparição de Maria em Fátima.

Um excelente trabalho de pesquisa por parte do autor que não se focou apenas na Bíblia e que procurou deixar uma recolha de factos bem relatados, trazendo ao mundo um livro de importância histórica inquestionável!

sábado, 23 de julho de 2016

0

Entretenimento: Novo vídeo de Nelson Freitas



Depois de anunciar o concerto de 22 de Outubro em Lisboa, Nelson Freitas acaba de estrear o vídeo de “In My Feelings”, a canção que conta com a colaboração de Mikkel Solnado.

Este é mais um êxito a retirar do disco “Four”, sucedendo a “Break of Dawn”, com Richie Campbell (que já tem mais de 12 milhões de visualizações no YouTube) e a “Miúda Linda” (com mais de 24 milhões). Com um vídeo gravado na Ilha do Pessegueiro, “In My Feelings” traz o som ideal para esta temporada.

Nelson Freitas é um dos artistas mais populares da actualidade e traz uma sonoridade de assinatura, que vai buscar influências à pop, ao zouk, RnB, kizomba e soul. Este Verão passa pelos maiores palcos, como o Sumol Summer Fest ou o Sol da Caparica, para depois encerrar essa digressão no Campo Pequeno, em Lisboa, numa celebração especial cujos bilhetes já estão à venda.

Download/stream ‘Four’ https://universalmusicportugal.lnk.to...

'Four' on iTunes
Portugal: https://itunes.apple.com/pt/album/fou...
Worldwide: https://itunes.apple.com/us/album/fou...

Video Directors: DJ Marcell & NFM
Director Of Photography: Hugo Azevedo
Production: NFM
Assistant Production: Nuno Felix
Art Directors: NFM & Noble by Giselle
Assistant Editors: NFM & Kayo Sound
Styling: Noble by Giselle
Make Up: Lala Masc
Hair Stylist: Catia Bolota
Executive Producer: NFM

https://www.nelsonfreitasonline.com
https://www.facebook.com/nelsonfreita...
https://www.twitter.com/nelsondefreitas
https://www.instagram.com/nelsonfreitas
https://www.soundcloud.com/nelsonfrei...

______

My playlists
Live@Coliseu: https://www.youtube.com/playlist?list...
Official Videos: https://www.youtube.com/playlist?list...
Elevate (Album): https://www.youtube.com/playlist?list...
TV Commercials: https://www.youtube.com/playlist?list...
TV Performances: https://www.youtube.com/playlist?list...
Making Of (Videos): https://www.youtube.com/playlist?list...
NFM (Record Label): https://www.youtube.com/playlist?list...
Inspired by Nelson Freitas: https://www.youtube.com/playlist?list...

Sign up for the Nelson Freitas newsletter https://link.umusicconnect.net/umgi/w...

(C) 2016 Nelson Freitas exclusively licensed to Universal Music Portugal, S.A.

http://vevo.ly/Jxil6g

quinta-feira, 21 de julho de 2016

1

Livro: Um Copo de Cólera


Ano de Edição: 2016
Género: Drama, Erótico
Autor: Raduan Nassar
Editora: Companhia das Letras – Penguin Random House



* Por Mariana Oliveira *


Um livro vencedor do Prémio Camões inevitavelmente chama a atenção dos leitores que não perdem a oportunidade de mergulhar nas páginas de uma obra de excelência. Por isso mesmo, foi com grande entusiasmo que decidi ler “Um Copo de Cólera”, uma obra vencedora do Prémio Camões 2016 mas que desde 1978 tem encantado leitores no Brasil e um pouco por todo o mundo.


Sinopse
"Esta é uma história narrada por um homem que, numa manhã como todas as outras, depois de uma intensa noite de amor, vê a harmonia interrompida entre ele e a sua parceira. Começa, assim, uma discussão acesa entre os dois que os leva a percorrer temas controversos e ameaça alterar a sua relação para sempre."


Opinião
Considero-me uma leitora com alguma experiência, tendo já lido diversos géneros literários e obras de níveis de dificuldade distintos. Contudo, confesso que “Um Copo de Cólera” me fez sentir pequenina e me fez perceber que ainda há obras capazes de me deixar perplexa com a sua complexidade.

O início do livro foi simples e directo para mim e tudo dava a entender que se tratava apenas de um romance erótico. No entanto, à medida que prosseguimos na leitura e a grande discussão começa, cedo se percebe que a escrita de Raduan Nassan é tudo menos simples. A começar pelo facto de cerca de mais de metade do livro estar escrita numa única frase! Apesar de à partida poder parecer confuso, eu já tinha tido esta experiência com um conto do incrível Gabriel Garcia Marquez que foi todo escrito numa única frase. Por isso mesmo, esta particularidade não me abalou. 
Contudo, à medida que a leitura progrediu e as palavras difíceis apareceram (muitas delas levaram-me a visitar o meu fiel amigo dicionário) comecei a ficar assustada. Então quando as próprias ideias apresentadas se tornaram mais complexas é que percebi que todos estes anos de leitura não tinham sido suficientes para me preparar para este livro.
É possível que o facto de eu não conhecer o autor nem o contexto político-social em que a obra foi escrita (note-se: Brasil no ano de 1970) tenha contribuído para que eu não conseguisse perceber algumas das questões abordadas nesta história. No entanto, houve algo que compreendi logo desde o início e que me sinto na obrigação de ressalvar: a escrita do autor é de uma beleza ímpar, e tanto a parte inicial como a final me deixaram deliciada com a sua prosa.
Esta é uma obra que aconselho aos aventureiros que se queiram desafiar com um livro complexo mas belo e assim ficar a conhecer uma obra premiadíssima. Contudo, aqui fica um conselho: façam previamente uma breve pesquisa sobre a obra e o contexto em que foi escrita para poderem percebê-la melhor e usufruir mais desta leitura. 

quarta-feira, 20 de julho de 2016

0

Evento / Entretenimento: Nelson Freitas encerra digressão no Campo Pequeno, a 22 de outubro






Nelson Freitas encerra digressão no Campo Pequeno, a 22 de outubro

A digressão de verão “Ride or Die”, de promoção ao álbum “Four”, chegará ao fim em Lisboa.

Nelson Freitas é não só dos artistas mais populares da actualidade, mas também influentes, tendo vindo a conquistar milhares de pessoas de norte a sul do país, e além-fronteiras, com a sua mescla de sonoridades que vão do zouk ao r&b, passando pela kizomba, hip hop e soul. O cantor encontra-se a promover o seu mais recente álbum, “Four”, e a 22 de outubro vai dar no Campo Pequeno, em Lisboa, um espectáculo especial de encerramento desta digressão de verão, intitulada “Ride or Die”.

Os bilhetes já estão à venda nos locais habituais e na Ticketline e o preço vai dos 20 aos 28 euros.

Neste concerto não vão faltar os vários êxitos de “Four”, como “Miúda Linda” e “Break of Dawn”, não esquecendo, obviamente, os temas dos álbuns anteriores. O espectáculo contará ainda vários convidados, que serão desvendados ao longo das próximas semanas.

O álbum “Four” é um dos grandes sucessos do percurso de Nelson Freitas tendo entrado directamente para o topo da tabela de vendas nacional e atingido o primeiro lugar no iTunes de Portugal. No disco contou com colaborações de Mayra Andrade, Mikkel Solnado Loony Johnson e Richie Campbell.

Dia 22 de outubro no Campo Pequeno é a data ideal para finalizar este ciclo tão rico na carreira de Nelson Freitas, numa festa única e especial de celebração de uma das grandes vozes da actualidade.

Relembrem a entrevista que o Nelson deu ao FLAMES há uns meses atrás!

segunda-feira, 18 de julho de 2016

0

Unboxing My Own Portugal: Box nº 16



Vídeo


Uma Box nos montes alentejanos

Este verão rumamos ao Alentejo onde entre os sons dos Chocalhos e do Cante propomos-vos provar novas combinações originais para os sabores alentejanos mais tradicionais. Venha descobrir na primeira Box da My Own Portugal totalmente dedicada ao Alentejo e aos seus frescos. Desfrute!



Compotas e Chutneys

“A viagem de sabores d´aqui e d´amém mar” A Compotas and Chutneys é portuguesa, de produção artesanal e 100% natural. Apresenta duas linhas de produtos, transformados a partir de matéria prima portuguesa. As especiarias, os legumes constituem a simbiose que o transporta para a viagem de sabores d´aqui – do Alentejo- e d´além mar, para o mundo.






A Boa Boca® nasceu em Évora, em 2004, inspirada pelos deliciosos produtos tradicionais portugueses e pela qualidade do design nacional. Para concretizarem esta visão, de promover o melhor do que se faz em Portugal, estabeleceram parcerias com pequenos produtores que guardam o segredo de produzir com arte produtos como biscoitos, chocolates, tisanas, compotas, vinhos ou licores. A estes produtos tradicionais de alta qualidade só faltou acrescentar uma forte componente de design como aspecto diferenciador do próprio produto. Assim surgiu o conceito “Food+Design”, amplamente divulgado pela Boa Boca®, e que aposta essencialmente em sabores artesanais portugueses, recriados através de combinações gastronómicas surpreendentes e disponibilizados num packaging elegante e contemporâneo. De resto, esta é a assinatura dos produtos criados pela Boa Boca®.

Visitem aqui - https://boaboca.pt/



Mestre Cacau - Em 2005, houve a ousadia de criar a fusão entre o Alentejo e chocolate, estava lançada a chocolateria Mestre Cacau. Com o melhor chocolate belga e com os produtos mais emblemáticos do Alentejo, a Mestre Cacau vem juntar o melhor de dois mundos e surpreender dos seus clientes com novos sabores e novas sensações.




Alta Selecção

A Alta Selcção – Produtos Tradicionais está vocacionada para a produção e comercialização de produtos gourmets e conjuntos com produtos tradicionais. Todos os produtos são elaborados com ingredientes naturais, cuidadosamente selecionados e de grande qualidade. As nossas receitas são genuínas, com tradição, proporcionando produtos com aromas e sabores únicos.

Chocalhos Pardalinho

Arte de fazer chocalhos resulta do encontro milenar entre as antigas « artes do fogo » (a dos caldeireiros e a dos ferreiros) com a arte musical. Cada chocalho é o produto de um trabalho manual de moldar uma chapa de ferro, do seu caldeamento em cobre através da passagem pelo forno e da sua afinação.
Encontram-se no Alentejo exemplares de chocalhos com quase 2000 anos fabricados pelos Romanos, e em quase tudo semelhantes àqueles que há séculos se fabricam na vila de Alcáçovas, o mais importante centro Português a fabricar este tipo de artesanato.
Ter um Chocalho Pardalinho é possuir um fragmento de História, de uma Identidade e de uma Tradição.



Compadres

Os Compadres são o resultado da experiência acumulada pela Spira – revitalização patrimonial ao longo de 16 anos na concepção, montagem e operacionalização de rotas de turismo cultural: a Spira gere a primeira rota de turismo cultural de Portugal, a Rota do Fresco, criada em 1998, às quais juntou outras três, dedicadas ao património natural (Rota do Montado), ao património imaterial (Rota Pica-chouriços) e ao património industrial (Rota Tons de Mármore). Os Compadres são a marca umbrella que agrega as actuais 4 rotas geridas pela Spira e dirigidas eminentemente a grupos organizados. Mas os Compadres são também uma plataforma que permite a todo e qualquer individual a marcação de visitas personalizadas ao património alentejano com a simplicidade e usabilidade de uma plataforma web optimizada para mobile. O Património do Alentejo está agora acessível a todos através dos Compadres: um território oferecido nas suas mais demarcadas vertentes – cultura, natureza, indústria, gastronomia e incluindo ainda uma vertente de programação anual com as melhores Festas, Romarias e experiências do Alentejo. Deixe-se levar pela cultura do Alentejo!

Visitem aqui - http://www.compadres.pt/





quinta-feira, 14 de julho de 2016

2

Série: Humans



 Ano: 2015
Género: Ficção Científica, Drama
Realizador: Sam Donovan



* Por Mariana Oliveira *


A primeira vez que me deparei com uma história que levava a questão da inteligência artificial - todas as suas implicações éticas e morais - mais além foi há muitos anos atrás com o famoso filme "Inteligência Artificial".
Já nessa altura dei por mim a questionar-me sobre as possíveis consequências da incessante busca do Homem pela inveção de uma verdadeira inteligência artificial. Mal imaginava eu que todas essas dúvidas e dilemas voltariam com a série britânica "Humans".


Sinopse
"A inteligência artificial existe e num futuro não muito longínquo, será difícil distinguir os seres humanos das máquinas.
Esta é a premissa de "Humans" que combina ficção científica com thriller de acção e explora o impacto emocional que se produz quando a linha que separa os seres humanos dos robôs se torna cada vez mais ténue. A história tem lugar em Londres, num presente paralelo onde o novo e revolucionário aparelho electrónico, imprescindível para qualquer família, tem o nome de Synth (sistema de inteligência artificial altamente desenvolvido e de aparência semelhante aos humanos). A família Hawkins adquire um para os ajudar nas tarefas domésticas e acaba por descobrir que partilhar a vida com uma máquina pode ter consequências perturbadoras..."




Opinião
"Esta foi uma série que me perturbou mas num bom sentido, entenda-se! Gosto de histórias que me desafiam e me fazem ver a nossa sociedade de um ponto de vista diferente e "Humans" conseguiu precisamente isso.
É muito fácil, à primeira vista, distinguirmos os humanos dos robôs. Contudo, tudo se complica quando essas máquinas, para além de terem o mesmo aspecto que nós, também partilham da mesma capacidade de sentir.
Por tudo isto, esta série despertou em mim diversos dilemas. Afinal, se o Homem um dia for capaz de criar uma inteligência artificial, como a que é retratada nestes episódios, será depois capaz de definir convenientemente o seu lugar na sociedade? Junte-se a isto o facto de os robôs para além de terem o mesmo aspecto que nós e os mesmos sentimentos, serem mais inteligentes e fisicamente resistentes? Numa palavra: máquinas perfeitas? Será que algum dia conseguiríamos aceitar uma criação que ultrapassasse o seu criador? E será que os próprios robôs quereriam viver em comunhão connosco?!

Foram precisamente estas as principais questões que esta serie levantou. Foi por isso mesmo que achei esta uma história ímpar e a aconselho a todos aqueles que, tal como eu, gostam de uma boa trama que os faça pensar mais além.
Para complementar tudo isto, tenho de destacar o desempenho fenomenal dos actores a quem foram atribuídos os papéis de robôs. A sua performance foi tão brilhante que por momentos quase acreditava que se tratavam se verdadeiras máquinas!
Fica aqui uma recomendação para quem estiver à procura de uma série interessante e diferente das demais."

quarta-feira, 13 de julho de 2016

3

238º Passatempo do FLAMES (em parceria com a Planeta)


É com imenso prazer que levamos a cabo mais um passatempo em parceria com a Planeta. Desta vez, temos para vos oferecer um exemplar de um dos livros do momento: "A Rapariga do Calendário" de Audrey Carlan.



Sinopse:
"Mia Saunders precisa de dinheiro. De muito dinheiro. Tem um ano para pagar ao agiota que ameaça a vida do pai e exige o reembolso de uma enorme dívida de jogo. Um milhão de dólares para ser exacto. A sua missão é simples: trabalhar como acompanhante de luxo para a empresa da tia, com sede em Los Angeles, e pagar mensalmente uma parte da dívida. Passar um mês com um homem rico, com o qual não é obrigada a ir para a cama senão quiser. Dinheiro fácil. O Infeliz no amor e com um espírito que não verga, a curvilínea morena amante de motas tem um plano: entrar no jogo, conseguir o dinheiro e voltar a sair. Parte do plano é manter o coração fechado a sete chaves e os olhos no objectivo. Pelo menos é como espera que corra."


Podes participar uma vez por dia. Boa sorte!!


Passatempo Terminado
Vencedora: Joana Margarida Reis

terça-feira, 12 de julho de 2016

0

Entretenimento: Diogo Piçarra - Dialeto



Follow Diogo Piçarra
https://instagram.com/diogopicarra
https://twitter.com/diogopicarra
https://youtube.com/diogopicarra
https://facebook.com/diogopicarra

Subscribe Diogo Piçarra Official Newsletter here: http://po.st/newsletterdiogopicarra

Música e Letra: Diogo Piçarra
Produção: Diogo Piçarra e Karetus
Mistura e Masterização: Karetus

Autoria e concepção: Diogo Piçarra, Ricardo Reis, Lilia Costa
Realização e cinematografia: Ricardo Reis
Gaffer: Marco Lopes
Direcção de arte: Lilia Costa
Coreografia: Maurícia Barreira Neves
Bailarinos: Miguel Santos, Linora Cloter
Atriz: Ana Rangel
Imagem: André Piçarra, Diogo Pires, Ricardo Reis
Assistente de Imagem: Marco Lopes
Drone: Samuel Rodrigues
Edição: Ricardo Reis, Lilia Costa, Michel Alves
Efeitos especiais e matte painting: Eduardo Teixeira, André Reis
Make Up Artist: Melanie Jordão
Hairstyle bailarinos: Patricia Santos Silva
Making of: Gaspar Hotel, Marco Lopes
Assistente de Produção: Tatiana Bogomazova
Produção: Ricardo Reis, Lilia Costa
Agradecimentos : Carlos Silva, Joana Gonçalves / InsanePieces

Music video by Diogo Piçarra performing Dialeto. (C) 2016 Universal Music Portugal, S.A

segunda-feira, 11 de julho de 2016

0

Livro: Piu Caganita (versão de texto aumentado, pictogramas, braille impresso e imagens em relevo)



Sinopse

"Piu Caganita" é um livro infantil que foi elaborado com cuidados de inclusão, sendo um único livro impresso composto por versão de texto aumentado, pictogramas, braille impresso e imagens em relevo, tudo isto num único livro, tendo ainda disponível on-line a versão adaptada para Língua Gestual Portuguesa e Audiolivro.


Opinião e mais informações
(por Roberta Frontini)

Tenho IMENSOS livros cá em casa ilustrados pela Tânia. Aliás, sempre que recebo um livro da Alfarroba já consigo perceber quando as ilustrações foram feitas pela Tânia. Também já tinha ouvido falar sobre este livro, mas experiência-lo é totalmente diferente! 
E só agora, passados tantos anos a falar sobre os livros dela, é que me apercebo que ambas somos de Leiria! 

Tenho dificuldades em falar sobre este livro. Não sei se o terei de chamar obra-prima! Uma coisa eu sei, é neste momento o único livro impresso composto por:
- versão de texto aumentado
- pictogramas
- braille impresso e 
- imagens em relevo (e provavelmente vocês nem sonham como estas foram feitas!! É de louvar o trabalho da autora que, para além de talentosa, descobri ser de uma simpatia incrível!)

O seu entusiasmo é tão contagiante, e a sua vontade de fazer mais e melhor pelos outros é tão bonita, que me fez pensar que o Mundo necessita de muitas mais pessoas como ela! 

E agora que alguém ousou dar o primeiro passo... quem dá o seguinte? ;)

Todo o livro é pensado ao mais ínfimo pormenor.. este lacinho, por exemplo, cheira a lavanda e pode ajudar a estimular ainda mais os sentidos... e a tornar esta experiência de leitura única.



Também as ilustrações são em relevo.

VIDEOLIVRO
Versão adaptada para Língua Gestual Portuguesa



O Livro está à venda por 12,50€!
Para o adquirir, pode enviar e-mail para brizaeditora@gmail.com, ou através do facebook https://www.facebook.com/Piu.Caganita/

No site - https://bailaolopes.wordpress.com/projectos/piu-caganita/ encontram ainda ilustrações para colorir referentes ao livro.

Quer saber mais sobre a Briza Editora? Clique aqui - https://brizaeditora.com/

domingo, 10 de julho de 2016

0

Canal FLAMES: BookHaul Junho 2016




Para lá de Bagdad - https://www.wook.pt/livro/para-la-de-bagdad-alberto-s-santos/17606085?a_aid=4e732e2186928

O erro - https://www.wook.pt/livro/o-erro-elle-kennedy/17994610?a_aid=4e732e2186928

Canal da Eduarda - https://www.youtube.com/channel/UCOkc0ndWVsnWj49rG10dxTw

Vídeo da Eduarda sobre o Franny & Zooey - https://www.youtube.com/watch?v=C49jdsRahyo

Winkingbooks - http://www.winkingbooks.com/wb/!go?entrypoint=005-UserInviteLink&id=518665020401

Passatempo 237º Passatempo do FLAMES (em parceria com a Alfarroba) - http://flamesmr.blogspot.pt/2016/06/237-passatempo-do-flames-em-parceria.html

0

Deixava de dormir por... : novidades literárias de Junho de 2016


Com a chegada do Verão chega também a vontade de ir para a praia, piscina, campo ou montanha... sempre na companhia de uma boa leitura. Pois bem, escolhas literárias é que não vão faltar pois o passado mês de Junho foi recheado de novidades super interessantes!



"John Logan, universitário, pode ter as mulheres que quiser. Para esta estrela de hóquei a vida é um desfile de festas e engates. No entanto, por trás do seu sorriso matador e charme descontraído esconde-se um desespero crescente sobre o que terá de enfrentar após terminar o curso. Um encontro escaldante com a caloira Grace Ivers é, de facto, a distracção de que ele precisa. Mas, quando um erro impensado a afasta, Logan resolve gastar o seu último ano a provar-lhe que vale a pena uma segunda oportunidade- Agora terá de apostar mais alto... Depois de um ano como caloira, Grace está de volta à Universidade de Briar, mais velha, mais madura. E já não é a borboleta tranquila que era quando se envolveu com John. Se Logan espera que ela implore e rasteje a seus pés como todas as suas outras conquistas, pode esperar sentado. Quere-a de volta? Vai ter que trabalhar por isso. Desta vez é Grace quem vai ao volante... E ela tenciona guiar de forma selvagem."





"O detective Sime Mackenzie é enviado desde Montreal para investigar um assassinato na remota ilha de Entry Island, a milhares de quilómetros de distância do território canadiano, atrás de si deixa uma vida de insónia e arrependimento. Mas o que parecia ser um simples caso, com uma simples resolução ganha dimensões perturbadoras quando conhece o principal suspeito, a mulher da vítima, e está convencido de que a conhece – mesmo que nunca a tenham visto antes. E quando a sua insónia é pontuada por sonhos de uma Escócia distante, situada num outro século, este crime no golfo de St. Lawrence leva-o por um caminho que ele nunca teria antevisto, forçando-o a enfrentar um conflito entre o seu dever profissional e o seu destino pessoal. Com as noites assombradas por estas recordações de uma Escócia, a quase cinco mil quilómetros de distância, nos seus sonhos de um passado distante, a viúva da vítima tem um papel principal no desfecho. A certeza de Sime torna-se então obsessão e, apesar das provas incriminatórias, ele dá por si convencido da inocência da mulher. E como prova-lo e onde o levará esta certeza?"







"Parece que ainda estou a ouvir aquela voz nova. Fecho os olhos e procuro-a dentro de mim. Consigo escutá-la. Gosto dela. É uma voz rouca de mel, serena e macia. Foi a única voz que ouvi quando regressei a mim. Estava tão perto e as outras tão longe. Não sei quanto tempo estive ausente, mas foi aquela voz que me trouxe à vida. Nunca a vou esquecer. Nem quero. Percebi naquele instante que estava viva e em segurança. E isso foi bom. Não sei quem é. Queria tanto agradecer-lhe: salvou- -me a vida. Não sei como o vou encontrar. Já perguntei, mas ninguém sabe."












"Numa fracção de segundos, um acidente trágico faz desabar o mundo de Jenna Gray, obrigando uma mãe a viver o seu pior pesadelo. Nada poderia ter feito para evitar esse acidente. Ou poderia? Essa é a pergunta que a inquieta quando tenta deixar para trás tudo o que conhece, procurando um novo recomeço refugiada num chalé isolado na costa de Gales. Também o detective Ray Stevens, responsável pela investigação por este caso que procura a verdade, começa a ser consumido pela sua entrega ao mesmo, deixando a vida pessoal e profissional à beira do precipício. À medida que o detective e a sua equipa vão juntando as pontas do mistério, Jenny, lentamente, permite-se vislumbrar uma luz de esperança no futuro, o que lhe dá alguma segurança, mas é o passado que está prestes a apanhá-la, e as consequências serão devastadoras."







"Este livro é o resultado de uma experiência de voluntariado, realizada no Estabelecimento Prisional de Tires no âmbito da Associação Dar a Mão, com a finalidade de dar apoio às reclusas do Estabelecimento Prisional de Tires e preparar a sua reinserção social. Das Margens Nascem Flores foi escrito a várias mãos, pela psicanalista que acompanha o grupo: Beatriz Matoso, a enfermeira: Pilar Soares Marques e claro com o contributo de algumas reclusas. Tem por objectivo promover o desenvolvimento da auto-estima e o crescimento pessoal, afectivo e laboral de cada reclusa, e incentivar o trabalho e a formação profissional."










"Mia Saunders precisa de dinheiro. De muito dinheiro. Tem um ano para pagar ao agiota que ameaça a vida do pai e exige o reembolso de uma enorme dívida de jogo. Um milhão de dólares para ser exacto. A sua missão é simples: trabalhar como acompanhante de luxo para a empresa da tia, com sede em Los Angeles, e pagar mensalmente uma parte da dívida. Passar um mês com um homem rico, com o qual não é obrigada a ir para a cama senão quiser. Dinheiro fácil. O Infeliz no amor e com um espírito que não verga, a curvilínea morena amante de motas tem um plano: entrar no jogo, conseguir o dinheiro e voltar a sair. Parte do plano é manter o coração fechado a sete chaves e os olhos no objectivo. Pelo menos é como espera que corra."







"Quando a vida corre mal, alguém precisa de ter a força necessária para a levar para a frente. Sophie Scaife está nesta posição. Para Sophie e o marido, o bilionário Neil Elwood, o casamento e os jogos picantes de dominação e submissão surgem com naturalidade. Descobrir formas de reacender o romance e introduzir uma antiga paixão faz com que o seu ardor se incendeie. Entretanto, Neil tem um novo projecto: um ambicioso empreendimento filantrópico.Mas na esteira do seu maior triunfo ocorre uma mudança na vida de ambos para que não estão preparados. Durante a noite, Sophie encontra-se com uma nova realidade, muito diferente da vida que planeara. Como as emoções são fortes, ela esforça-se para conciliar esta nova fase da vida, enquanto o marido entra num período conturbado.Um homem que ela ama demais para o deixar ir sem luta..."







"Quatro anos após o desaparecimento de Bella Elliot, de dois anos, Glen Taylor é atropelado por um autocarro e morre. Glen era o principal suspeito no caso de Bella, mas foi absolvido após provas cruciais serem dadas como inadmissíveis. Após a morte, a sua mulher Jean é, de novo, o foco das atenções dos jornalistas. Jean convida a jornalista Kate Waters para ir a sua casa para uma entrevista. Ao mesmo tempo Bob Sparkles ainda está a investigar o caso de Bella, apesar de ter sido afastado duas vezes, porque os superiores estavam preocupados com a sua obsessão pelo caso. As perguntas de Kate a Jean e as respostas dela são reveladoras de que Jean sabe mais sobre o envolvimento do marido, no rapto."






"A Musa de Camões recua até ao séc. XVI, para a Lisboa de onde partem as caravelas que descobrem o mundo e chegam as especiarias que maravilham a Europa. No paço real vive a mais bela e rica princesa da cristandade: a Infanta D. Maria. Nas ruelas tortuosas aventura-se o mais talentoso poeta da época: Luís de Camões. Mas Lisboa não tem só encantos. A Infanta, invulgarmente culta e graciosa, retratada por pintores e cantada por poetas, vive asfixiada por uma corte que conspira para que ela não case nem leve o dote mais cobiçado da Europa. E Camões, invejado pelo talento único e odiado por maridos cujas mulheres cantou e encantou, é um desafortunado que até El Rei pretende exilar para longe. Um dia os seus olhares cruzam-se. Tão diferentes de nascimento e posição, as suas almas desencantadas parecem gémeas. Uma deseja atenção, a outra anseia por uma musa, ambas encontram o amor. Trazendo à vida uma época gloriosa e personagens fascinantes, Maria Helena Ventura conta-nos a história de um amor único e impossível, que aos olhos da lei era crime e aos da Inquisição era pecado."



"Tudo começa em 1926 quando o avião do major Varela se despenha misteriosamente no Mondego. Terá sido suicídio ou acidente? "Os Filhos de Salazar" conta-nos a história de Mariana e Mariano, dois jovens que crescem juntos mas seguem percursos opostos na vida. Se ela se transforma numa mulher libertina que desafia tudo o que é sagrado para o fascismo e para a Igreja, já ele segue as pegadas do pai, amigo íntimo de Salazar e do cardeal Cerejeira.É acompanhando as suas vidas que assistimos a um retrato vívido do Portugal do Estado Novo: de um lado os representantes do poder, os cidadãos fascistas e a temível PIDE; do outro os inimigos do regime, incluindo os comunistas na clandestinidade.Mergulhados neste conflito Mariana e Mariano, com vidas, morais e ideologias tão incompatíveis, encontram-se e desencontram-se. O destino reserva-lhes uma surpresa que vai mudar as suas vidas. Mas quem vai sofrer a maior mudança é Portugal."





"No final dos anos 80, em Londres, duas meninas de oito anos partilham o mesmo nome e a mesma paixão pelo ballet. Nada as poderá afastar uma da outra, nem do sonho de, um dia, se tornarem bailarinas profissionais mundialmente famosas.Mas um ato de maldade de um homem destrói todos os sonhos de infância e promete derrubar de vez o mundo das duas amigas. E, assim, Veronika e Veronica seguem caminhos diferentes e invisíveis, desprovidos de fantasia ou esperança. Vinte anos depois, as memórias da amizade e a necessidade de mudar de vida vingam, forçando um novo cruzar de caminhos e a busca de um novo rumo, juntas."








"Pontos de não-retorno, a quarta obra de Carlos Soares publicada postumamente pela Coolbooks e a conclusão da trilogia que mostra de forma desassombrada as fantasias ocultas na nossa sociedade. No final desta trilogia, Carlos Soares explora o ambiente que envolve o mundo do futebol e também o dia-a-dia de uma congregação evangélica, assim como as preocupações a que essa comunidade não é imune: casamentos, divórcios, ilusões e consciências que pesam. Das ruas do Porto à linha de Cascais, o autor apresenta um conjunto de seis jovens protagonistas, irmanadas na Igreja, que com as suas peculiaridades e apetites levam o leitor a percorrer um caminho sem regresso possível à inocência. Pontos de não-retorno completa a trilogia dedicada às parafilias e tabus, composta por A menina (publicada em 2015) e Padre-Homem. Falecido em 2011, aos 76 anos, Carlos Soares levou uma vida ligada ao mundo da comunicação. Mário Zambujal elogiou o seu «rigor de jornalista, pelo domínio sábio do sentido de cada palavra» e, como demonstram as obras agora publicadas pela Coolbooks, a «arte de bem escrever»."



"Um relógio oferecido a Idanha-a-Velha por Quinto Tálio, uma Agripina sem cabeça e uma cabeça sem corpo na cidade de Beja, as histórias de Labéria que morreu com 42 anos, de Lúcio Cecílo, Caio Cantio Modestino, da pequena Quintila, de Ânio Primitivo ou de Júlia Modesta. Estes são alguns dos personagens que povoam este livro que nos transporta para a época romana. A única diferença que existe em relação a milhares de outros habitantes destas terras que nós hoje habitamos é o facto de eles, ou outros por eles, terem gravado na pedra os seus nomes. Olhando para os vestígios que nos foram deixados pelos nossos antepassados é possível reconstituir a história da Lusitânia. De norte a sul do país e percorrendo também terras espanholas, este livro permite-nos quebrar o enorme silêncio que é o passado e abrir pequenas grandes frestas que nos desvendam a nossa história e os desejos e medos, as aspirações ou os modos de ser e formas de vida daqueles que habitavam a Lusitânia. A arqueóloga Lídia Fernandes dá-nos a conhecer algumas das maravilhas arqueológicas que o nosso país encerra e revela-nos o significado oculto de ruínas, locais escondidos e pedras que num primeiro momento podem não nos dizer nada, mas que têm tanto para contar sobre o nosso passado."



"Twickenham, 1932. Um jornalista vindo de Lisboa apresenta-se em Fulwell Park, a residência de D. Manuel II, que há 22 anos vive no exílio, em Inglaterra. Apresenta-se ao monarca para o entrevistar e com o projecto de uma biografia nas mãos. O rei recebe-o mas, embora visivelmente exausto, percorre memórias dia após dia, discute o presente com o visitante. Morre, contudo, inesperadamente, antes do trabalho concluído e nem a entrevista nem o livro chegam a ser publicados. Mais de oitenta anos depois, em 2016, um jovem português recebe um inesperado presente da dona da casa londrina onde está instalado: uma mala antiga cheia de papéis. A mala, explica-lhe a senhora, pertencera a um inquilino que habitara o mesmo quarto que ele agora ocupa. Era também português, fora ali para entrevistar D. Manuel II e acabara por acompanhar os últimos dias do antigo soberano. Naquela mala estão as memórias da etapa final da vida de um rei que recebeu o trono aos 18 anos, quando o pai e o irmão foram assassinados no Terreiro do Paço, em Lisboa, e que, dois anos e oito meses depois, foi derrubado pela revolução republicana. Afastado, atormentado pela saudade, encontrara nos livros e num trabalho feito entre hospitais durante a Grande Guerra o ânimo que os dias de céu cinzento e chuva não lhe davam na região onde residia. Entre as memórias guardadas na mala está também a chave para a descoberta de uma personagem fascinante da qual aquele jovem, como tantos outros portugueses, sabem o nome mas, na verdade, mal conhecem."




"Porque será tão simples para certas pessoas ter ideias novas e brilhantes? E como as transformam em obras admiráveis? - Sejamos curiosos como Caravaggio que, com a descoberta da óptica e das potencialidades das lentes, alterou a arte ocidental. - Sejamos perseverantes como Miguel Ângelo que, não gostando assim tanto de pintar, aceitou contrariado a obra da Capela Sistina, trabalhando incessantemente e com grande desconforto, deitado num andaime, durante anos. Com sabedoria, inteligência e um notável sentido de humor, o autor fornece-nos uma perspectiva clara sobre as vidas, hábitos e pensamento dos grandes criadores, explica-nos as suas características e o que faz deles os mestres sublimes que admiramos, ajudando-nos a pensar como eles para podermos estimular e desenvolver vidas mais criativas e produtivas. Do autor de «150 Anos de Arte Moderna Num Piscar de Olhos»"





"Em Córdova, na Andaluzia, pode ainda encontrar-se o busto em bronze de uma personagem de rosto emaciado e olhar de águia: a inscrição diz-nos que se trata de Moisés Maimónides, médico judeu, nascido em 1135 nessa cidade. Ali viviam em harmonia árabes, cristãos e judeus, oferecendo ao mundo um modelo nunca igualado de civilização e de tolerância. Aos doze anos, Moisés Maimónides tornar-se-ia discípulo do grande pensador árabe Averróis, antes de se apaixonar pelo estudo da medicina. Aquele a quem os escolásticos cristãos dariam o nome de «Águia da Sinagoga» por ter tentado, antes de Tomás de Aquino, conciliar a Bíblia e Aristóteles, foi forçado ao exílio devido ao fanatismo dos novos conquistadores árabes, iniciando então uma longa errância em redor do litoral mediterrânico. Morreu em 1204, tendo deixado uma obra filosófica e científica que iria brilhar ao longo dos séculos por todo o Ocidente. O Médico de Córdova é o romance da sua vida apaixonante."
Ocorreu um erro neste dispositivo

1%

1%