Envie esta página a um amigo!

segunda-feira, 21 de junho de 2010

15

Livro: A criança que não queria falar

Livro: A criança que não queria falar
Autora: Torey Hayden

Neste livro fala-se de uma violenta criança de seis anos com problemas a níveis sociais e emocionais. Tudo isto muda quando encontra a autora do livro, uma professora de necessidades educativas especiais. O grande problema deste livro é o facto da autora ser muito...CONVENCIDA...
Basta ler a capa do livro para encontrarmos a seguinte frase:

"Era uma criança de seis anos insociável, violenta, perdida num mundo de raiva e sofrimento... até encontrar uma jovem e brilhante professora."

Quem é que se autodescreve logo na capa desta forma? BRILHANTE!! Enfim...
No entanto, a história descrita no livro é uma história veridica. 
Sheila, de seis anos, foi abandonada por uma mãe adolescente, tendo sido repetidamente maltratada e abusada. A lição importante deste livro é que, apesar de tudo, com a ajuda necessária, os malefícios de uma infância conturbada podem ser reversíveis.
Sheila é destacada para a sala de Torey e é aí que a sua vida muda completamente uma vez que as duas estabelecem fortes laços afectivos. Aconselhamos este livro a estudantes de Psicologia, professores que possam lidar com estas temáticas ou simplesmente aos mais curiosos e interessados por estas temáticas.

Desde a sua publicação, em 1980, o livro já vendeu 8 500 000 exemplares no Reino Unido tendo já sido traduzido em 27 línguas diferentes.

Partilha no Facebook, Twitter ou Google Buzz:
Partilha no teu Facebook Partilha no teu Twitter Pubblica noGoogle Buzz

15 comentários:

  1. Eu amei o livro! A história é muito boa, pelo facto de ser verídica e nem me tinha apercebido do "convencimento" da autora! :)
    Bem, aconselho a continuação do livro (intitulado "A menina que não falava"), que apesar de não ser tão interessante, não deixa de ser bom!

    Uma boa semana! :D

    ResponderEliminar
  2. De nada! ;D
    podem encomendá-lo pela Bulhosa, por exemplo! Ou comprar online!

    ResponderEliminar
  3. Cátia: sim, o livro é muito bom especialmente por sabermos que aconteceu de verdade... Sabiamos que havia continuação mas não sabiamos qual era (porque a senhora tem muitos). Mas não achaste a senhora convencida? LOL...da primeira página à ultima...

    lol

    Aprendiz de Poetisa: obrigada :)

    ResponderEliminar
  4. Peço desculpa, mas a continuação de "A criança que não queria falar" não se intitula "A menina que não falava" mas sim "A menina que nunca chorava"! Faço sempre confusão! I'm sorry... (a)

    ResponderEliminar
  5. Não consigo perceber como é que alguém consegue confundir os títulos dos livros desta autora. São tão distintos!
    Enfim, eis algo que acho que seria incapaz de ler xD não é nada o meu estilo, mas se valer a pena, pode ser que faça um esforço eh eh

    ResponderEliminar
  6. Cátia: obrigada por rectificares

    Remolha: ahaha, tens razão, os títulos são muito parecidos, e conhecendo-te, realmente não é o teu estilo...

    ResponderEliminar
  7. Que a história seja verídica, acredito! Que a vida da criança tenha realmente mudado, está bem. Agora que tudo se deve apenas ao profissionalismo -às vezes, parece caridadezinha - da "jovem e brilhante professora", isso é duvidoso!
    Horácio

    ResponderEliminar
  8. Horácio: Concordamos plenamente consigo. De facto é pena a professora passar o tempo todo a gabar-se de ter sido só graças a ela que a rapariga (Sheila se não me engano) tenha mudado. De facto é por isso que o livros está longe de ser dos nossos livros favoritos. Obrigada por vir sempre comentar ao Flames! :)

    ResponderEliminar
  9. Adoro os livros dela. Tenho-os todos. :D

    ResponderEliminar
  10. A sério Pedro? Que bom...nós só lemos mesmo este e é muito bom, mas lá está, a senhora é mesmo um bocado convencidinha...

    ResponderEliminar
  11. Nunca reparei nisso. Acho apenas que ela tem é aquela capacidade de falar com as pessoas que mais ninguém tem. :S
    Também é psicóloga de crianças....

    ResponderEliminar

Obrigada por ter passado pelo nosso Blog e por comentar! A equipa do FLAMES agradece ;)

Ocorreu um erro neste dispositivo

1%

1%