Envie esta página a um amigo!

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

4

11º Passatempo do Flames (em parceria com a Universal Music Portugal)

O FLAMES
em parceria com a

 

tem para oferecer o CD Eat, Pray and Love, o CD do filme! :)

NÃO TERÃO QUE RESPONDER a nenhuma pergunta! Apenas têm de preencher o formulário, e esperar que seja o vosso nome a ser o sorteado. 



2

Livro: Pânico



Título Original: Panic
Ano: 2006
Género: Suspense, Drama
Autor: Jeff Abbott


Durante meses cruzámo-nos com este livro nas mais diversas livrarias e a curiosidade foi aumentando gradualmente. Quer pelas opiniões que lemos acerca deste livro quer pela sua sinopse que, para amantes de emoções fortes como nós, nos pareceu extremamente interessante. Finalmente, acabámos por ler o livro e... ainda bem que o fizemos!

A história apresenta-nos o jovem Evan Casher. Com 24 anos de idade, não poderia ter uma vida melhor: feliz ao lado da sua namorada Carrie, Evan conseguiu que o documentário por si realizado atingisse o sucesso desejado. Contudo, um inesperado telefonema virá a mudar a sua vida para sempre. É que, sem que nada o faça prever, Evan irá ver-se envolvido numa corrida pela sua vida, ao mesmo tempo que descobre que toda a sua existência não passa de uma mentira meticulosamente engendrada...

Este é um livro de emoções fortes! Jeff Abbott consegue fazer-nos sentir na própria pele o pânico vivido pelo protagonista. O suspense é tal que parar de ler é a última coisa de que nos lembramos quando temos este livro nas mãos. A escrita simples e fluída do escritor permite-nos perceber, sem quaisquer rodeios, aquilo que Evan está a sentir em cada situação e, desta forma, acabamos por "sofrer" juntamente com o personagem.
Este foi o primeiro livro de Jeff Abbott que lemos, mas com certeza que não será o último pois, pelos vistos, o escritor não se ficou por aqui no que diz respeito a livros de suspense de cortar a respiração. Venha o próximo!

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

8

Livro: Para a minha irmã




Título Original: My sister's keeper
Ano: 2005
Género: Drama, Romance
Autor: Jodie Picoult


Este é já o segundo livro de Jodie Picoult que lemos e, tal como da primeira vez, ficámos extremamente agradadas com esta fantástica história.

Em "Para a minha irmã", acompanhamos o drama de uma família que tem duas filhas: Kate, a mais velha e que padece de leucemia e Anna, a jovem adolescente que tem uma dura responsabilidade aos ombros. É que Anna, desde o dia em que nasceu, tem sido submetida a diversas cirurgias com o intuito de ajudar a sua irmã. Contudo, aos 13 anos de idade, Anna começa a questionar-se se é este o tipo de vida que quer para si. E, então, decide tomar uma decisão que irá mudar o rumo da sua vida para sempre...

Mais uma vez, adorámos este livro de Jodie Picoult. Com uma escrita simples, mas ao mesmo tempo cativante, a escritora apresenta-nos uma história sob os pontos de vista dos vários intervenientes. Desta forma, temos um acesso priveligiado àquilo que cada um pensa e sente, quais as suas dúvidas e receios.
Sendo o tema abordado bastante polémico, Picoult consegue fazer-nos questionar sobre tópicos acerca dos quais nunca nos tínhamos debruçado anteriormente.
 O melhor deste livro é mesmo o suspense que se mantém até ao final. Desta forma, quase não conseguimos parar de lê-lo pois a curiosidade é tanta que mal podemos esperar para chegar ao final e, finalmente, descobrir o que acontece.
Este é um óptimo livro para qualquer fã de Jodie Picoult e também para quem nunca leu nada desta autora mas que não dispensa um bom romance dramático com algum suspense à mistura!

  

sábado, 24 de dezembro de 2011

3

FELIZ NATAL A TODOS!




O FLAMES deseja a todos vocês um FELIZ NATAL e um 2012 recheado de:


F ILMES
L IVROS
A NIMES
M ANGAS
E NTRETENIMENTO/ESPECTÁCULOS/EVENTOS &
S ÉRIES!

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

0

Série: Sem rasto


Título Original: Without a trace
Género: Drama, Suspense
Ano: 2002-2009
Nº Temporadas: 7


Esta série não é nova e já há vários anos que a vemos. É daquele tipo de séries que gostamos de ver sem ter a "obrigação" de acompanhar todos os episódios para conseguir seguir o enredo. Tal como muitas outras séries do mesmo género, "Sem rasto" apresenta-se como uma série de episódios independentes (tendo, como é comum, como factor de ligação as relações entre os personagens principais) sendo possível, desta forma, vermos um único episódio e perceber a sua história.
 
 
Em "Sem rasto" acompanhamos uma equipa do FBI especializada em casos de desaparecimento. Em cada episódio, alguém desaparece e a "corrida" começa, pois em casos de pessoas desaparecidas cada minuto é precioso. Assim, a equipa do detective Jack Malone tem que trabalhar o mais rapidamente possível, reconstituindo de forma rigorosa os últimos passos da vítima, para conseguir encontrá-la antes que seja tarde demais.
 
 
Confessamos que esta não é das nossas séries favoritas. Não por falta de qualidade, pois as histórias são interessantes e muito bem construídas, mas sim porque, tal como em muitas das séries do mesmo género, "Sem rasto" acaba por entrar numa certa monotonia. Desta forma, quando o "factor novidade" desapareceu, deixámos de acompanhar a série, limitando-nos a ver alguns episódios pontualmente quando não há mais nada de interessante para fazer.
Contudo, para quem nunca viu nenhum episódio, aconselhamos vivamente que o faça, pois os primeiros episódios são muito interessantes!


Fiquem com o trailer da série:



segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

0

Cesária Évora

Morreu no dia 17 de Dezembro de 2011, uma das cantoras mais conhecidas de sempre: Cesária Évora. 

«a diva dos pés descalços»


27 de Agosto de 1941 - 17 de Dezembro de 2011

Não podíamos deixar de prestar homenagem a uma das cantoras mais conhecidas. Ponham play na música (aqui em baixo) e leiam um pouco da sua história... 



Em toda a história da música popular de Cabo Verde, Cesária Verde foi a artista mais reconhecida internacionalemente. E foi nesse país, em Mindelo, que a cantora nasceu em 1941. A sua alcunha era Cise.

Foi criada pela avó e desde cedo que cantava e fazia actuações.Aos 16 anos já cantava em bares e hóteis sendo proclamada a "Rainha da Morna".

Em 1975 (no ano em que Cabo Verde obteve a independência) deixou de cantar para poder trabalhar e sustentar a família. Depois disto e durante 10 anos lutou contra o alcoolismo.

Em 1988 volta à carga com o albúm que a tornou famosa: "La diva aux pied nus" (a diva dos pés descalços). Aos 47 anos, Cesária tornava-se uma estrela mundial. 

Prémios:
2004 - Grammy de melhor álbum.
2009 - Medalha da Legião de Honra

Em Setembro de 2011, a sua editora, anunciou que a cantora terminara a sua carreira, depois de cancelar uma série de concertos por se encontrar muito debilitada. Faleceu dia 17 de Dezembro de 2011 por "insuficiência cardiorrespiratória aguda e tensão cardíaca elevada". 

Discos -  

1965 - Mornas de Cabo-Verde & Oriondino
1987 - Cesária
1988 - Cesária Évora, La Diva aux pieds nus
1990 - Distino di Belita
1991 - Mar Azul
1992 - Miss Perfumado
1994 - Sodade - Les plus belles mornas de Cesaria (Best of)
1995 - Cesária
1995 - Cesária Évora à L'Olympia
1997 - Cabo Verde
1998 - Best of Cesária Évora
1998 - Nova Sintra
1999 - Le monde de Cesária Évora
1999 - Café Atlântico
2001 - Cesária Évora : L'essentiel
2001 - São Vicente di Longe
2002 - Anthology
2002 - Anthologie: Mornas & Coladeras (LP duplo)
2002 - The Very Best of Cesária Évora
2003 - Voz d'Amor
2004 - Les essentiels
2006 - Rogamar
2008 - Rádio Mindelo
2009 - Nha sentimento


DVD

2002 - Live in Paris

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

6

Filme: Sozinho em casa



Título Original: Home alone
Ano: 1990
Género: Comédia
Realizador: Chris Columbus


Porque no FLAMES também nos preocupamos em prestar serviço público, hoje decidimos recordar aos mais distraídos que já estamos em época natalícia. E como é que sabemos isto? Não, não é por causa das abundantes luzes de Natal que vemos pelas ruas das cidades, muito menos pela constante publicidade nos meios de comunicação sobre os mais variados artigos para presentes, sempre com o sr. Pai Natal em destaque e uma bela música de fundo de Natal. Aquilo que nos permite afirmar, com toda a certeza, que já chegámos ao Natal é o facto de, há pouquíssimos dias atrás, ter passado o filme "Sozinho em casa" na televisão. É nesse momento que o português mais distraído se lembra que o dia 25 de Dezembro está à porta e que é melhor começar os preparativos (só depois de terminar de ver o filme, é claro!).

A história é mais do que conhecida por todos nós: quando uma criança, Kevin McCalister, é deixada, por esquecimento, sozinha em casa pela sua família quando esta foi desfrutar as suas férias de Natal, nada faria prever que esse  contratempo não seria nada comparado com o que estava para vir. É que, por coincidência, precisamente nesse Natal uma dupla de ladrões (Harry e Marv) decide assaltar a casa da família McCalister.
O que se segue é o pior pesadelo que qualquer ladrão poderia alguma vez imaginar, é que em vez de se acobardar perante a ameaça dos ladrões, Kevin decide dar luta e proteger a sua casa a todo o custo.
O filme não é nada de extraordinário (apesar de ter sido nomeado para vários prémios, inclusivé para Óscares) mas, de certa forma, tornou-se numa espécie de culto em Portugal. Não fazemos ideia se há mais países que, obrigatoriamente, transmitem este filme no Natal. Mas a verdade é que o Natal, para nós, já não seria a mesma coisa sem "Sozinho em casa".
Admitimos que não vemos o filme todos os anos (aliás, provavelmente aos 10 anos de idade, depois de tê-lo visto 10 vezes, desistimos de continuar a ver), mas gostamos de fazer o nosso zapping nesta altura e constatar que o filme está a dar na TV. Isto mostra-nos que pode vir a crise, as tradições podem mudar com o tempo, mas os portugueses podem sempre contar com o seu amigo "Sozinho em casa" que nunca falha. Isso e o "Natal dos hospitais", mas isso já daria outro post....

Fiquem com o trailer:



  


0

10º Passatempo do FLAMES: Vencedores



Mais um passatempo terminou e, com ele, três sortudos vão receber um exemplar do fantástico livro "A Rosa Rebelde", gentilmente cedido pela Editorial Bizâncio.
Sem mais demoras, vamos ao que interessa - os vencedores.

Parabéns:

- Rita Nogueira
- Miguel Pestana
- Roxie

Obrigada a todos que participaram e, para quem não ganhou, novos passatempos surgirão em breve, por isso, continuem a visitar-nos e a participar!

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

1

Entretenimento / Livro: No Princípio Estava o Mar - Sessão de Autógrafos com Gonçalo Cadilhe

No Princípio Estava o Mar 
Sessão de Autógrafos com Gonçalo Cadilhe

Edição/reimpressão:
Páginas: 284
Editor: Clube do Autor
Estamos sempre a perder oportunidades de ir conhecer autores, porque a maior parte dos convites e das sessões de autógrafos que há, não acontecem em Coimbra. Ontem foi a excepção e, por isso mesmo, não podíamos perder a oportunidade.
E então, lá fomos nós. Não somos grandes amantes de surf, mas adoramos o mar e a paixão com que o autor descreve as ondas, as praias e os locais pelas quais passou, a forma com que nos faz sentir o cheiro da maresia e o som das gaivotas enquanto olhamos, simplesmente, para as imagens do livro fizeram-nos querer dar uma oportunidade à obra.
Assim, comprámos o livro (para que fosse autografado!) no dia em que o autor veio à cidade do conhecimento e, enquanto esperávamos que chegasse, começámos a lê-lo.

O livro é totalmente diferente do que estamos habituadas a ler. Trata-se de uma colectânea de textos sobre o surf que o autor tem vindo a escrever ao longo dos anos. Para além destes, o livro vem com imagens feitas pelo próprio autor (ou do próprio) sobre o mar.

Resta-nos agradecer ao autor, a simpatia com que nos recebeu e com a qual falou connosco, e desejar-lhe muitas mais aventuras. Nós, entretanto, vamos continuar a ler o livro :)

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

5

Série: 24


Ano estreia: 2001
Género: Acção, Drama
Nº Temporadas: 8
Produtores: Joel Surnow e Robert Cochran



Esta  é uma das séries que na primeira década do presente século mais prémios ganhou (incluindo 20 Emmy Awards). Conquistando legiões de fãs em todo o mundo, desde muito cedo que ouvimos falar em "24", contudo, um pouco por preguiça e também por cepticismo, não acompanhámos a série à medida que esta foi sendo divulgada no nosso país. Assim, 10 anos após a sua estreia, lá nos rendemos à curiosidade despertada pelos relatos entusiasmados dos fãs desta história e decidimos começar a vê-la.

A grande premissa de "24", que serviu de inspiração para o título da série, é a de que os acontecimentos em todos os episódios se desenrolam em tempo real, que é como quem diz, cada temporada com 24 episódios corresponde a um dia na vida dos protagonistas (um dia muito agitado, entenda-se...).
O herói da história é o agente Jack Bauer, um importante membro da L.A. Counter Terrorist Unit, que, ao longo da série, se vê envolvido em algumas explosões, muitos tiroteios, várias conspirações e inúmeros contratempos. Actuando sempre contra o relógio, Jack e a sua equipa vêem-se obrigados a pensar rapidamente e a agir ainda mais rápido se quiserem salvar o dia.


Confessamos que ainda não vimos todas as temporadas, mas daquilo que vimos a nossa opinião, no global, é bastante positiva. A série consegue prender o telespectador graças à alucinante velocidade dos acontecimentos e às constantes reviravoltas e surpresas que surgem com grande frequência ao longo dos episódios. Por causa disso, somos quase que "obrigados" a ver o episódio seguinte na expectativa daquilo que poderá acontecer a seguir que pode ser, literalmente, qualquer coisa!
O que não gostamos é da não total veracidade da premissa da história. Se é verdade que cada episódio corresponde a 24h da vida real dos personagens, sobre isso nada contra, já não é tão verdade que certos acontecimentos que na série surgem como se passando em escassos minutos, na vida real pudessem acontecer nesse tempo. É que ninguém nos convence que é possível atravessar-se uma cidade inteira, resolvendo mil e um assuntos ao telemóvel, em escassos 8 ou 9 minutos. Senhores produtores da série, nós também andamos de carro e sabemos como as coisas são!
Mas, concluindo, esta é uma série que, sem ser absolutamente genial, consegue cativar-nos e entreter-nos ao  longo de umas boas horas. 

Fiquem com o tailer:


segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

0

Livro: Três casos de Assassínio


Autor: Rex Stout 
Género: Policial

Ok, desta vez não é Agatha Christie... mas sim, têm razão, é um policial. Neste caso, mais uma vez, trata-se de um livro com 3 contos. A personagem principal, como sempre, é Nero Wolf e a contar a(s) história(s) temos Archie Goodwin. Estas são as personagens que se encontram presentes na maioria dos livros de Rex Stout. Mas como alguns de vós podem não as conhecer, antes de falar na história dos 3 contos, vamos apresentar-vos as personagens...

Nero Wolf é um detective muito gordo (supostamente 130 quilos segundo vem no livro) e que gosta de se armar em génio (sim, acertaram, não vamos lá muito com a personagem). A verdade é que gostamos do seu assistente, Archie, que faz todo o trabalho sujo (anda à caça de pistas) enquanto Nero Wolf fica em casa a engordar e a tratar de todas as suas orquídeas (o senhor tem uma fixação por orquídeas e por inventar receitas e é um resmungão. A coisas têm de ser feitas às horas certas, sempre as mesmas!!!)

Mas voltemos a este livro e vejamos cada conto e forma particular

Primeiro conto - "Uma Janela Para a Morte"

Nesta história encontramos 3 irmãos (David, Paul e Louise Fyfe) que se encontravam num apartamento com o seu irmão que não viam desde a morte do seu pai: Bert. Mas neste enredo, vamos encontrar ainda outras personagens: Johnny Arrow (amigo de Bert), Anne (uma enfermeira), um médico e o marido de Louise. Bert acaba por morrer de pneumonia nesse apartamento, mas o irmão Paul acha que se tratou de um assassínio, daí chamarem Nero Wolf a investigar...e esta investigação leva-os a viajar no tempo, há 20 anos atrás...ao dia em que o próprio pai destes 4 irmãos morreu de pneumonia...

Segundo conto - "Imune ao Assassínio"

Nero Wolfe é convidado a cozinhar uma das suas especialidades culinárias: trutas, numa "reunião" de embaixadores e diplomatas. É neste contexto que ocorre o assassínio de um dos senhores. Para complicar tudo isto, parece que é impossível que qualquer dos outros convivas tenha perpetuado o homicídio. Quem terá sido, completamente cego por ciúme e traição, o assassino? 


Terceiro conto - "Eram Demasiados Detectives"

Nesta, deliciosa, história, Nero Wolfe e Archie são convidados (juntamente com outros detectives de Nova York) pela polícia, a apresentarem as suas licenças. O que eles não sabem é que se encontram, todos, sob o olhar dos polícias e numa investigação policial. E é exactamente num local repleto de polícias e detectives que é perpetuado um homicídio. Para piorar a situação, tratava-se de um homem que os tinha enganado a TODOS, por isso todos tinham motivos para se vingar. Quem terá sido?

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

6

Livro: Doce vingança



Título Original: Miranda's big mistake
Ano: 1999
Género: Romance, Comédia
Nº Págs: 368
Autor: Jill Mansell

Adquirir o livro - AQUI

Este foi o segundo livro que lemos desta autora que conhecemos há apenas alguns meses. Após "Irresistível tentação" a fasquia estava elevada e, por isso mesmo, foi com grandes expectativas que "partimos" para o nosso segundo romance de Jill Mansell.

A história apresenta-nos Miranda, uma ajudante num salão de cabeleireiro que conhece um belo jovem numa festa, Greg, e, rapidamente, fica extremamente interessada neste charmoso, inteligente e cativante rapaz. Contudo, há um pequeno pormenor: Greg tinha acabado de abandonar a mulher grávida! Como se este imprevisto não fosse suficiente, eis que Miranda se vê, involuntariamente, incluída num programa de televisão, tudo isto fruto, claro está, de um irritante jornalista que parece determinado em chateá-la! Furiosa, Miranda conspira a sua grande vingança e jura a si mesma nunca mais confiar nos homens. Contudo, a vida prega-nos partidas e eis que Miles Harper se atravessa no seu caminho...

Já sabíamos o que nos esperava quando começámos a ler este livro e, de facto, Jill Mansell não nos desiludiu. Esta é uma história com reviravoltas interessantes, situações caricatas e extremamente divertidas!
O que mais nos agrada em Jill Mansell é a sua capacidade para pegar numa história simples e vulgar e torná-la numa aventura cheia de momentos engraçados e inesperados e realmente viciante! É quase impossível parar de ler os seus livros!
Por a sua escrita ser tão leve e simples, as suas obras são óptimas para aqueles dias em que nos apetece relaxar na companhia de um bom livro sem nos preocuparmos com enredos complexos e mistérios complicados. Com este livro Jill Mansell é, oficialmente, uma das nossas autoras de eleição para descontraír e dar umas boas gargalhadas.
Venha o próximo livro!

Por: Mariana Oliveira

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

2

Passatempo: 10º Passatempo do FLAMES


O FLAMES, em parceria com a Editorial Bizânciotem para oferecer não 1, nem 2 mas....

3 LIVROS - A Rosa Rebelde aos sortudos que prencherem os seus dados no formulário abaixo. Para festejar o nosso 10º passatempo, NÃO TERÃO QUE RESPONDER a nenhuma pergunta!

Em baixo do formulário, encontram uma descrição do livro (retirado do site da Editorial Bizâncio)







Título: A Rosa Rebelde
Autor(es): Paisley, Janet

Pág.: 384
Número: 38
ISBN: 978-972-53-0421
Ano: 2009
Preço de Capa: €15.15
Preço Online: €13.63

«Um romance histórico empolgante e poderoso com uma heroína bela e enérgica.»
Financial Times

Numa época em que a guerra civil dividia a nação, Anne acreditou que podia bater-se com os melhores guerreiros. Pela espada. Por convicção. Por paixão. A Rosa Rebelde conta-nos a fascinante e turbulenta história de uma notável figura histórica, Lady MacIntosh, que ficou conhecida como coronela Anne. Foi uma heroína das Terras Altas da Escócia, uma encantadora rebelde, uma Braveheart que arriscou tudo, incluindo a sua vida, por amor ao seu país e ao seu rei. Fruto de uma cuidada investigação histórica, e com notável mestria, Janet Paisley criou uma extraordinária história de amor, conflito, lealdade e traição que se lê compulsivamente. Uma sensual aventura histórica, repleta de emoção, protagonizada por uma heroína apaixonada e irresistível.

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

3

Série: Game of Thrones (série I)


Winter is coming...

Género: Aventura, Drama, Fantasia
Criadores: David Benioff, D.B. Weiss
Série: 1 (até agora, em 2012 começa a ser filmada a 2ª série)

Cast:

Lena Headey ...
Cersei Lannister

Jack Gleeson ...
Joffrey Baratheon






 




Michelle Fairley ...
Catelyn Stark


Emilia Clarke ...
Daenerys Targaryen


Iain Glen ...
Ser Jorah Mormont


Sophie Turner ...
Sansa Stark

Maisie Williams ...
Arya Stark


Alfie Allen ...
Theon Greyjoy


Peter Dinklage ...
Tyrion Lannister


Sean Bean...
Eddard Stark 

Nikolaj Coster-Waldau ...
Jaime Lannister

Kit Harington ...
Jon Snow


Ron Donachie ...
Ser Rodrik Cassel

Isaac Hempstead Wright ...
Bran Stark

Jason Momoa ...
Khal Drogo

A história é um pouco confusa para contar (já devem ter reparado na infinidade de personagens). Basicamente seguimos 3 "famílias" reais durante a série: Stark, Lannister, e Baratheon. A série começa quando o Rei de Westeros, Robert Baratheon, pede a Lord Stark para ir para o seu reino e servir como Mão do Rei. Curioso e obediente, Lord Stark aceita, e decide investigar a morte (misteriosa) da anterior Mão do Rei. Que segredos esconde a família real? E do outro lado do oceano, o que se propõem os Targaryens a fazer?
E o que é que haverá para além da Muralha do Norte que tanto assusta estas famílias?

Se tivessemos visto os primeiros episódios desta série, antes mesmo de aparecer o genérico, teríamos desligado logo o PC e teríamos ido dormir. Mas isso não aconteceu, e não aconteceu porque fomos levadas por milhares de blogues que, quase todos os dias, nos faziam chegar relatos fantásticos sobre a série. Daí a importância, a nosso ver, de blogues como o nosso. Sem termos lido nada, talvez teríamos perdido uma das melhores séries produzidas pela HBO. 

Claro que a série ainda não acabou, ainda muita coisa pode acontecer e, infelizmente, não lemos os livros, por isso nem sequer podemos adivinhar, mas mesmo que tal aconteça, ficaram-nos as horas bem passadas a ver os episódios desta 1ºa série. 

De destacar o que, a nossa ver, foi o grande ponto fraco da série: as, desnecessárias, cenas de nudez e sexo (mas isso ajuda a "vender", certo?). Infelizmente (para nós que não somos adeptas da introdução destas cenas) é com tristeza que temos notado que estas séries mais "épicas" têm recorrido imenso à nudez (destacamos séries como The Tudors, Camelot ou Spartacus).

Aqui fica o trailer para verem e... esperamos pelos vossos comentários :) 


quinta-feira, 24 de novembro de 2011

5

Livros: PARABÉNS Eça de Queirós


PARABÉNS Eça de Queirós
166º ANIVERSÁRIO DO NASCIMENTO DE EÇA DE QUEIRÓS


(Póvoa de Varzim: 25 de Novembro de 1845 - Paris: 16 de Agosto de 1900)

Talvez um dos problemas de Eça de Queirós é que é um autor de leitura quase obrigatória no sistema de ensino. Nós tivemos a sorte de ler 4 das suas obras, bem antes de termos de o fazer no 12º ano e, talvez por isso, tenhamos uma opinião tão positiva sobre o autor. Mas antes de vos falarmos dos livros que lemos do autor... aqui ficam alguns dados biográficos do autor português que nasceu há 166 anos.

Nome completo: José Maria de Eça de Queirós
Natural de: Póvoa de Varzim
Filho de: José Maria Teixeira de Queirós (Rio de Janeiro) e de Carolina Augusta Pereira d'Eça (Monção)

Um dado curioso é que os pais do escritor não eram casados antes do seu nascimento. O casamento só seria realizado quando o pequeno Eça tinha 4 anos. 
Estudou Direito na Universidade de Coimbra. Em Coimbra, foi amigo de Antero de Quental.
Terminado o curso, foi viver para Lisboa, onde exercia advocacia e jornalismo.
Mais tarde, foi administrador do Concelho de Leiria. Foi aí que escreveu "O crime do Padre Amaro" que se desenrola, precisamente, em Leiria, e que é considerado por muitos como o melhor romance realista português do século XIX.
Aos 40 anos, casa com Emília de Resende, com quem teve 4 filhos: Alberto, António, José Maria e Maria.

Obras do autor:
O mistério da estrada de Sintra (1870)
O Crime do Padre Amaro (1875)
A Tragédia da Rua das Flores (1877-78)
O Primo Basílio (1878)
O Mandarim (1880)
As Minas de Salomão (1885)
A Relíquia (1887)
Os Maias (1888)
Uma Campanha Alegre (1890-91)
O Tesouro (1893)
A Aia (1894)
Adão e Eva no paraíso (1897)
Correspondência de Fradique Mendes (1900)
A Ilustre Casa de Ramires (1900)
A Cidade e as Serras (1901, póstumo)
Contos (1902, póstumo)
Prosas bárbaras (1903, póstumo)
Cartas de Inglaterra (1905, póstumo)
Ecos de Paris (1905, póstumo)
Cartas familiares e bilhetes de Paris (1907, póstumo)
Notas contemporâneas (1909, póstumo)
Últimas páginas (1912, póstumo)
A Capital (1925, póstumo)
O conde de Abranhos (1925, póstumo)
Alves & Companhia (1925, póstumo)
Correspondência (1925, póstumo)
O Egipto (1926, póstumo)
Cartas inéditas de Fradique Mendes (1929, póstumo)
Eça de Queirós entre os seus - Cartas íntimas (1949, póstumo)

Os seus livros estão traduzidos em mais de 20 línguas diferentes.

As obras que lemos do autor foram:
"O crime do Padre Amaro"
"O primo Basílio"
"O tesouro"
"Os Maias"


"O crime do Padre Amaro" - A história de "O crime do Padre Amaro" é bastante conhecida (infelizmente), devido às péssimas adaptações cinematográficas que têm sido feitas. No entanto, a nosso ver, é uma obra fantástica, MUITO bem escrita, que nos impregna na sua leitura e não nos deixa pousar o livro 1 minuto, na esperança de podermos chegar ao fim para conhecer o destino de cada uma das personagens. Trata-se de uma obra polémica, que causou protestos por parte da Igreja Católica (e por parte da avó de uma das autoras deste blogue, que ficou escandalizada quando soube que a neta de 12 anos, andava a ler o livro).



"O tesouro" - O conto "O tesouro", faz parte do livro de contos de Eça de Queirós. Neste conto, o autor reflecte sobre a natureza humana e a sua relação com o mundo material. É um conto, realmente, fantástico.


 "O primo Basílio" - O livro constitui uma análise da família burguesa urbana no século XIX. O autor pretendia, com esta obra, fazer um retrato da burguesia, a fim que esta (que era a que mais livros lia) ao ler o seu romance, se revisse nele e pudesse, desta forma, alterar o seu comportamento (digamos, o Eça tinha veia de psicólogo!).Talvez este tenha sido, dos livros do autor, o que menos interesse nos despertou, e o que menos gostámos. No entanto, existe uma personagem fantástica que nos ficou sempre impressa: a da criada. Mas vejamos como se desenrola a história. Um casal burguês (Jorge e Luísa) tem de separar-se. Luísa permanece em casa (em Lisboa) onde acaba por ter encontros amorosos com o seu primo: Basílio. No meio de umas tantas personagens, surge então Juliana a criada, que atormenta Luísa com chantagens para que não revele o seu segredo.
 "Os Maias" - O livro "Os Maias" é, sem dúvida, um livro delicioso. Sim, as descrições que o autor faz ao longo do livro, dão-nos "cabo da cabeça", mas é esse o seu cunho pessoal. E ele é louvado, também, por isso, e por o fazer muito bem. É talvez a obra mais conhecida do autor Português. A história principal (e inicial) é a seguinte: Afonso da Maia casa-se com Maria Eduarda Runa e com ela têm o seu único filho Pedro da Maia (frágil criatura) que se casa, contrariamente ao desejo do pai, com Maria Monforte. Desse casamento, nascem dois filhos: Carlos Eduardo e Maria Eduarda. Entretanto, Maria Monforte foge com um italiano (Tancredo) levando, com ela, Maria Eduarda. Desesperado, Pedro volta para casa do pai com Carlos, onde comete suicídio (altura em que ficamos completamente arrasados e em que deixamos soltar, por um momento, algumas lágrimas e soluços). E se não imaginam o que vai acontecer de seguida, é muito estranho, porque a história é muito conhecida e, a própria forma como o livro está escrito, nos faz logo antever o que vai acontecer. Mas desengane-se o leitor se pensa que, por a história ser tão previsível, que vamos chegar ao final do enredo em breves instantes, pois o livro é uma beldade com 925 páginas! E porquê? Porque o livro apresenta-nos 3 gerações da família Maia. Foi escrito, numa altura, em que o mundo dava passos importantes no campo das ciências, e Eça de Queirós pega em pormenores interessantes para enriquecer a sua obra (como a questão da hereditariedade genética). A Psicologia também se começava a afirmar melhor nesta altura, e Eça tira proveito disso para criar personagens com personalidades muito distintas e interessantes. É pena ser um livro de leitura obrigatória em algumas escolas pois, se por um lado isso ajuda a fazer com que os alunos tenham contacto com a obra, por outro lado pode gerar animosidade por parte de alguns leitores (menos interessados nas leituras).

Enfim, esperamos com este SUPER post, poder dar a conhecer um pouco do que Eça é e foi para nós, e um pouco do que ele nos deu: horas (longas por vezes) de boa literatura, de diversão, de curiosidade...enfim...de entretenimento de(com) qualidade!

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

2

Livro: Prisioneiro



Título Original: A chemical prison
Ano de edição: 2005
Género: Policial, Romance
Autor: Barbara Nadel
Nº Págs: 385


Este foi o primeiro livro que lemos de Barbara Nadel, mundialmente conhecida como a autora de um livro de que já tínhamos ouvido falar no passado - "O Harém".

A história decorre numa cidade de Istambul dos tempos modernos. É aí que Çetin Ikmen, um conceituado inspector da polícia, é chamado para resolver um crime bastante peculiar: um jovem rapaz aparecera morto no interior de uma mansão em condições misteriosas; o rapaz não apresenta quaisquer sinais de violência tendo, contudo, os membros atrofiados (sinal de que poderá ter passado grande parte da sua vida aprisionado). De facto, o local onde o corpo se encontra tem todas as características de uma verdadeira prisão: as janelas foram pregadas e a porta trancada.
Começa, assim, a investigação de Ikmen e da sua equipa em busca do culpado pela misteriosa morte do rapaz aprisionado. Como é que o jovem foi parar àquela casa? Por que motivo foi feito prisioneiro? Quem é o responsável pela sua morte?

Este livro está longe de ser um dos nossos policiais favoritos, isto porque o segredo de um bom policial está no suspense que nos prende até ao fim para, finalmente, descobrirmos o verdadeiro culpado. A nosso ver, Barbara Nadel falha nessa "missão" pois, ao longo da história, quem for minimamente atento consegue descobrir, sem grandes dificuldades, o verdadeiro culpado do crime. Para piorar ainda mais a situação, o leitor anda um pouco perdido nos primeiros capítulos dada a elevada complexidade dos nomes dos personagens (todos eles turcos), nomes esses que nos confundiram mais do que uma vez até nos conseguirmos habituar.
Como ponto positivo deste livro destacamos o fantástico retrato do país turco, com especial destaque para a cidade de Istambul. Graças a esta história, ficámos a conhecer um bocadinho melhor um país para nós, até à data, algo desconhecido: as suas tradições, diferentes religiões, estereótipos e costumes.
2

Passatempo: Vencedores do 9º Passatempo do FLAMES

Pois é, mais um passatempo terminou e mais três pessoas vão receber o pack de dois livros, gentilmente cedidos pela Chiado Editora: "Diários de um Globe Trotter" e "A Europa era mesmo assim".

                   

Sem mais demoras, fiquem com a lista dos 3 sortudos:

- Pedro Ferraz
- Cátia Almeida
- Mysecretgarden

Parabéns e Boas Leituras!

Até ao próximo passatempo!

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

7

Livro: Sei lá




Ano: 1999
Género: Romance
Autora: Margarida Rebelo Pinto


Quer se ame ou odeie, a verdade é que Margarida Rebelo Pinto é, actualmente, uma das escritoras mais conhecidas no nosso país. Com cerca de um milhão de exemplares vendidos em todo o mundo, devem ser poucos os portugueses que nunca tenham ouvido falar desta romancista por excelência.
O nosso primeiro contacto com as obras desta escritora aconteceu na nossa adolescência quando lemos o livro "I'm in love with a popstar". Na altura, gostámos tanto da obra que decidimos ler outro livro dela. O escolhido foi, nada mais nada menos, que o seu primeiro romance, o livro "Sei lá". Sendo o livro responsável por lançar Margarida Rebelo Pinto para as luzes da ribalta, estávamos à espera de uma boa obra mas, infelizmente, tal não aconteceu...

A história é do mais banal que alguma vez se poderia pensar: um grupo de amigas, muito diferentes entre si, tentam lidar com os seus problemas amorosos...mas com uma grande falta de imaginação. Não falta aqui a solteirona, a casada e com filhos, a mulher dedicada à carreira...enfim, tudo aquilo que já se viu em "milhentos" livros e filmes do mesmo género.

Aquilo que pode ter contribuído para o imenso sucesso desta obra será, a nosso ver, uma grande estratégia de marketing associada a uma escrita extremamente básica e simples que tornou este livro acessível a toda a gente. Contudo, a falta de originalidade e a previsibilidade da história são tais que quase nos dá vontade de passar imediatamente do primeiro para o último capítulo e "resolver logo a questão"
Da nossa parte, a desilusão foi tão grande que, desde essa altura, nunca mais nos "atrevemos" a ler um livro desta escritora. Até pode ser que tenha outros livros melhores mas, por via das dúvidas e porque o nosso tempo para ler não é tanto como gostaríamos, por enquanto não arriscaremos. Se algum dia o faremos no futuro? Sei lá....

domingo, 13 de novembro de 2011

4

Filme: Crazy/Beautiful

Titulo: Crazy/Beautiful
Ano: 2001
Género: Drama, Romance
Realizador: John Stockwell
Cast:
Kirsten Dunst     ...   Nicole Oakley
Jay Hernandez  ...   Carlos Nuñez

Na altura vimos o filme assim que saiu e gostamos bastante. Talvez hoje já não olhássemos para ele da mesma forma. Hollywood está a crescer a uma velocidade vertiginosa, pelo que hoje este filme ter-nos-ia marcado de forma diferente.

A história é um pouco banal, mas prende-nos ao ecrã:

Carlos Nuñez (que na nossa opinião é dos namorados que todas nós gostaríamos de ter), encontra-se e apaixona-se perdidamente por Nicole. Os dois, envolvem-se numa história que é ao mesmo tempo sexy, engraçada, romântica, enfim, linda... mas também louca.

De facto, Nicole (17 anos) é uma rapariga problemática, que gosta de quebrar as regras. Carlos é o contrário, um rapaz atinadinho, lindo, cumpridor das regras. Ambos estão apaixonados, mas o comportamento de Nicole ameaça a relação. Conseguirão os dois ultrapassar as suas diferenças, e viver um amor inesquecível?

Bom, fiquem com o trailer. Está horrível, mas foi o melhor que conseguimos arranjar:


quinta-feira, 10 de novembro de 2011

2

Entretenimento: Tosh.0


Género: Comédia
Ano de estreia: 2009
País de Origem: E.U.A.


Se "Important things with Demetri Martin" é um dos nossos programas favoritos, "Tosh.0" tem que ser considerado mesmo o nosso programa favorito da Comedy Central!
Foi há cerca de dois anos que ficámos a conhecer este programa e o "vício" nunca mais parou... adoramos TUDO em Tosh.0!
Para quem não conhece (o que deverá ser o caso da maioria das pessoas), Tosh.0 é um programa de comédia apresentado por Daniel Tosh, um jovem com um excelente sentido de humor e um grande jeito para a apresentação, cujo objectivo principal é o de rever os vários vídeos que circulam na internet. Em cada episódio, são-nos apresentadas várias rúbricas, tal como por exemplo: "video breakdown", que consiste numa revisão, passo-a-passo, de um vídeo que, de alguma forma, correu "muito mal" para os seus protagonistas"; "20 seconds on the clock", durante a qual Daniel Tosh faz o maior número possível de hilariantes comentários durante 20 segundos acerca de um vídeo; "web redemption" (a nossa rúbrica preferida), na qual Daniel nos apresenta um dos vídeos mais famosos de sempre na internet e vai ter com o(s) seu(s) protagonista(s) para lhe(s) dar uma nova oportunidade de repetir o que foi feito no vídeo mas, desta vez, sem que as coisas corram (pateticamente) mal como no vídeo original; entre muitas outras rúbricas.

Este é um programa que, certamente, agradará aos apaixonados por sites como o youtube e que não perdem a oportunidade de conhecer os mais engraçados vídeos, tudo "pelas mãos" de um grande comediante - Daniel Tosh.

Se quiserem ver algumas partes do programa, acedam ao site oficial da Comedy Central: http://tosh.comedycentral.com/

Enjoy!

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

5

Filme: As Aventuras de Tintin - O Segredo do Licorne


Ano: 2011
Título original: The Adventures of Tintin - The secret of the unicorn
Realizador: Steven Spielberg
Vozes:
Jamie Bell Jamie Bell ...
Tintin
Daniel Craig Daniel Craig ...
Ivanovich Sakharine
Simon Pegg Simon Pegg ...
Inspector Thompson
Cary Elwes Cary Elwes ...
Pilot
Andy Serkis Andy Serkis ...
Captain Haddock


Data de lançamento: 27 Outubro 2011




Duração: 107 minutos












Ontem, para nos distrairmos um pouco, fomos ao cinema, e acabámos por ver o filme do Tintin. Não íamos com nenhuma expectativa, e deve ter sido por isso que ficámos agradávelmente surpreendidas. 
O filme foi extremamente divertido, rimo-nos muito (nós, e o resto das pessoas no cinema). No entanto, acreditamos que algumas pessoas (especialmente os fãs da banda desenhada) tenham ficado desiludidas (para isso, ficamos à espera da vossa opinião, fã do Tintin) :) 

Algumas cenas de aventura eram extremamente complexas e confusas, mas isso acabava também por dar piada a todo o filme. Ah, e claro que virá aí sequela (ou o final do filme não seria assim). 

Continuamos com alguma relutância em ver filmes em 3D, mas era a única hipótese que tínhamos para podermos ver a versão inglesa (a francesa não nos chamava muito à atenção). Ah, mas cuidado, porque o nome das personagens em inglês é diferente das originais. Enfim, pareceu-nos um óptimo filme para passarmos um bom tempo, e claro, aconselhamos vivamente que o vão ver :)

Ah, e ficamos aqui à espera da vossa preciosa opinião (e não se esqueçam de participar no passatempo).

Aqui fica o trailer:



quinta-feira, 3 de novembro de 2011

5

Livro: Sonetos Completos




Título da colectânea: Sonetos Completos                        
Livros incluídos: Livro de Mágoas
                             Livro de Sóror Saudade
                             Charneca em Flor
                             Reliquiae
Ano de Edição: 1934
Género: Poesia
Editora: Livraria Gonçalves
Autor: Florbela Espanca






"Quem me dera encontrar o verso puro,
 O verso altivo e forte, estranho e duro,
 Que dissesse a chorar isto que sinto!"

                                       (Florbela Espanca)


A poesia está longe de ser o nosso género literário favorito. Contudo, há nomes incontornáveis da literatura portuguesa que nos sentimos quase que "obrigadas" a ler, quanto mais não seja para podermos falar do assunto.
Há muito que tínhamos ouvido falar de Florbela Espanca: eterna sofredora, passou a sua vida mergulhada numa profunda depressão, ao mesmo tempo que lidava com os seus vários amores e desamores. Acabaria por terminar com a sua própria vida ainda muito jovem (com 36 anos de idade), não sem antes nos deixar uma vasta obra que, ainda hoje, muitos admiram e continuam a estudar.
Decidimos ler esta colectânea pois quisemos ficar a par dos vários livros de poesia (sim, pois Florbela não se ficou pela poesia, tendo também deixado várias obras em prosa) que a autora escreveu. 
Sem sermos especialistas na matéria (longe disso!), ficámos agradadas com a maior parte dos textos escritos pela autora: uma escrita simples mas, ao mesmo tempo, completa e bela, ao longo da poesia de Florbela; por momentos, quase que conseguimos sentir aquilo que a malograda escritora sentiu aquando da criação dos seus versos.
Deixamos, no entanto, um conselho para quem queira ler esta colectânea, ou um dos seus livros: informem-se, em primeiro lugar, da biografia de Florbela Espanca pois só dessa forma conseguirão perceber na perfeição os motivos que levaram a escritora a escrever todos os seus poemas (completamente auto-biográficos).

Boas leituras!  

terça-feira, 1 de novembro de 2011

1

Passatempo: 9º Passatempo do FLAMES

O FLAMES em parceria com a CHIADO EDITORA tem para oferecer não 1, nem 2 mas....

3 PACKS de 2 LIVROS aos sortudos que responderem ao SUPER-SIMPLES formulário que se encontra em baixo!

O livros que compõem o pack são os seguintes:


segunda-feira, 31 de outubro de 2011

4

Anime: O Meu Vizinho Totoro

Título: O Meu Vizinho Totoro
Título Original: Tonari no Totoro
Ano: 1988
Escritor e Realizador: Hayao Miyazaki
Género: Animação e aventura
Duração: 86 minutos


Este foi dos animes que mais nos surpreendeu. Surreal e delicado, consegue prender-nos ao ecrã não só pelas personagens que nos apresenta, mas também pelo invulgar história que nos conta.

Duas meninas (Satsuke e Mei) mudam-se para uma outra casa (no campo) com o seu pai, por forma a poderem estar mais perto do Hospital onde a mãe se encontra internada. E é nesse novo lugar que encontram uma floresta mágica, habitada por estranhas criaturas (os Tototos). E é com eles, que estas duas meninas têm pequenas mas mágicas e inesquecíveis aventuras.

Este foi o primeiro anime que vimos de Miyazaki e ficámos logo fãs, tendo visto todos os seus outros trabalhos. Atenção porque Miyazaki não é um realizador de filmes com muita acção, muitas peripécias, muita história. As suas obras são calmas e delicadas, mas é também isso que gostamos nele.

Aqui fica o trailer:


quinta-feira, 27 de outubro de 2011

3

Filme: Os três mosqueteiros



Título Original: The three musketeers
Ano: 2011
Género: Aventura, Acção, Romance
Realizador: Paul W. S. Anderson


Filmes sobre os famosos três mosqueteiros e o seu companheiro D'Artagnan já todos estamos fartos de ver, aliás, quem já não ouviu vezes sem conta a máxima "um por todos e todos por um"? Bem, foi exactamente com este espírito que fomos ver este filme a semana passada (depois de insistirem connosco para vê-lo), e foi por isso mesmo que tivemos uma agradável surpresa! 

A história gira em torno de um colar de diamantes que, se não for recuperado pelos mosqueteiros, poderá originar uma guerra entre França e Inglaterra. Tudo isto porque o cardeal de Paris, o Cardeal de Richelieu, arquitectou um plano maquiavélico que, se resultar, fará  com que o jovem e ingénuo rei de França pense que a sua rainha o anda atraír com o chefe do seu país rival, o George Villiers.

Até aqui nada de novo, dirão vocês. De facto, a história base para este filme não é muito original. Contudo, aquilo que nos fez gostar do filme foram as constantes reviravoltas que a história toma ao longo da trama. Quando achávamos que ia surgir um cliché típico deste tipo de filmes, eis que algo que não estávamos à espera acontecia e nos deixava surpreendidas e entusiasmadas! Os pequenos apontamentos de comédia, que nunca faltam nestes filmes, também serviram para torná-lo mais divertido.
Só houve um aspecto de que não gostámos tanto: em algumas cenas, a banda sonora escolhida foi bastante despropositada (não se justifica que, em cenas de relativa acalmia, de repente começasse uma música épica que mais fazia lembrar o clímax de uma grande batalha). Mas, tirando este pequeno pormenor, achamos que este filme, com certeza, agradará à maioria dos fãs da história dos lendários mosqueteiros, pois não faltam aqui os grandes duelos de espadas, os grandes palácios com a alta nobreza e as belas paisagens e monumentos da cidade berço dos mosqueteiros - Paris.

Fiquem com o trailer:



                                                                                                                                                                                        


segunda-feira, 24 de outubro de 2011

0

Livro: O Chalé de Cork


Título: O Chalé de Cork
Autor: Quinto Arantes
Edição: 2010
Nº de páginas: 68

    Não lemos este livro por conhecermos o autor, nem por nos terem falado nele. Houve algo neste livro que não nos fez resistir: foi o facto de uma parte das receitas deste livro reverter a favor de uma associação: a AMA (e nós nunca ficamos indiferentes a estas coisas).
    O livro está muito bem escrito, mas talvez tenha um defeito: é que nos cria muitas expectativas e depois termina abruptamente (e nós somos curiosas e queríamos mais) ;).

   No entanto é um livro giro, escrito em português (por um português) e que pretende ajudar uma associação (o que é que queríamos mais?) ;).

   A história é muito simples: o protagonista sai da sua terra natal para se tentar encontrar como pessoa. Na tentativa de responder à sua crise existencial, refugia-se numa comunidade agrícola, com regras muito especiais... Uma comunidade no verdadeiro sentido da palavra, onde os sentimentos e as emoções, os laços e as tarefas são partilhadas por todos. 

Um livro pequenininho que aconselhamos a todos a ler ;) 

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

0

Entretenimento: Important things with Demetri Martin


Ano de Estreia: 2009
Nº Temporadas: 2


Vamos correr o risco de falar de um programa muito pouco conhecido em Portugal. Contudo, não conseguimos evitar fazê-lo pois este é, sem dúvida, um dos nossos programas televisivos preferidos de sempre!
Em "Important things with Demetri Martin" o apresentador, o próprio Demetri Martin, fala-nos das coisas mais importantes da vida (ou melhor, as que ele considera importantes...) sob um ponto de vista muito original e caricato. Comediante nato, Demetri consegue surpreender-nos a cada episódio com as conclusões mais absurdas e engraçadas acerca de TUDO o que conseguirem imaginar. Não há um assunto que ele não aborde e fá-lo sempre de uma forma divertida e, surpreendentemente, lógica.
Ainda está para ser feito o episódio deste programa que não nos faça rir às gargalhadas, tal é o talento, sagacidade e inteligência de Demetri Martin.

Para quem nunca ouviu falar deste programa mas ficou curioso, aqui fica o link da Comedy Central através do qual podem ver vários sketchs de "Important things with Demetri Martin". Divirtam-se!!!

1

8º PASSATEMPO do FLAMES: RESULTADOS

Obrigada a TODOS os 120 Participantes neste passatempo!!

A vencedora é a MARISA FERREIRA!!! Parabéns Marisa. Vamos entrar em contacto contigo pelo e-mail!

Por favor, continuem a vir ao FLAMES e a participar nos nossos passatempos.

domingo, 16 de outubro de 2011

1

Livro: Não sei como ela consegue


 A Editorial Presença está a oferecer um destes livros a um dos nossos leitores. Também nós lemos o livro, mas antes de vos deixarmos a nossa opinião, aqui fica o que se encontra na capa do livro:

“Kate Reddy trabalha numa das mais antigas e distintas instituições do coração financeiro de Londres, a Edwin Morgan Foster. Para esta mulher de sucesso, o dia devia ter no mínimo 48 horas! É que ser casada e mãe de dois filhos exigentes (a Emily de 5 anos e Brian de 1) não é tarefa fácil para quem quer manter-se no topo de uma empresa igualmente exigente.
Kate está habituada a contar os segundos tal como as outras mulheres contam calorias, sendo apenas uma vitima da “falta de tempo” que afecta milhões de mães que trabalham neste inicio do século XXI. Desde as empadas caseiras que tem de fazer para a filha levar para a festa da escola, até lembrar-se de verificar o Dow Jones, cancelar tratamentos de beleza e arranjar tempo para sexo, Kate vive numa constante corrida contra o tempo! A sua única distracção consiste nos e- mails que recebe de um cliente seu admirador…
Deixe-se impressionar por esta hilariante tragicomédia sobre o sucesso, contada na primeira pessoa sob a forma de diário, um pouco ao estilo de O Diário de Bridget Jones. Tal como este bestseller, Não sei como ela consegue foi objecto de uma adaptação ao cinema com estreia em 2011…”

e nós cá deixamos o trailer:




Relativamente à nossa opinião do livro: Gostámos muito de o ler. 
Não sendo o nosso estilo de livro, tem uma leitura simples e cativante que nos faz desligar um pouco da realidade (sejamos sinceras, também nós nos sentimos um pouco como Kate). O livro, muitas vezes, tem termos, expressões e referências que não conhecemos bem devido ao facto de não sermos de Inglaterra, mas as notas de rodapé oferecidas pela tradutora do livro fazem toda o sentido e integram-nos ao longo da leitura. É também um livro bastante divertido e irónico e, talvez por a autora ser jornalista, a escrita é muito simples e fluida. É escrito na primeira pessoa, o que também ajuda à fluidez da leitura, e alterna descrições da protagonista com e-mails que envia (e as suas respostas), que têm a função de quebrar um pouco o tipo de escrita; bem como as listas que Kate vai fazendo (que temos a certeza que muitas meninas que estão a ler isto também fazem). 

É um livro interessante, que nos afasta um pouco do nosso dia-a-dia e nos faz conhecer a realidade de Kate que, cada vez mais, se assemelha ao dia-a-dia de muitas das mulheres de sucesso de hoje. Não somos mães, mas a autora tenta também, com o livro e usando ironia e bom humor, dar algumas “dicas” para mães atarefadas como ela. 

Ah, e ser virem o filme, não se esqueçam de dar uma espreitadela também ao livro. Ainda não o vimos, mas somos apologistas de que, em geral, o livro costuma valer sempre mais a pena. 

Alguém leu o livro? Estão a pensar ler? O que acham? E aproveitem para tentar ganhar um exemplar participando no nosso 8º passatempo!

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

6

Série: Camelot



Título Original: Camelot
Ano: 2011
Nº Episódios: 10
Género: Drama, Histórico, Fantasia
Produtor: Michael Hirst e Chris Chibnall


Há muito tempo que não desistíamos de ver uma série, mais precisamente desde "Heroes". Mas a verdade é que "Camelot" não nos deu outra hipótese...

Tinha tudo para ser uma grande série: baseada na lenda de Camelot, a história apresenta-nos Arthur, um jovem criado como pebleu que, na verdade, é o filho herdeiro do rei Uther. Quando o governante morre, o feiticeiro Merlin decide encontrar o jovem e transformá-lo no rei que ele sempre foi. Contudo, a tarefa de Arthur não será fácil pois a sua meia-irmã Morgana, uma perigosa feiticeira, estará disposta a tudo para ficar com o trono. 


O nosso fascínio por histórias da época medieval levou-nos a aguardar com imenso entusiasmo pela estreia de "Camelot" desde o primeiro dia em que ouvimos falar dela. Contudo, tal como se costuma dizer, "quanto mais alto o vôo maior a queda".
Os episódios são extremamente aborrecidos e dolorosamente previsíveis. Se estivessemos  na década de 90, esta série teria tudo para ser um sucesso, mas a elevada qualidade das séries dos dias de hoje não nos permite ter paciência suficiente para ver os 10 episódios de "Camelot" (desistimos ao fim do 6º episódio).
E, pelos vistos, não fomos as únicas a não ficar agradadas com esta história pois soubemos há pouco que a série foi cancelada e não serão feitos mais episódios. A isto chamamos "uma óptima decisão"!

Fiquem com o trailer que nos "enganou":

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

2

8º PASSATEMPO do FLAMES


    A Editorial Presença vai publicar no dia 18 de Outubro de 2011 o livro "Não sei como ela consegue". O FLAMES ainda não teve oportunidade de o ler para vos dar a nossa opinião, mas irá fazê-lo e irá postar aqui o que acha do mesmo. 

   Mas porque o FLAMES não gosta de ler sozinho, a Editorial Presença teve a gentiliza de nos dar 1 EXEMPLAR do livro para que um dos nossos leitores o possa levar para casa para ler. 

  Queres ganhar este livro? Então preenche o formulário em baixo. 
  Entretanto, vamos deixar algumas informações sobre o livro:

Título: Não Sei Como Ela Consegue
Autora: Allison Pearson
Preço com IVA: 16,90€



Ocorreu um erro neste dispositivo

1%

1%