Envie esta página a um amigo!

quarta-feira, 29 de agosto de 2018

0

Livro: Eléctrico 28 (Davide Cali & Magali le Huche)



Título: Eléctrico 28
AutorDavide Cali
ISBN: 9789896656270

Edição ou reimpressão: 07-2018
Editor: Nuvem de Letras
Idioma: Português
Dimensões: 234 x 294 x 10 mm
Encadernação: Capa dura
Páginas: 40

SINOPSE

Apanha o mítico Eléctrico 28 de Lisboa com os passageiros mais apaixonados da cidade para um passeio cheio de surpresas por uma das cidades mais românticas do mundo.

Um guia ilustrado sobre as colinas da cidade de Lisboa.

Uma homenagem a Lisboa, uma declaração de amor a uma das cidades mais trendy do momento.


OPINIÃO
(Roberta Frontini) 

Como muitos sabem eu sou perdida por livros infantis. Quando este chegou cá a casa fiquei em êxtase: adoro livros grandes, com cores fortes! Mais ainda, adoro livro que exaltem as coisas boas do nosso país e que aliem isso a uma boa história. E esta história é absolutamente deliciosa. 

Apesar de se passar em Lisboa, a personagem principal é italiana... aliás, trata-se de um condutor de eléctricos um italiano e muito romântico. É, de facto (e contrariamente ao que à primeira vista se pode antever) um livro sobre apaixonados e sobre o amor.. sobre as dificuldades que por vezes podemos sentir, e sobre a importância de temos, às vezes, "uma mãozinha" para nos ajudar. Porque nestas "coisas" do amor, às vezes um empurrãozinho pode fazer a diferença.

Escrito para crianças, mas que promete fazer as delícias dos mais velhos, este livro fez-me sorrir e deu-me uma vontade irresistível de, um dia, também eu ir dar uma voltinha do Eléctrico 28. E tenho a certeza que enquanto lá estiver, olharei à minha volta à procura de todas aquelas personagens que habitam as páginas deste livro encantado, especialmente o fantástico Amadeo. 

domingo, 26 de agosto de 2018

0

[DIVULGAÇÃO] - Livro: Monteperdido



Título: Monteperdido - A vila das meninas desaparecidas
Autor: Agustín Martínez
ISBN: 9789896655532

Edição ou reimpressão: 07-2018
Editor: Suma de Letras
Dimensões: 150 x 228 x 35 mm
Páginas: 464

SINOPSE


Um thriller psicológico absorvente e de ritmo cinematográfico.

Ana e Lucía, duas amigas de onze anos de uma pequena aldeia dos Pirenéus, abandonam a escola e vão para suas casas. Mas nunca chegam ao seu destino. 

Cinco anos mais tarde entre os despojos de um acidente de carro, num desfiladeiro próximo a Monteperdido, aparecem o corpo de um homem e uma adolescente gravemente ferida e desorientada. 

É Ana, uma das meninas que desapareceu há muito tempo. 

Enquanto toda a aldeia tenta assimilar o rumo dos acontecimentos, o caso é reaberto.

quarta-feira, 15 de agosto de 2018

4

[OPINIÃO] Livro: Meridiano 28



Título: Meridiano 28
Autor: Joel Neto
ISBN: 9789898886194
Edição ou reimpressão: 05-2018
Editor: Cultura Editora
Idioma: Português
Dimensões: 150 x 229 x 26 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 424

Sinopse 

Em 1939, o mundo entrou em guerra. Foi o conflito mais mortífero da história da humanidade. Mas, na pequena ilha açoriana do Faial, ingleses e alemães conviveram em paz durante mais três anos. Eram os loucos dos cabos telegráficos. 
Do mar em frente emergiam os periscópios de Hitler. Dezenas de navios britânicos eram afundados todos os meses. Já em terra, as crianças inglesas continuavam a aprender na escola alemã, dividindo as carteiras com meninos adornados de suásticas. As famílias juntavam-se para bailes e piqueniques.
Os hidroaviões da Pan American faziam desembarcar estrelas do cinema e da música, estadistas e campeões de boxe. Recolhiam-se autógrafos. Jogava-se ao ténis e ao croquet. Dançava-se o jazz.
Viviam-se as mais arrebatadoras histórias de amor.

Poderia um agente nazi ter-se escondido nos Açores, consumada a derrota de Hitler?

QUEM FOI HANSI ABKE?
QUE SOMBRA LANÇA HOJE SOBRE O DESTINO DE JOSÉ FILEMOM MARQUES, O SOBRINHO CRIADO NO BRASIL?
Um romance que vai de Lisboa a Nova Iorque, de Friburgo a Praga, de Bristol a Porto Alegre e às ilhas açorianas, onde todos são descobertos e ninguém pode ser apanhado.
Um reencontro entre dois homens de tempos distintos e que talvez tenham mais em comum do que aquilo em que gostariam de acreditar. Uma memória das mulheres que amaram e talvez não tenham sabido fazê-lo.

Opinião 
Roberta Frontini

Eu já fui aos Açores! A primeira vez foi em 2016 quando li Arquipélago (http://flamesmr.blogspot.com/2016/02/livro-arquipelago-joel-neto.html). A segunda foi, novamente, em 2016 quando li A vida no campo (http://flamesmr.blogspot.com/2016/06/livro-vida-no-campo-joel-neto.html). Esta terceira vez foi ainda mais especial, com a leitura de Meridiano 28, e as razões que o tornaram ainda mais especial para mim não serão aqui explicadas. Não, eu nunca fui (fisicamente) aos Açores, mas eles já habitam no meu imaginário graças ao Joel. 

É sempre ingrato para mim quando falo num livro ou num autor que me tocam tanto. Tenho muito para dizer mas nada sai de jeito. 

Penso que posso afirmar que, apesar de Meridiano 28 também se passar nos Açores, este livro se destaca dos anteriores, porque impregna uma atmosfera diferente. Existe muito suspense (como existia em Arquipélago sim), mas a época é outra, e a viagem que vamos fazendo no tempo também é distinta. O final, como sempre, é surpreendente. 

É a história de um livro, dentro de um livro… Mas já me estou a precipitar. Falo-vos primeiro da história ou da escrita soberba e consistente do Joel? De todas as referências musicais, cinematográficas e literárias que percorrem as páginas do livro? Ou devo falar-vos da forma como Joel Neto nos engana sem que nos apercebamos disso? Ou das referências histórias que nos são colocadas à frente, de forma tão sublime, que em nada se assemelha com outros livros que parecem querer dar-nos uma aula de História contra a nossa vontade? Em nenhum momento me senti entediada ou aborrecida com as descrições espaciais e as referências históricas. Talvez falar-vos-ei da forma como o autor estuda a nossa própria condição de humano e de como chega a tentar desvendar um pouco da mente humana, das relações familiares e amorosas… enfim… Não vos falarei de nada. Direi apenas que, mais uma vez, Joel Neto criou uma obra de arte. Um livro sobre guerra, sobre paz e sã convivência, mas também sobre o que é crescer e tornar-se adulto. É sem dúvida uma obra extremamente completa e rica onde facilmente compreenderão o estudo que o autor fez e onde a ficção e a realidade se misturam ao ponto de já não sabermos o que ocorreu realmente ou o que é imaginação. Nota-se que é um livro cuidado e muito trabalhado. 

Posso apenas imaginar o que sentirão, as pessoas que moram nos Açores e que viveram estas alturas, ao lerem este livro. Deve ser uma sensação maravilhosa reviver um pouco aquela atmosfera que lhes poderá ser tão familiar (e que para mim é absolutamente desconhecido)… 

A caracterização das personagens está irrepreensível, assim como todo o enquadramento temporal e espacial que denota um claro conhecimento dos locais e um enorme estudos dos mesmos. 

Enfim, Joel Neto é um dos poucos autores mundiais que consegue escrever uma obra que contem tanta coisa, e onde consegue tornar uma ilha numa personagem por si só. É um dos poucos autores que me faz experienciar inúmeras emoções distintas ao contar uma história de poderia ser perfeitamente real.

quarta-feira, 8 de agosto de 2018

0

[OPINIÃO]: Livro: Praias escondidas Lisboa



Título: Praias Escondidas - Lisboa
Autor: Robert Butler e Andy Mumford
ISBN: 9789896921392
Edição ou reimpressão: 06-2018
Editor: Arte Plural Edições
Idioma: Português e Inglês
Dimensões: 149 x 233 x 14 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 192

SINOPSE

Lisboa é uma das mais fascinantes e carismáticas capitais europeias, mas para lá das suas ruas sinuosas e dos seus esplêndidos miradouros, a apenas uma hora de carro em direção a oeste ou a sul, encontram-se das mais deslumbrantes praias da Europa.

Mas atenção: apesar de esta região ter sido abençoada com belíssimos areais, perfeitos para banhos de sol, ir à praia pode ser bem mais do que isso, e em Praias Escondidas vai descobrir sugestões para as explorar de uma forma diferente. De passeios de caiaque a caminhadas com o seu cão e a snorkeling em águas cristalinas, encontrará aqui indicações sobre praias para todos os gostos, sejam areais "selvagens", enseadas isoladas ou baías recônditas. E se o que gosta mesmo é de passar horas ao sol ou a dar belos mergulhos… bom, este livro também é para si!

Com informação detalhada sobre 32 maravilhosas praias a oeste e a sul de Lisboa, listas de locais ideais para uma vasta gama de atividades e fantásticas fotografias, Praias Escondidas é o seu guia essencial para ficar a conhecer a fundo o nosso belíssimo litoral.



OPINIÃO 

Roberta Frontini

Só muito recentemente comecei a ficar fascinada por Portugal. Antes tinha um pouco a mania que lá fora tudo era melhor... apesar de tudo continuo com alguma dificuldade em tomar banho nas praias portuguesas. Adoro ir à praia, e ando a roer-me toda por, este ano, o tempo não ter estado tão bom como o ano passado. De facto, o ano passado consegui desfrutar imenso do sol e das praias portuguesas, mas tomar banho no oceano é ainda uma aventura para mim. 



Apesar de tudo, nos últimos anos, tenho descobertos praias lindas em Portugal. Desde o Algarve até Setúbal, a praia da Anicha (que consta aqui nesta obra) ou mesmo Tróia. Por isso quando vi este livro fiquei absolutamente abismada. Mais fiquei quando o comecei a folhear e vi as fotografias que continha... 



É muito difícil falar-vos neste livro, ou melhor, acho que é muito difícil conseguir expressar o que ela contém. É mesmo daqueles livros que é preciso tocar, folhear, cheirar (e sim, este livro tem mesmo aquele cheiro típico dos livros novos, que deixa qualquer livrólico extasiado).

Posso dizer-vos que este livro deveria vir com um aviso chamativo na capa: ALERTA - este livro vai dar-vos um impulso enorme de fazer uma mochila pouco recheada e partir à aventura. 

De facto esta foi a sensação que o livro me deu à medida que o ia folheando. É um livro que nos dá uma enorme vontade de partir à descoberta, à aventura de lugares desertos e paradisíacos. Não nos apresenta aquelas típicas praias onde nos podemos deitar e tentar descansar tentando desligar do barulho de todas as pessoas que nos rodeiam. Não - O livro apresenta-nos praias pouco conhecidas onde poderemos desfrutar de uma vista esplêndida e de alguma paz de espírito, enquanto contemplamos o maravilhoso oceano (provavelmente pouco acompanhados).

Este é um guia prático que divide as praias por zonas: Sintra Norte, Sintra Oeste, Costa de Lisboa, Cabo Espichel e Arrábida. Há praias para todos os gostos e para todos os tipos de pessoas: há enseadas, há praias para se distender ao sol e desfrutar de um espaço sereno, há baías isoladas ou mesmo praias perfeitas para passear com a família inteira. O livro trás ainda um capitulo com informação essencial e um pedido para desfrutarmos da natureza da melhor forma, sem a violarmos. O capítulo das informações é extremamente útil, especialmente porque uma grande parte destas praias não é vigiada. Ler estas dicas torna-se, assim, extremamente útil e conferem ao livro um carácter ainda mais prático e informativo. Juntamente às fotos maravilhosas que compõem o livro encontramos ainda um mapa que nos ajuda a situar geograficamente as praias. Depois o livro divide-se em capítulos. O primeiro sub-divide-se em tipos de praias próprios para determinada actividade (exemplo: aventura) e no início de cada capitulo existe uma espécie de top 5 das melhores praias, juntamente com alguns alertas na secção "não esqueça". No capítulo seguinte, são apresentadas as praias com muita informação útil para além das fotos maravilhosas e das descrições das mesmas. 

O livro encontra-se escrito em Português e em Inglês, o que é sem dúvida uma mais valia para esta obra. Enfim, preparem-se para ler este livro e criar uma lista das praias que vai querer visitar. O dia encaminhar-vos-á!

sábado, 4 de agosto de 2018

quarta-feira, 1 de agosto de 2018

0

#MLPalavrasdeVerão: A minha participação





O FLAMES em parceria com o LinkedBooks, e com a preciosa ajuda dos maratonistas da #ML122dias que nos sugeriram frases sobre o Verão, criou a Maratona #MLPalavrasdeVerão. 



Para se inscrever basta pedir para aderir a este grupo , e fica automaticamente inscrito - https://www.facebook.com/groups/MLPalavrasdeVerao/



***DESAFIOS***



1 ÁGUA - Ler um livro que tenha elementos de água na capa.

Páginas: 232


2 AMIGOS/FAMÍLIA - Ler um livro emprestado ou recomendado por um amigo ou por um familiar.



3 ANIVERSÁRIOS/FESTAS/BAILARICOS - Ler um livro que te foi oferecido ou que gostarias que te tivessem oferecido.
Páginas: 424


4 AVENTURAS/COMBOIO/ PASSEIOS - Ler um livro de um género literário que nunca leste ou que raramente lês.
Páginas: 102
(Nota: Comecei a ler este livro na página 139)


5 AZUL - Ler um livro cuja capa seja maioritariamente azul.


6 CAIPIRINHA - Ler um livro de um autor brasileiro ou cuja acção decorra no Brasil.

7 CALOR - Ler um romance, uma história de amor, ou um livro erótico.

8 CAMPO/RIOS/SERRAS - Ler um livro cuja acção decorra maioritariamente na natureza, ou cuja capa tenha elementos de natureza.


Páginas: 179

9 CHURRASCO/GRELHADOS/CONVÍVIOS/ESPLANADAS - Ler um livro cuja capa ou título tenha coisas de comer ou de beber.

10 COR - Ler um livro com tema LGBT.
Páginas: 275

11 DESCANSO - Ler um livro que já andes para ler há muito tempo.

12 DIVERSÃO - Ler um livro do teu género preferido.

13 FÉRIAS - Ler um livro com menos de 100 páginas.


Páginas: 93



14 GARGALHADAS/BOA DISPOSIÇÃO - Ler um livro de humor, cómico ou divertido.



15 LIVROS/LER - Ler um livro de um dos teus autores favoritos.

Páginas: 160 páginas

16 MAR/PESCADORES/PASSEIOS DE BARCO - Ler um livro cuja capa tenha um qualquer animal aquático.

17 NOITADAS/NOITES NA RUA - Ler um livro "de vampiros", de terror, um livro "negro" ou um livro cuja capa seja maioritariamente preta.
Páginas: 661 páginas

18 PAZ - Ler um livro com a palavra Paz no título, ou cujo título tenha letras com as quais se pode formar a palavra "Paz".

19 SANGRIA - Ler um livro de um autor espanhol ou cuja ação se desenrole em Espanha.
Páginas: 845 páginas

20 SOL - Ler um livro cuja capa seja maioritariamente amarela, com “Sol” no título, ou cujo título tenha letras com as quais se pode formar a palavra "Sol"


21 VIAGENS/REGRESSO AO PAÍS DE ORIGEM - Ler um livro passado num país que já visitaste, que gostarias de visitar, ou passado no teu país natal.


Páginas: 141



DESAFIOS EXTRA

(A cada desafio acresce 25 páginas)



As fotos deverão ser partilhadas ou no instagram, ou no facebook com a hastag #MLPalavrasdeVerão



PRAIA/PISCINA
Tirar uma foto na praia ou na piscina com o livro que estão a ler no momento
Páginas extra: 25

ALEGRIA/SORRISOS/FELICIDADE
Tirar uma foto que mostre como os livros te fazem sentir feliz!

PIQUENIQUES
Tirar uma foto do teu livro a fazer um piquenique 
Elementos obrigatórios da foto: uma toalha de piquenique e o teu livro do momento.

AR LIVRE/CÉU AZUL
Troca um livro numa cabine de leitura, requisita um livro numa biblioteca ao ar livre ou compra um livro numa feira de rua/banca ou quiosque. Valem outras modalidades desde que consigas obter um livro na rua e que tires foto para comprovar esse feito

GELADOS
Foto com o teu gelado preferido (ou um dos...) e o livro do momento
Páginas extra: 25


***REGRAS***

A Maratona "Palavras de Verão" terá início no dia 22 de Junho e terminará no dia 22 de Setembro.

Só se pode ler 1 (UMA) graphic novel, mangá ou banda desenhada.

A "leitura" de AudioBooks está também limitada a 1 (UM) AudioBook.

Cada livro conta apenas para 1 (UM) desafio (ou seja, o mesmo livro não pode ser contabilizado para 2 desafios diferentes).

Terminada a maratona, o participante terá até ao dia 30 de Setembro para fazer o update e publicar ou enviar-nos a informação (este ficheiro preenchido) para se poder habilitar a ganhar um dos prémios.

Atenção: nesta maratona haverá apenas UMA volta. A pessoa, quando terminar todos os desafios, NÃO pode recomeçar a maratona, MAS poderá substituir as leituras realizadas. Por exemplo, se já tiver completado uma categoria com um livro de 100 páginas, pode voltar a cumprir o desafio com outro livro de número superior de páginas (Só o livro com maior número de páginas irá contar).

Quem conseguir fazer todos os desafios (gerais e extras) ganha um bónus de 250 páginas lidas.

Para efectuar a contagem de páginas vale o número de páginas numeradas da edição do livro que efectivamente leram.

Em caso de dúvida consulta os dados associados ao ISBN do livro ou ao ASIN do audiobooks. Ebooks vale as páginas da edição ebook que leram (verificar ISBN em caso de dúvida).

TOTAL: 

3162 Páginas
8 Livros
0

129ª Entrevista do FLAMES: Moonspell (respostas por Fernando Ribeiro)


Moonspell 
(respostas por Fernando Ribeiro) 


Que artistas mais vos inspiram? 
Acho que são muitos para nomear todos mas eu consigo dar só uma mão cheia deles que fizeram mesmo a diferença para nós: BATHORY, CELTIC FROST, TYPE O NEGATIVE, ROOT, FIELDS OF THE NEPHILIM 

Há algum local onde gostariam muito de ainda vir a tocar? 
Temos algumas lacunas especialmente muita da Ásia e a Austrália mas, na verdade, acho que já tocámos em mais sítios do que alguma vez esperaríamos. Pessoalmente, gostaria de tocar no Irão com a Orquestra Nacional de Teerão, não sei porquê, tem-me passado isso pela cabeça. 

Lembram-se de alguma situação caricata que tenha ocorrido num concerto e que gostariam de partilhar? 
Tocar é estar sempre num arame, as coisas não são assim tão previsíveis ou nem tudo está sobre controlo. Tivemos cenas altamente caricatas, claro, quedas, desmaios, pregos e das melhores que me lembro ultimamente foi ver o Pedro Paixão fora dos teclados a ver a Alma Mater da plateia em S. Paulo e depois regressar ao palco mesmo a tempo da entrada de teclas. Foi esquisito. 

Já está em pré-venda uma edição muito especial e limitada do vosso concerto do Campo Pequeno em Lisboa. Depois de tantos anos enquanto banda, como vivem o lançamento de um novo trabalho? 
É um documento importante e todos estes lançamentos tem esse condão de resumir um pouco a nossa história, desta vez ao vivo, e fazer-nos pensar e ver como estamos ao vivo, o que podemos mudar, melhorar, pôr, tirar. Depois existem as recordações do dia de gravação que são imensas. Mas, na verdade, o momento vai ser receber a edição física já que muita gente trabalhou para aquele “objecto” ser fantástico, mas eu fico muito mais excitado com o processo de um novo disco para ser honesto. 

Depois de um Verão preenchido em Portugal, vão estar durante cerca de 2 meses em digressão internacional. Encontram diferenças entre atuar aqui e lá fora? 
Acho que a recepção aos Moonspell em Portugal está cada vez melhor e felizmente conseguimos sair, com bons resultados, do eixo Lisboa-Porto. Temos tocado noutras cidades e vilas e tenho gostado muito, e no processo muita gente tem também ficado mais interessada no Metal e na nossa banda. As tours lá fora são diferentes, muito diferentes, cada noite é um sítio. A próxima é nos EUA e é sempre uma incógnita, mas é para fazer com dedicação e divertirmo-nos um pouco também, já que não há outra hipótese na América senão rir e tentar a nossas sorte pela décima quinta vez ;) 

Ao longo da vossa carreira tiveram a oportunidade de pisar palcos com outras grandes bandas, como os Kiss. Existe alguma banda ou artista com a qual gostariam muito de poder vir a colaborar? 
Tantos. Uns serão mais prováveis, outros nem tanto, alguns já contámos com a sua colaboração. Pensámos no Peter Murphy para o Extinct mas o manager nunca nos respondeu, por exemplo. Assim de repente, talvez o Messiah Marcolin num tema. 

No livro do Ricardo S. Amorim, José Luís Peixoto conta como os Moonspell tiveram um papel importante na escrita dos seus livros. De que forma a literatura tem impacto no vosso processo de criação musical? 
É central à nossa criação todo esse aspecto literário. O José Luis foi o melhor exemplo, mas muita da nossa criação literária, que molda a nossa música, bebe muito de livros, poesia, ficção, não ficção. Continuo a ler muito e a ter sempre ideias por causa disso. 

Os Moonspell são uma banda incontornável no panorama nacional independentemente do género que se gostem. Sentem o peso dessa responsabilidade? 
Não. Pelo contrário, achamos que não temos o respeito da cena tanto quanto se calhar merecíamos. Não por questões musicais mas por outras, assim parece. O que é facto é que quase ninguém aprendeu nada com a nossa luta e conquistas. Por isso, não somos responsáveis por esta cena, apenas calhou estarmos nela mas nem ela se identifica connosco nem nós com ela, aliás como está no livro. 

O livro fez-vos reflectir sobre o passado e, tal como faz parte da banda, planear de alguma forma acções futuras? 
Sim. Penso que uma das maiores conquistas do Ricardo for ter a banda a ler e a sentir este livro, talvez como ninguém. Permite-nos ver a nossa própria história em zoom out, ver a grande fotografia e isso será sempre muito importante e estamos gratos por isso. É um manual para estar numa banda. 

Muito obrigada ao Fernando Ribeiro por esta extraordinária oportunidade. 



1%

1%