Envie esta página a um amigo!

quinta-feira, 18 de junho de 2015

2

Livro: No Teu Deserto



Ano de Edição: 2009
Género: Romance
Autor: Miguel Sousa Tavares


Depois de ouvir toda a gente falar no livro "Equador" durante tantos anos, lá me decidi a estrear-me com este autor com uma obra mais levezinha, que é como quem diz, com uma obra substancialmente mais curta. O livro foi-me recomendado por uma amiga e, basicamente, comecei a lê-lo sem saber nada sobre ele, nem sequer a sinopse que, pelo que parece, nem sequer existe!

Excerto:
"Há viagens sem regresso nem repetição. «Éramos donos do que víamos: até onde o olhar alcançava, era tudo nosso. E tínhamos um deserto inteiro para olhar.» «Ali estavas tu, então, tão nova que parecias irreal, tão feliz que era quase impossível de imaginar. Ali estavas tu, exactamente como te tinha conhecido. E o que era extraordinário é que, olhando-te, dei-me conta de que não tinhas mudado nada, nestes vinte anos: como nunca mais te vi, ficaste assim para sempre, com aquela idade, com aquela felicidade, suspensa, eterna, desde o instante em que te apontei a minha Nikon e tu ficaste exposta, sem defesa, sem segredos, sem dissimulação alguma.»


Opinião:
Eu queria ter gostado mais desta obra, a sério que sim. Contudo, senti que o Miguel Sousa Tavares decidiu escrever uma obra baseada numa história com praticamente nada para contar. Basicamente, resumiu-se a "aqui vamos nós no jipe no meio do deserto, agora parámos para dormir na tenda, agora estamos outra vez no jipe os dois sozinhos ora a falar ora calados e pensativos, chegámos a uma cidade, saímos da cidade e vamos no jipe sozinhos no deserto, parámos para descansar na tenda....". Parecia que a história estava no botão do repeat e nada de novo acontecia. É certo que o autor apresenta alguns parágrafos muito bem escritos, mas está sempre a falar do mesmo, usando palavras diferentes.

Cheguei ao fim sentindo que não me tinha sido contada uma história, antes que tinha ficado a saber, fruto da insistência do escritor, que os dois protagonistas gostavam muito um do outro mas nunca tiveram coragem para o confessar, nem mesmo durante uma cansativa e desafiante viagem pelo deserto do Sahara.
Aquilo que destaco positivamente na obra é o facto de o autor nos apresentar a narrativa sob o ponto de vista das duas personagens, assim ainda conseguiu quebrar um pouco a monotonia de "ouvir" a mesma pessoa sempre a pensar o mesmo.

Depois desta experiência, confesso que tão cedo não voltarei a pegar num livro do Miguel Sousa Tavares. Talvez a médio prazo lá decida aventurar-me com o "Equador" para perceber o que tantas pessoas viram neste escritor.

Por Mariana Oliveira

Partilha no Facebook, Twitter ou Google Buzz:
Partilha no teu Facebook Partilha no teu Twitter Pubblica noGoogle Buzz

2 comentários:

  1. Bom dia minha linda.
    Li este livro em 2013 e, apesar de achar tb que não tem muita história, até gostei. Beijocas

    http://simplesmentemarisa.blogspot.pt/2013/01/no-teu-deserto.html

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Marisa!

      Estou a aperceber-me que imensa gente já tinha lido este livro apesar de eu só ter ouvido falar nele pela primeira vez há umas semanas atrás o_o
      Parece que estava um pouquito atrasada! ;)

      Beijinhos,
      Mariana

      Eliminar

Obrigada por ter passado pelo nosso Blog e por comentar! A equipa do FLAMES agradece ;)

Ocorreu um erro neste dispositivo

1%

1%