Envie esta página a um amigo!

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

12

Filme: Adeus Lenine!


-->
Título Original: Good Bye Lenin!
Ano: 2003
Género: Drama, Comédia, Romance
Realizador: Wolfgang Becker
País de origem: Alemanha

Porque nem só de “americanices” vive o cinema, de vez em quando gostamos de dar “uma vista de olhos” naquilo que se faz noutros países, nomeadamente na Europa. Umas vezes acabamos completamente desiludidas mas noutras ficamos deveras surpreendidas. Foi esta segunda hipótese que sucedeu assim que vimos “Adeus Lenine”.
A primeira vez que ouvimos falar deste filme foi há relativamente pouco tempo por parte de um amigo que o apresentou como sendo um filme bastante bom. Assim, não perdemos tempo em “matar” a curiosidade.


A história passa-se entre 1989 e 1990, num período em que ocorre um acontecimento que ficaria para sempre na História da Alemanha – a queda do Muro de Berlim. Enquanto os alemães festejam tamanha conquista, Christiane Kerner, uma fervorosa socialista, encontra-se internada num hospital num coma que já dura há alguns meses. Quando finalmente desperta, encontra-se num estado tão debilitado que os médicos não hesitam em avisar os seus dois filhos – Alex e Ariane – que a sua mãe não pode ser exposta a qualquer tipo de emoções fortes ou corre o risco de sofrer um segundo ataque cardíaco do qual provavelmente resultaria a sua morte.
Assim, Alex traça um elaborado plano cujo objectivo é o de não permitir que a sua mãe descubra que a Alemanha já não se encontra dividida.


Este filme foi uma boa surpresa. O mote em si é bastante diferente daquilo que estamos acostumadas mas aquilo que realmente mais nos agradou foi a quantidade de informação nova que aprendemos com a visualização deste filme.
Desde sempre que ouvimos falar de um país distante que um dia esteve dividido por um muro, mas nunca tínhamos realmente percebido a forma como os alemães viviam antes e depois da queda do muro, nem a importância que tal acontecimento teve para os cidadãos daquele país. Os pormenores apresentados no filme: as marcas dos alimentos, a moeda utilizada,…, ganham um lugar de destaque nesta história ao mesmo tempo que nos divertimos e deixamos impressionar pelos esforços levados a cabo pelo jovem Alex para que a sua mãe acredite que nada mudou no período em que esteve em coma.
O filme consegue prender-nos até ao último minuto enquanto vamos descobrindo que a vida desta família é muito mais complexa daquilo que à partida seria de prever.
O final consegue estar à altura, passando-nos uma mensagem muito mais profunda daquilo que à primeira vista possa parecer. Aqui, ganham destaque o amor que leva as pessoas a REALIZAR e ACEITAR (duas palavras chave neste filme) o imaginável e os sonhos de um jovem idealista para quem as coisas poderiam ter sido muito mais simples desde o início.

Sem dúvida, um filme a não perder.

Não olvidem o nosso PASSATEMPO !

Aqui fica o Trailer:








Partilha no Facebook, Twitter ou Google Buzz:
Partilha no teu Facebook Partilha no teu Twitter Pubblica noGoogle Buzz

12 comentários:

  1. "Adeus Lenine" é sem dúvida um dos filmes mais bonitos que eu já vi.

    Sugiro-vos um outro com o mesmo actor que incide na mesma temática, chama-se "Os Educadores" e trata-se de uma espécie de revolta por parte de jovens anarquistas contra a sumptuosidade e a suberba dos ricos que habitam e corrompem a nossa sociedade.

    Relativamente ao vosso texto devo dizer que está muito bem escrito embora na minha opinião não tenham dado enfâse a pormenores que acho cruciais.

    Eu estive na Alemanhã em 1993 tanto naquilo que percentia à DDR como na zona da Alemanha Federal e devo dizer-lhes que em 1993 ainda parecia que estavámos em países completamente distintos pois a pobreza continuava a ser notória na DDR em comparação com a Alemanha dita capitalista, e o filme retratou isso genialmente.

    Abominei desde sempre a atitude da enfermeira que se esteve sempre a cagar um pouco para o Alex e para a situação que ele e a família estavam a viver, na verdade se este filme não fosse um filme sobre um acontecimento histórico que marcou, na minha óptica, o mundo pela negativa, diria que se poderia tratar de um filme sobre questões sociais e sobre a solidão de um jovem num momento histórico de importante transição.

    Acho que escolheram mal a imagem, posso estar enganado, mas vivendo eu no seio de uma família de comunistas considero que a imagem da estátua do Lenine (ou o que sobrou dela) é talvez para mim uma das imagens de maior impacto no cinema, dito Europeu.

    Sem dúvida um filme genial.

    Mas o que gostaria de realçar também é o facto de haver como que uma certa legitimidade em aquela mulher se sentir perdida num mundo que antes do coma não foi o mundo que ela deixou, até para mim isso seria perturbador...

    Conheço bem a sensação, a minha avó sentiu um enorme desgosto perante o 25 de Novembro, e eu, perante a situação actual não posso se não estar de acordo com ela...

    Beijos

    madmax

    ResponderEliminar
  2. Este é SEM DÚVIDA dos meus filmes FAVORITOS!!!!
    O review está óptimo, parabéns! A minha opinião encontra-se, também, expressa nas linhas que foram escritas!

    O que eu mais gosto é da persistência e força de vontade de Alex! Um filho fantástico!

    Mas a minha parte favorita ainda é a da CocaCola..
    Um filme para ver e rever, com apenas um problema (na minha perspectiva)...é falado em alemão e aquilo dói-me nos ouvidos...lol

    ResponderEliminar
  3. Madmax,

    Infelizmente não tivémos a mesma oportunidade de ir visitar a Alemanha em inícios dos anos 90, pois com certeza que aquilo que teríamos visto alteraria a nossa forma de olhar para este filme.
    Em relação à imagem, apenas fizemos aquilo que é nosso costume: colocar a capa do filme para que as pessoas mais facilmente o consigam identicar caso se cruzem com ele numa loja.
    A enfermeira, sinceramente, "passou-nos um pouco ao lado" pois para nós não foi mais do que uma personagem muito secundára cujo único impacto que teve foi a tal revelação que fez (não nos alongamos mais neste aspecto para não dar spoilers, mas creio que sabes muito bem do que estamos a falar).
    Em relação à mãe, concordamos plenamente contigo! Creio que qualquer pessoa numa situação semelhante sentir-se-ia perdida e deslocada num mundo tão diferente.
    Relativamente ao filme que referiste, nunca tínhamos ouvido falar mas um dia que tenhamos oportunidade não hesitaremos em vê-lo.

    Abraços.

    ResponderEliminar
  4. Roberta,

    De facto, alemão está longe de ser a nossa lingua favorita, mas depois dos minutos iniciais como que nos habituamos e deixamos de estranhar.
    A cena da coca-cola é simplesmente genial, um pormenor muito bem pensado e com o qual não conseguimos evitar rir.

    Beijos

    ResponderEliminar
  5. Só para salientar a qualidade da múscia que acompanha o filme desde o início até ao very end ;)

    ResponderEliminar
  6. Zorro,

    Não podiamos estar mais de acordo contigo. A banda sonora é, sem dúvida alguma, um ponto de destaque neste filme.

    ResponderEliminar
  7. O filme acompanha a qualidade do post. Parabéns a quem realizou o filme e a quemescreveu a apreciação.
    HJ

    ResponderEliminar
  8. HJ,

    Obrigada pelos comentários sempre tão simpáticos. Continue a visitar-nos!

    ResponderEliminar
  9. Gostei imenso deste filme! Absolutamente anacrónico e genial!

    ResponderEliminar
  10. depois de ler este post tive curiosidade e vi-o ontem (:
    gostei bastante , obrigada pela dica ;D

    ResponderEliminar
  11. Helena,

    Concordamos com cada palavra que escreveu!!

    ResponderEliminar
  12. Joana,

    Ainda bem que gostaste deste filme. Ficamos sempre muito contentes quando sabemos que demos a conhecer algo de novo às pessoas e que estas ficaram agradavelmente surpreendidas com isso.

    ResponderEliminar

Obrigada por ter passado pelo nosso Blog e por comentar! A equipa do FLAMES agradece ;)

Ocorreu um erro neste dispositivo

1%

1%