Envie esta página a um amigo!

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

2

Livro: O funeral do ponto de vista do morto




Ano de Edição: 2012
Género: Romance, Suspense
Autor: José Alberto Silva

 
Normalmente, à primeira vista, somos atraídas por um livro por diferentes motivos. Neste caso, aquilo que nos prendeu a atenção em "O funeral do ponto de vista do morto" foi precisamente o seu título. Curioso o que baste, rapidamente nos deu uma vontade enorme de lê-lo.
 
A história fala-nos de Artur Varela, um homem de meia idade que morre precisamente na primeira página do livro. Mais precisamente, no primeiro parágrafo. A partir daí, o leitor é conduzido por Artur ao seu passado, à medida que este, tomando consciência de que se encontra morto, não consegue evitar recordar toda a sua vida, desde os seus tempos de adolescente, passando pelos seus anos na faculdade até à sua vida de Engenheiro e homem de família.
Pelo meio, temos a oportunidade, ainda, de acompanhar o inspector Coimbra que desconfia que a morte de Artur, ao contrário do que todos pensam, poderá não ter sido natural mas sim um homicídio premeditado...
 
Gostámos imenso deste livro por vários aspectos:
- Primeiro, pela originalidade do autor, José Alberto Silva, que decidiu criar uma história onde é o próprio morto que nos relata tudo o que se passa à sua volta, inclusivé durante o seu funeral; bem como as aventuras e precalços que os restantes personagens do livro viveram ao longo das suas vidas;
- Outro aspecto interessante deste livro assenta nas descrição que o autor faz dos acontecimentos pelos quais os personagens passaram; temos, assim, a oportunidade de testemunhar o clima que se vivia em Portugal antes do 25 de Abril, bem como as mudanças que a Revolução dos Cravos trouxe para o povo português; o leitor, desta forma, é confrontado com a forma de pensar de homens e mulheres dessa época, o papel que cada um assumia na sua família e na sociedade, bem como a forma como os namoros, casamentos e relações familiares eram encarados há apenas algumas décadas atrás no nosso país;
- Mas aquilo que mais destacamos neste livro é o facto de nos apresentar personagens como há muito tempo não víamos noutros livros. Em "O funeral do ponto de vista do morto" não há lugar para heróis, personagens que nos inspiram pelos seus grandes feitos e conquistas. Nesta história, todas as personagens são incrivelmente "normais". Não passam de pessoas iguais a tantas outras, que cometem erros, fazem coisas boas, se confrontam com dilemas, procuram sempre o melhor para si, mesmo que não saibam muito bem se o caminho escolhido é o mais correcto ou não. Em suma, vivem vidas banais com as quais os leitores se poderão identificar e/ou até conhecer outras pessoas parecidas. Neste livro, não encontramos cenários de guerra, lutas titânicas entre nações, ou um romance avassalador que comove até os corações mais frios. Não. Aqui encontramos uma história que nos relata as vidas de pessoas normais que vivem vidas também elas normais.
 
Resumindo e concluindo, este livro é um óptimo exemplo da originalidade que os autores portugueses podem ter em obras que até podem nem ser muito conhecidas pelo público em geral. Recomendamos.

Partilha no Facebook, Twitter ou Google Buzz:
Partilha no teu Facebook Partilha no teu Twitter Pubblica noGoogle Buzz

2 comentários:

Obrigada por ter passado pelo nosso Blog e por comentar! A equipa do FLAMES agradece ;)

Ocorreu um erro neste dispositivo

1%

1%