Envie esta página a um amigo!

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

0

Livro: Cão como nós



Ano de Edição: 2002
Género: Memórias
Autor: Manuel Alegre

* Por Mariana Oliveira *


Tinha eu 10 anos de idade quando a minha família adoptou uma cadelinha que apareceu perdida à porta de nossa casa. Foi a partir desse dia que fiquei a perceber o impacto que um cão pode ter na nossa vida e desde aí fiquei completamente rendida ao amor incondicional que eles têm por nós.  


Sinopse
“Não era um cão como os outros. Era um cão rebelde, caprichoso, desobediente, mas um de nós, o nosso cão, ou mais que o nosso cão, um cão que não queria ser cão e era cão como nós. Cão… como nós. Como nós, porque sabe da amizade (o cão é o melhor amigo do Homem), da solidariedade, protege a criança, consola o dono, pressente a desgraça, “chora” a morte. Mas também é altivo e irrequieto. Às vezes desobediente e exibicionista. Chama-se Kurika, e acompanhou o escritor e a sua família ao longo de anos. Aliás, ele “é” parte da família, diz Manuel Alegre.”


Opinião:
Nunca tinha lido nada de Manuel Alegre, contudo por algum motivo já estava à espera daquilo que encontrei: uma prosa quase poética, simples mas ao mesmo tempo profunda e comovente.

O livro é composto por capítulos curtos nos quais nos são apresentadas as travessuras do Kurika, bem como os seus momentos mais carinhosos para com a família e até os seus actos heróicos, como quando salvou o próprio autor de uma eminente catástrofe na sua própria casa.
Entre cada um desses capítulos Manuel Alegre apresenta-nos pequenos parágrafos nos quais fala directamente com Kurika, que entretanto já faleceu. A sua sinceridade bem como a saudade gritante que as suas palavras transmitem comoveu-me por diversas vezes. Não pude deixar de pensar na minha primeira cadela que chegou a nossa casa naquela manhã de Verão e que passados muitos anos de alegrias e amor acabou por sucumbir à doença e deixar-nos cheio de saudades dela.

Só quem já sentiu ou sente um amor genuíno por um cão é que poderá realmente compreender aquilo que Manuel Alegre pretendeu transmitir com “Cão como nós”. Muito mais do que um simples animal, um cão não é o nosso melhor amigo, mas sim um membro da família que nos ama incondicionalmente e apenas espera de nós um amor igualmente absoluto.

Recomendo esta leitura a todas as pessoas apaixonadas por esses nossos companheiros de quatro patas que nos mostram todos os dias que a vida pode ser muito mais simples do que aquilo que pensamos, basta que para isso nos rendamos ao poder do amor.

Partilha no Facebook, Twitter ou Google Buzz:
Partilha no teu Facebook Partilha no teu Twitter Pubblica noGoogle Buzz

0 Opiniões:

Enviar um comentário

Obrigada por ter passado pelo nosso Blog e por comentar! A equipa do FLAMES agradece ;)

Ocorreu um erro neste dispositivo

1%

1%