Envie esta página a um amigo!

domingo, 24 de agosto de 2014

0

72ª Entrevista FLAMES: Nice Weather for Ducks - No Fusing Culture Experience 2014


 Nice Weather for Ducks

Na foto: Bruno, Hugo, e Luís
Foto por: Roberta Frontini - Blogue FLAMES

Originária de Leiria, esta banda fez o que parecia ser impossível... descubram porquê e vejam o que eles dizem  sobre as festas das terrinhas... uma banda que me deu muito gozo conhecer. 

Com os Les Crazu Coconuts e os First Breath After Coma acabam por vir representar Leiria. Isso faz-vos sentir mais responsabilidade? 


Hugo - Não sentimos a responsabilidade. Achamos que é todo um movimento que está a ser criado.. a responsabilidade nesse sentido parece-me que não existe assim tanto. Vamos fazer o concerto que sempre fizemos independentemente disso.

Bruno - Mas sentimo-nos bem por estarem aqui 3 bandas de lá.

Sei que  adoram concertos ao vivo e ir assistir a eles. A partir do momento em que passaram para o outro lado, ou seja, para cima do palco, a vossa visão sobre os concertos ao vivo alterou-se? Por exemplo, passaram a ser mais críticos, por exemplo?

Hugo - Sim, sim!

Bruno - E começamos a reparar em coisas que antes nunca reparávamos sequer! 

Hugo - Sim, acho que nos tornámos mais críticos certamente. 

Luís - Por acaso nunca tinha pensado nisso...

Bruno - Sim, essa foi uma boa pergunta. 

Hugo - Ya é uma boa pergunta. 

(Risos)

Hugo - Mas sim, passámos por isso. Estar no palco, e depois sair do palco fez-nos observar mais tudo... mesmo os sons, porque também gostamos de ouvir e tirar influências...

Bruno - e também aprender! Acabamos por ver o que é que se pode adaptar, esquecer, ou adaptar a nós ou não. Um bocado por aí... 

Hugo - Exacto!

Para além de se tornaram mais críticos para com os outros, também começaram a usar o que viam a vosso favor...

Hugo - Exactamente!


Fizeram uma coisa que é quase impossível: gravaram um CD num único fim-de-semana. Alguma vez vos passou pela cabeça conseguirem fazer uma coisa destas?

Hugo - Já gravar um CD não sabíamos se iria acontecer, quanto mais isso...

Bruno - E nós fomos para lá gravar aquilo sendo que aquilo era para ser apenas as guias...

Hugo - Mas aquilo acabou por ficar, acho que, no tempo certo... então...

Bruno e Luís - Não, não ficou bem no tempo!

(Risos

Luís - Mas o pessoal curtiu e ... "Vamos lançar isto JÁ"!

Bruno - Sim, foi mesmo aquela coisa tipo "Ok, isto pode sair já amanhã".. e ok, nós dissemos que sim. 

Hugo - Mas não estávamos à espera de gravar... não estávamos à espera! 

Bruno - Nem sequer estávamos à espera da projecção que isso teve...

Hugo - Pois não!

Luís - E depois tipo, ainda tivemos de decidir o nome do álbum.. Quack! E ficou... 

Bruno - Pensámos "Pronto, está bem!" Não foi uma coisa muito pensada! As músicas como estavam ficaram..

Já agora, porquê este nome para a vossa banda? Já vos devem ter perguntado 1000 vezes... 

Hugo - Sim! Conta tu Bruno, a história foi contigo...

Bruno - Ok... Curiosamente, foi na nossa actual sala de ensaios.. nunca lá tínhamos ensaiado todos... O que aconteceu foi que faltou a luz e ficámos sem nada, tirando o PC que ainda tinha bateria. Nós já estávamos com os copos, vá! E então começámos a pesquisar cenas na net e apareceu-nos uma música do Lemon Jelly chamada Nice Weather for Ducks [ouçam aqui].. e epá...

Hugo - O pessoal ficou todo vidrado naquilo!

Bruno - Não havia luz, estávamos ali todos felizes, ouvimos aquilo umas 4 ou 5 vezes seguidas... ou mais... e ficámos com aquela música na cabeça.. então, essa música simbolizou um bocado aquele nosso começo. E na altura, quando criámos a banda,... o Hugo ainda nem estava lá...

Hugo - Pois não, eu ainda não estava lá...

Luís - Também ninguém quer saber isso...

(Risos)

Bruno - Quando criámos a banda surgiu esse nome..

Hugo - Ainda fizemos uma lista, mas esse foi logo dos primeiros e ficou...

Luís - Eram todos horríveis...

(Risos)

Bruno - Ainda bem que escolhemos este!

Como vai ser o vosso concerto hoje aqui no Fusing?

Hugo - O pessoal vai ouvir algumas músicas novas! Vamos tocar algumas que não estão no álbum! Espero que as pessoas venham ver...

Bruno - Até porque queremos saber o que é que as pessoas acharam!

Vocês costumam ter essas coisas em atenção? A opinião do público é importante para vocês, ou só estão interessados em fazer determinado tipo de música, ou certos sons, só porque gostam, independentemente do que os outros acham?

Bruno - É assim... Se gostarmos muito do que estamos a fazer mas vemos que o público não está mesmo a aderir, paciência, temos de mudar...

Hugo - Temos de ir para outro público...

(Risos)

Hugo - Há sempre público para tudo! Mas gostamos de ouvir as críticas...

Bruno - Sim, gostamos sempre de saber se as pessoas estão a gostar daquilo que estamos a fazer ou não!

E até agora como tem sido o feedback?

Luís - Há quem goste mais, há quem goste menos...

(Risos)

Bruno - Mas que boa observação!

Luís - Ah oui...!

Por exemplo, há pouco vocês estavam a dizer-me que tinham ficado muito surpreendidos com o lançamento do disco... Também ficaram surpreendidos com o feedback, com o rumo que tudo isto levou?

Hugo - Não.. nós não estávamos nada à espera disto.

Bruno - Nós, quando começamos a banda, não estávamos minimamente conscientes disto tudo!

Hugo - Nada mesmo!

Bruno - Isto era uma banda para nos divertirmos e para irmos tocar às festas das terras!

Hugo - E continua a ser uma banda para nos divertirmos e...

.. já não vão às festas das terras!

(Risos)

Hugo - Não, não, nós continuamos a ir!

Bruno - Nós até gostamos de ir às festas das terras!

Hugo - É sempre altamente ir tocar a uma terrinha... Estão lá os pais todos a ver...tudo acontece... Há um pai qualquer que numa organização nos acaba sempre por meter lá!

(Risos)

Bruno - "Agora TENS de ir!!!" (Risos) "O meu amigo ainda não vos viu!"

O que é que levam de diferente para uma "festa da terra" ou para um Festival como o Fusing? Como é que vocês se adaptam?

Hugo - Nós, por acaso, levamos um concerto igual... Os nossos concertos dão para tudo.. Nós, num concerto, tocamos o que queremos como queremos, seja na aldeia, seja num bar, seja na rua.. seja onde for! Tocamos um concerto sempre igual.

Bruno - Não é sempre sempre igual, mas...

Hugo - Só o feeling é que muda um bocado... mas a base é sempre a mesma.. é sempre um bom concerto.. quer dizer.. queremos que seja sempre bom.

Têm algum ritual antes de entrarem em palco? 

Hugo - Só mesmo fazer xixi...e fumar um cigarro...

(Risos)

E já vos aconteceu alguma coisa de estranho, ou de diferente num concerto? Talvez uma situação mais caricata?...

Hugo - Só mesmo o Luís começar a tocar uma música deitado... Tocou uma música no chão...

Bruno - E uma vez uma rapariga veio oferecer-nos umas cuecas...

Hugo - Mas acho que era hábito ela fazer isso..

Luís - Ela disse-me que eu era o mais bonito da banda!

(Risos)

Bruno - Ah, e as cuecas estavam lavadas, vá!

Hugo - Mas não temos nada assim de...

Essas parecem-me ser duas situações bastante caricatas!

Hugo - Ya, mas o Luís a tocar deitado, para mim, foi o melhor de sempre... Olhei para ele e lá estava ele a tocar a música no chão.

Mas como é que isso aconteceu?

Bruno - Entusiasmo!! Foi o entusiasmo!

Hugo - Mas tocou bem.. a cena foi essa...

Luís - A verdade... é que estava cansado!

Muito obrigada :) 

Partilha no Facebook, Twitter ou Google Buzz:
Partilha no teu Facebook Partilha no teu Twitter Pubblica noGoogle Buzz

0 Opiniões:

Enviar um comentário

Obrigada por ter passado pelo nosso Blog e por comentar! A equipa do FLAMES agradece ;)

Ocorreu um erro neste dispositivo

1%

1%