Envie esta página a um amigo!

sábado, 5 de julho de 2014

2

56ª Entrevista: PAUS (banda portuguesa) - respostas por Hélio Morais



PAUS

O grupo PAUS já é bem conhecido no panorama nacional. Criados em 2009, cedo deram nas vistas com o seu estilo musical único. Quando se juntam músicos de qualidade é o que acontece! De facto, os membros da banda já tocaram ou fazem parte de outros grupos/projectos musicais. PAUS estão presentes na maioria dos festivais (dentro e fora do país) e o FUSING não é exceção. Podes, de facto, encontra-los este ano neste fantástico festival na Figueira da Foz onde, de certo, darão um espetáculo inesquecível. Vamos saber mais sobre eles então. 

Nome dos membros da banda:
Joaquim Albergaria,
Hélio Morais,
Makoto Yagyu e
Fábio Jevelim

A todas as bandas/músicos, o FLAMES pergunta...

A pergunta de sempre… como se conheceram e como decidiram começar esta banda?
Conhecemo-nos desde há muitos anos, de outras bandas, de gravarmos juntos, etc. Decidimos fazer esta banda, porque queríamos fazer coisas juntos. 

Porquê este nome para a vossa banda? 
Gostámos da sonoridade e do facto de poder ser dito em qualquer língua, perdendo o significado depois de algumas repetições. 

Músicos/Bandas favoritas que vos inspirem:
A cena musical portuguesa e o dia-a-dia.

Local onde mais gostariam de tocar: 
Não somos esquisitos. Gostamos de tocar em todos os palcos onde formos benvindos. 

Lembram-se do vosso primeiro ensaio? Onde foi? 
Sim. Foi assistido e foi uma merda. Deixámos a ideia de parte uns meses. Depois resolvemos tentar de novo. 

Quem compõe as músicas? 
Os PAUS.

Que cartaz/mensagem gostariam de ver a ser erguida no meio do público? 
Tenho calos nos pés e a t-shirt e as cuecas suadas.

Lembram-se de alguma situação caricata que tenha ocorrido num dos vossos concertos? 
Um stage manager, no SXSW, a correr na nossa direcção para parar o concerto e a ser placado pelo nosso manager, mesmo à beirinha.

Aos PAUS o FLAMES pergunta...

Vocês já foram, ou ainda fazem parte, de outras bandas ou projectos musicais, alguns dos quais bastante distintos do que fazem quando PAUS. Mesmo assim, sentem que esses outros projetos influenciam o vosso trabalho nesta banda? 
Tudo o que absorves, seja na música ou fora dela, te influência na obra que vais deixando. Como tal, também as outras bandas de que fizemos, ou fazemos, parte nos influenciaram. 

De certo que os PAUS são das bandas que mais presença em festivais tem. O que podem esperar os vossos fãs da vossa presença no festival FUSING de diferente em comparação com as vossas outras participações? 
Para começar, temos um disco novo, com 10 músicas novas. O primeiro a ser gravado com o Fábio. Depois, temos tocado bastante e isso faz com que estejamos muito bem entrosados em palco. Há uma dinâmica muito boa na banda. 

Para a gravação do vídeo “Cume” do álbum “Clarão” vocês pediram a participação dos vossos fãs. Como surgiu a ideia e como foi o feedback deles? Foi o esperado? Algo vos surpreendeu? 
A ideia partiu do colectivo SUPERGROUP (Junção de dois outros colectivos: CHERYL e Volkov Commanders). Tivemos uma discussão de ideias para o vídeo, que será o culminar de uma residência que eles fizeram na Galeria Zé dos Bois e a adesão foi acima dos mínimos olímpicos que havíamos estipulado. Correu muito bem e foi bastante positivo trabalhar com gente tão talentosa e trabalhadora. 

O vosso álbum “Clarão” saiu também num vinil muito especial: uma edição limitada em verde Kelly transparente. Sabemos que os músicos tendem a ter uma relação muito especial com os vinis. Como foi quando viram o vosso vinil ao vivo? 
Quando os dois únicos membros de PAUS que já viram o disco, o viram, ficaram muito contentes. O verde é mesmo bonito e gostamos sempre de ver o artwork em grande. 

Vocês já tocaram lá fora: quer em Espanha quer no México, Luxemburgo, Holanda ou mesmo Estados Unidos. Alguma vez vos passou pela cabeça que isto fosse possível? 
Aos poucos a ideia foi ganhando forma. Depois, também aos poucos, a pontualidade começou a tornar-se bastante frequente. Neste momento, a grande maioria dos nossos concertos, acontece fora de Portugal. Desde que assinámos pela El Segell del Primavera, a editora/management/booking do Primavera Sound de Barcelona. 

Onde vos poderemos encontrar nos próximos tempos? 
Que possamos anunciar, são os que deixaremos abaixo, mas há mais 4 em Agosto.
05 Julho – Vida Festival @ Vila Nova I La Geltrú – ESPANHA
12 Julho – Optimus Alive @ Algés – PORTUGAL
19 Julho – Jardins Efémeros @ Viseu – PORTUGAL
27 Julho – Low Festival @ Benidorm – ESPANHA
01 Agosto – Micro Festival @ Liège – BÉLGICA
15 Agosto – Jabberwocky @ Londres – REINO UNIDO
16 Agosto – Fusing @ Figueira da Foz - PORTUGAL

Muito obrigada pelo vosso tempo, 

Obrigado nós! Bjs, Hélio

Partilha no Facebook, Twitter ou Google Buzz:
Partilha no teu Facebook Partilha no teu Twitter Pubblica noGoogle Buzz

2 comentários:

  1. Adoro PAUS! Mais uma vez o FLAMES promove bons artistas portugueses. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bom que gostaste Bárbara :) Obrigada pelo teu comentário!

      Eliminar

Obrigada por ter passado pelo nosso Blog e por comentar! A equipa do FLAMES agradece ;)

Ocorreu um erro neste dispositivo

1%

1%