Envie esta página a um amigo!

sábado, 12 de julho de 2014

2

Evento: Cultura na Casa Barbot com Richard Zimler


Há eventos que valem sempre a pena pelos seus intervenientes. De Coimbra rumo ao norte, lá nos encontrámos em Vila Nova de Gaia com Richard Zimler e Miguel Miranda. É sempe com enorme prazer que os ouço!

Na segunda semana de cada mês, reúnem-se, na casa Barbot (um local extraordinário - quando chegará o dia em que não ache tudo no norte extraordinários?), uma série de pessoas para uma tertúlia.
Desta vez o livro em análise era "A Sentinela" último livro editado pelo fabuloso Richard Zimler.
Assim, a conversa começou com Miguel Miranda a fazer um resumo do mesmo. E depois.. foi a  vez de Zimler falar e deliciar os seus leitores. Todos ficaram encantados de o ouvir. É impossível ficar-lhe indiferente.
Zimler explicou que dentro de nós existem tantas possibilidades de pessoas que poderíamos ter sido. "Quando tinha 20 anos não pensava nisto, mas hoje com 58 anos questiono-me como poderia ter sido eu, por exemplo, se tivesse ficado nos E.U.A. Certamente não teria escrito este livro que é muito influênciado pela minha experiência em Portugal."
Ainda, referindo-se ao livro "A Sentinela", afirmou que "ao escrever sobre um caso tão violento senti a necessidade de escrever sobre a crise moral que estamos a atravessar em Portugal" sendo que "queria um livro real, daí o final. Sou escritor, a minha maneira de reagir é esta".
Muitas foram as questões colocadas ao autor. Os intervenientes foram fantásticos, e a vontade de conversar e questionar o autor impunha-se. Sobre o facto de ter usado nomes reais de políticos portugueses, Zimler refere que "o meu cérebro é anglosaxónico. Tenho esta liberdade no meu cérebro, tenho liberdade na minha cabeça e por isso não tenho auto-censura. O que eu faço no livro, no entanto, não é difamar. Não tenho medo de represálias porque eu estou muito fora do radar deles. Não sou dependente de entidades políticas porque eles não são os meus leitores. Provavelmente não gostam de mim! Tudo bem! Não tenho qualquer problema com isso."

Sobre se haverá uma continuação do livro, Zimler responde que é um dos seus desejos continuar, mas que de momento está a trabalhar numa outra obra.
Na foto - Richard Zimler com uma das administradoras do blogue e 3 leitores do FLAMES :)

Partilha no Facebook, Twitter ou Google Buzz:
Partilha no teu Facebook Partilha no teu Twitter Pubblica noGoogle Buzz

2 comentários:

Obrigada por ter passado pelo nosso Blog e por comentar! A equipa do FLAMES agradece ;)

Ocorreu um erro neste dispositivo

1%

1%