Envie esta página a um amigo!

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

4

Livro: O Cavalheiro Inglês (Carla M. Soares)



Ficha Técnica
Título: O Cavalheiro Inglês
Autora: Carla M. Soares
Edição/reimpressão: 2014
Páginas: 400
Editor: Marcador
ISBN: 9789897541254

Sinopse

PORTUGAL. 1892. Na sequência do Ultimato inglês e da crise económica na Europa e em Portugal, os governos sucedem-se, os grupos republicanos e anarquistas crescem em número e importância e em Portugal já se vislumbra a decadência da nobreza e o fim da monarquia.
Os ingleses que permanecem em Portugal não são amados.
O visconde Silva Andrade está falido, em resultado de maus investimentos em África e no Brasil, e necessita com urgência de casar a sua filha, para garantir o investimento na sua fábrica.
Uma história empolgante que nos transporta para Portugal na transição do século XIX para o século XX numa descrição recheada de momentos históricos e encadeada com as emoções e a vida de uma família orgulhosamente portuguesa.

Opinião

Um dos livros que mais gostei de ler o ano passado foi escrito pela Carla M. Soares. Trata-se de "A chama ao vento" editado pela Coolbooks (infelizmente não em papel) mas que me fez pensar que estava a olhar para uma obra de uma autora portuguesa com imenso talento. Adquiri logo o "Alma Rebelde" que ainda não li, e quando soube que ia sair "O cavalheiro Inglês", desta vez editado pela Marcador, pensei: TENHO de o ter. E foi assim, com as expectativas ao rubro, que comecei a ler este romance. Começo por dizer que a capa é absolutamente maravilhosa! Adoro-a! 

De cada vez que leio um livro da Carla sinto que quero ler todas as suas obras. É uma escritora muito versátil e completa. Neste livro surpreendeu-me ao apresentar uma protagonista totalmente diferente do esperado. A Sofia, personagem principal, mexeu muito comigo, o que considero um aspecto bastante positivo. Não é a típica personagem principal perfeitinha que estou tão cansada de ver em alguns livros. A Sofia a meu ver está carregada de defeitos: é impulsiva, mimada e eu diria até violenta e ligeiramente melodramática. Está constantemente a "elevar o queixo" e a tentar demonstrar que é superior (apesar de apregoar a importância da igualdade entre as camadas sociais e os géneros. Eu que não sou uma pessoa violenta tive muitas vezes vontade de a abanar (ou mesmo esbofetear). Apesar de morar numa determinada época e de ser rica, tem ideais de louvar, mas a meu ver não passam disso. Por muita vontade que ela tenha de mudar as coisas, senti que faltou dar-lhe "o passo seguinte" e concretizar o que desejava. Foram todas estas coisas que me irritaram nela, especialmente esta vontade de fazer algo para mudar a sociedade, mas sem fazer nada em concreto. 

Várias são as personagens que acabam por ter destaque nesta obra. É o caso do duque de Almoster, Robert Clarke (o cavalheiro inglês) e o irmão de Sofia, Sebastião que, apesar de partilhar com ela a teimosia e rebeldia, foi uma personagem com a qual me consegui ligar mais. De facto, os seus ideais acabaram por o levar a tomar, apesar da sua posição social, algumas acções. Mesmo algumas delas sendo condenáveis, achei a personagem mais coesa e gostei da sua evolução. Gostaria de ter sabido também mais sobre algumas personagens que apareceram e das quais depois não sabemos bem qual o seu destino. 

Mas para além da trama e das personagens na história, nota-se um excelente trabalho por parte da autora em nos desenhar um retrato fiel da época. Dos pormenores das roupas aos detalhes ruas de Lisboa (e Porto), Carla M. Soares possibilita-nos uma verdadeira viagem ao passado, e este é para mim mais um dos pontos fortes deste livro. Outro ponto forte foram as referêcias literárias que a autora vai colocando ao longo do texto, chamando assim à atenção dos leitores para autores interessantes como Edgar Alan Poe, Camilo Castelo Branco, entre outros. Para além do mais, outra coisa de que gostei particularmente foi o facto de o livro retratar o ano de 1892, e no entanto, em algumas coisas, ser tão actual. Sem dúvida que para compreendermos o nosso presente e antevermos o futuro é imprescindível conhecer bem o nosso passado, e nesse aspecto o livro faz-nos compreender o que a conjectura da altura fez para com a conjectura actual. 

O início da leitura custou um pouco, talvez pela forma como Sofia e algumas das outras personagens nos tentam enquadrar historicamente, mas a meio a leitura torna-se mais fluída e mais rápida, mais centrada no enredo entre as personagens do que no contexto histórico cultural e social que têm maior destaque nas primeiras páginas. É um excelente livro para quem gosta de um romance de época, centrado no nosso país (com um claro destaque para Lisboa), e para quem gosta de uma bela história de amor. 


Roberta Frontini

Partilha no Facebook, Twitter ou Google Buzz:
Partilha no teu Facebook Partilha no teu Twitter Pubblica noGoogle Buzz

4 comentários:

  1. Este livro parece ser interessante apesar da personagem principal ter um feitio complicado.
    Tens um erro pequenino no texto no nome de Camilo Castelo Branco, falta o s no Castelo
    CriArte a Ler

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá :)
      Sim é um livro que vale a pena ler, o facto da personagem principal ter um feitio complicado não quer dizer nada, é interessante ler livros com todo o tipo de personagens :)
      obrigada, vou rectificar
      Beijinhos
      Roberta

      Eliminar

Obrigada por ter passado pelo nosso Blog e por comentar! A equipa do FLAMES agradece ;)

Ocorreu um erro neste dispositivo

1%

1%