sábado, 18 de julho de 2020

0

TAG: Minha estante, meu mundo


PIC

sábado, 4 de julho de 2020

0

BookHaul Junho 2020



0

301º Passatempo do FLAMES (em parceria com a Penguin Random House)



Queres este livro? 
Preenche o formulário em baixo e BOA SORTE!

quarta-feira, 17 de junho de 2020

0

Evento: Encontro com o escritor Javier Castillo



A COVID-19 trouxe muitas restrições a nível mundial. 

Uma dessas foi a impossibilidade de se conseguirem fazer lançamentos de livros ao vivo ou encontros com escritores. 

A Penguin Random House não deixou que isso os demovesse de nos proporcionar momentos únicos, arregaçou as mangas e empreendeu uma missão que parecia impossível. Primeiro criou uma série de actividades online com autores e outras pessoas a lerem contos ou histórias no Facebook. Depois, levou os lançamentos de livros para plataformas digitais.. e a cereja em cima do bolo foi o encontro online com escritores. 

Primeiro foi João Tordo com quem estivemos à conversa a propósito do lançamento do seu primeiro livro. No dia 16 de Junho de 2020 foi Javier Castillo, um autor que deixou o seu trabalho como consultor financeiro para viver o sonho de muitos: viver da escrita dos seus livros. O autor falou connosco acerca do seu processo de escrita, da forma como obras e autores (como Agatha Christie) influenciaram o seu percurso literário e respondeu a todas as nossas dúvidas. Revelou ainda alguns segredos sobre a sua próxima obra... portanto fiquem atentos!

Deixo-vos algumas frases que o autor nos foi dizendo ao longo da tarde de ontem... que me deixaram totalmente rendida!

PS. Tentei transcrever o que o autor disse. Por vezes poderá não ter utilizado exactamente estas palavras. A tradução foi minha pelo que assumo a responsabilidade de qualquer erro. 

"Imagino sempre que estou a escrever para a minha mulher"


"O melhor elogio que um escritor pode receber por parte de um leitor... a melhor coisa que um escritor pode ouvir é «não consegui parar». Eu recebo muitas mais mensagens de leitores de madrugada... imagino a pessoa a acabar de ler e a precisar de me mandar uma mensagem."


"Sempre que acabo um livro e o dou à minha mulher para ler, eu fico ali a estudá-la...para ver as suas expressões".




segunda-feira, 15 de junho de 2020

0

segunda-feira, 8 de junho de 2020

0

BookHaul Maio 2020




Vídeo novo - os livros que chegaram cá a casa em Maio - 
Ver aqui ou em baixo 

 

sábado, 30 de maio de 2020

0

Livros: Kitty e... (de Paula Harrison)


terça-feira, 26 de maio de 2020

1

300º Passatempo do FLAMES

E chegamos ao 
PASSATEMPO 
300
!!!!!!!!!!!!!!!


PARABÉNS ISABEL FERNANDES

terça-feira, 19 de maio de 2020

2

Anime: Memórias de Marnie



Direção: Hiromasa Yonebayashi
Produção: Yoshiaki Nishimura 
Lançamento: 19 de julho de 2014 
Lançamento em Portugal: 2016 

Já há algum tempo que não parava  para ver um bom Anime e agora com a Netflix surgiu a oportunidade de ver alguns que me estavam a faltar. Um desses foi "As memórias de Marnie". Neste anime encontramos Anna, uma menina um pouco diferente, que adora desenhar mas que é muito reservada. Tem problemas de asma graves, então a tia (que na verdade é a sua mãe adoptiva) manda-a para casa de uns tios no campo, para ela apanhar sol e melhorar. É lá que Anna encontra uma casa que lhe é vagamente familiar, e trava conhecimento que uma menina, Marnie. Também ela parece muito solitária e com poucos amigos. Ambas começam a encontrar-se à noite... mas quem é na verdade Marnie? E porque lhe pede ela segredo sobre os seus encontros nocturnos. 

Está é uma história deliciosa, que espero vos deixe encantados como me deixou a mim. A vivacidade das cores e os detalhes dos desenhos são soberbos. É um anime que vale bem a pena para ser visto e desfrutado com calma, assim como as paisagens e os locais que nos mostra. 

O filme foi nomeados para os Oscars em 2016 na categoria melhor animação longa-metragem tendo sido o filme Divertidamente o vencedor. 

domingo, 10 de maio de 2020

0

Os Contos de Giuseppe Tomasi di Lampedusa



 

domingo, 19 de abril de 2020

0

Youtube: O Diário de Anne Frank




segunda-feira, 6 de abril de 2020

2

299º Passatempo do FLAMES



Temos 1 exemplar deste livro para oferecer.

Nota: Considerando a situação actual do COVID-19, não consigo dar a certeza de quando poderei enviar pelos CTT. 

TERMINADO
Vencedor: Juliana Marcelino 

Foto prémio com a vencedora:


sábado, 4 de abril de 2020

0

BookHaul Março 2020


sábado, 28 de março de 2020

sábado, 21 de março de 2020

2

BookHaul Fevereiro 2020




quarta-feira, 18 de março de 2020

0

135ª Entrevista do FLAMES + O teu FLAMES num ano: João Rogaciano


Em 2016/2017 criámos no FLAMES a rúbrica: O teu FLAMES num ano 2016

Este ano vamos recomeçar uma nova O teu FLAMES num ano 2019

Espero que gostem!


JOÃO ROGACIANO

Bio do autor
João Rogaciano, nascido em 1966, é engenheiro electrotécnico. Adora ler e tem um gosto especial pela escrita. Participa, regularmente, em certames literários. Publicados em Portugal e no Brasil, os seus contos podem ser encontrados em revistas, fanzines e diversas antologias.

Como entrou para o mundo da escrita?
Entrei, timidamente, para o mundo da escrita em 2005, através da participação em concursos realizados pelas câmaras municipais e juntas de freguesia do nosso país; e também através de participação em colectâneas de contos no Brasil e em Portugal.

Em 2010, a editora “Saída de Emergência” lança a versão portuguesa do “Almanaque do Dr Thackery T. Lambshead de Doenças Excêntricas e Desacreditadas”, a qual continha um anexo designado “Compêndio Médico de Doenças Notáveis e Invulgares do Dr Anófeles Calamar Trindade”. Os contos desse compêndio foram objecto de concurso e de uma selecção por parte do editor, o João Seixas, tendo o meu conto “Síndroma de Super-Homem” sido escolhido para nele constar.

Deu-se o boom! A partir daí, para além dos concursos das autarquias, participei em inúmeras antologias no Brasil e numa antologia de autores portugueses, produzida por uma editora brasileira.

Em Portugal, a minha mais recente contribuição foi o conto “Uma conspiração perigosa” publicado na antologia “Winepunk – ano 1 - a guerra das pipas”. É o meu segundo trabalho publicado pela Editorial Divergência.

Quem foram os escritores que o influenciaram?
Entre outros, e sem ordem de importância: Conan Doyle; Agatha Christie; Jack London; Louis Stevenson; Emilio Salgari; Ray Bradbury; Eça de Queirós; Enid Blyton; AA Fair; Edgar Rice Burroughs; Roald Dahl; Edgar Allen Poe; Lewis Carroll.

Como surgiu a ideia para escrever o seu livro?
Até ao presente, os meus contos foram publicados em colectâneas e em fanzines. Não possuo nenhum livro a solo, pelo que vou responder em relação à escrita dos contos.

Começo por ver se o tema da colectânea me desperta algum “tlintar” mental. Depois, vou imaginando vários cenários / histórias à volta do tema proposto e deixo as ideias fluir. Estas vão amadurecendo, ou sendo eliminadas, até ficarem reduzidas a uma ou duas, dando origem a um conto, que será trabalhado a partir de então.

Quais foram as maiores dificuldades em transmitir as suas ideias para o papel? E o que foi mais fácil?
Depois de escrever um conto, deixo o mesmo a amadurecer “esquecido”, durante uma ou duas semanas. Depois, pego nele, e começo a rever todos os parágrafos. E, então, descubro inúmeros defeitos, que, no fulgor inicial, pareciam perfeitos. Assim, a maior dificuldade é saber qual o momento certo para parar de efectuar alterações, e enviar o texto para análise do editor.

Não há nenhuma situação que identifique como “a mais fácil”.

Qual/quais conselhos daria a um autor iniciante?
Ler, ler, ler, ler…

Escreva regularmente, a um ritmo em que se sinta bem consigo próprio.

Depois de um período de escrita intensivo, esqueça o manuscrito por uma ou duas semanas. E, depois, volte a lê-lo, e a proceder às inúmeras alterações que certamente terá de fazer.

Peça a um amigo, ou leitor beta, que seja verdadeiramente imparcial, para ler o seu texto e dar uma opinião sincera sobre o mesmo. Nada de pedir opinião aos pais (para eles, tudo o que escrevemos é uma maravilha, sempre!).

Tenha em atenção que, por muito bem que escreva, nem todos são obrigados a gostar.

Se o seu conto for publicado em algum fanzine, livro, blog, deve festejar e ficar radiante. Mas, não demore muito a vestir o exosqueleto mais resistente que possua, e prepare-se para ser apedrejado, esquartejado, vituperado com desagradáveis epítetos… por ter tido a ousadia de publicar! Mesmo que o texto seja uma maravilha… As vozes que o criticarão, para o deitar abaixo, farão muito ruido! Mas, como na aldeia do Astérix, há um grupo de irredutíveis gauleses que se agradarão da publicação e celebrarão com parcimónia a sua publicação.

Não ligue absolutamente nenhuma às críticas destrutivas e/ou maldosas que publiquem sobre o seu conto. Despreze-as, ignore-as, e coloque-as no seu devido lugar: o lixo!

Atenda e entenda as críticas construtivas que lhe serão feitas. Utilize-as para melhorar, cada vez mais. Considere-as como um guia construtivo na sua carreira de escritor.

Fuja a sete pés daqueles que se arrogam como especialistas sobre determinado assunto ou sobre determinada área temática do fandom, e que usam essa pseudo-autoridade para deitar abaixo o trabalho dos outros.

Ligue-se aqueles que, tendo um longo e profícuo trabalho como autores e/ou em projectos em prol da ficção e do fandom, são as verdadeiras autoridades no assunto, e não se arrogam de especialistas, nem o deitam abaixo como autor iniciante! Luís Filipe Silva; Artur Coelho; Rogério Ribeiro; João Seixas; João Barreiros; João Ventura; Cristina Alves; Pedro Cipriano, são alguns dos elementos que prestigiam o fandom e que fazem valer a pena continuar a escrever e publicar.

Assista e frequente eventos relacionados com a sua área de escrita. O “Fórum Fantástico” é um excelente exemplo.

Não embarque na conversa de pseudo-editoras (vanitys), que só publicam o seu livro, ou o seu conto, se pagar para esse efeito.

O teu FLAMES num ano 2019

Filmes: “Avengers, end game”
Livros: “Winepunk – A guerra das Pipas”
Animes: ---
Mangas: ---
Eventos: Fórum Fantástico 2019
Séries: “Bancroft”; “Jack Taylor”
 




domingo, 15 de março de 2020

sábado, 29 de fevereiro de 2020

0

Youtube: A minha colecção de livros da Margaret Atwood


Fiquem com a minha colecção de livros da Margaret Atwood. Já leram algum livro dela? 
Que acharam?

domingo, 16 de fevereiro de 2020

0

Livro: O Nosso Planeta


Título: O Nosso Planeta
Autor: Matt Whyman
ISBN: 9789896658472
Edição ou reimpressão: 11-2019
Editor: Nuvem de Letras
Idioma: Português
Dimensões: 245 x 346 x 12 mm
Encadernação: Capa dura
Páginas: 96

SINOPSE

Baseado na série de grande êxito da Netflix (2019), O Nosso Planeta é uma gloriosa celebração visual do mundo. Descobre como os diversos habitats se relacionam entre si para criar o único lugar onde nos sentimos em casa: o nosso planeta.

Opinião (Roberta Frontini) 

O nosso planeta é lindo... é extraordinário.. é maravilhoso... por vezes é um mistério, e outras vezes é absolutamente encantador e assustador ao mesmo tempo. O nosso planeta é a nossa única casa, e nós estamos a destruí-lo... e isso tira-me o sono. 

Eu tento que tudo o que eu faço no dia a dia tenha o menor impacto possível no nosso planeta... Consigo-o sempre? Não... Dou o meu melhor? Sem dúvida! 

Por isso mesmo acho este livro muito especial. Se eu passo a minha vida a gritar aos 4 cantos quão importante é metermos as crianças a ler, então só posso dar-vos a conhecer este livro. E se eu acho que este livro pode fazer a diferença na vida das nossas crianças? Sem qualquer sombra de dúvida. 

Baseada na série da Netflix de 2019, este livro é uma autentica obra de arte, com fotografias de qualidade soberba e pequenos apontamos que o tornam num livro completo onde se aprende, se descobre, se reflecte e se fica deslumbrado e assustado ao mesmo tempo. 

A primeira vez que peguei nele vi as ilustrações que aparecem nas primeiras páginas e pensei que era um livro ilustrado. Mas não. Este livrinho tem fotografias maravilhosas e como as folhas são grandes e em papel fotográfico, a experiência de leitura torna-se inacreditável. 

O livro está dividido em diversas partes. Depois de uma pequena introdução, temos a divisão entre vários "habitats": os mundos gelados, as selvas, os mares costeiros, os desertos e pradarias, o alto-mar, as águas doces e as florestas. Em cada uma destas divisões vamos aprender mais sobre os animais que nelas habitam. Mas a parte mais importante para mim é a secção "Para proteger" onde são dadas dicas específicas que nós podemos usar no nosso dia-a-dia de forma a conseguirmos ajudar o nosso planeta. 

Como este livro é "baseado" na série da Netflix, existe uma secção do livro especial com imagens dos "bastidores" das filmagens. Há ainda um glossário, muito importante para respondermos às questões dos mais novos que possam ler o livro connosco!

Enfim... é um livro maravilhoso. O autor usa o subtítulo: O único lugar onde todos nos sentimos em casa... mas não se esqueçam que este é o único lugar que temos para viver. Vamos preservá-lo? 

sábado, 15 de fevereiro de 2020

1%

1%