Envie esta página a um amigo!

sexta-feira, 25 de abril de 2014

2

42º entrevista: Dead Combo (banda portuguesa)



Dead Combo
Os Dead Compo são uma banda portuguesa fora do comum. Influenciados pelo Fado e o Rock, o resultado final é um cocktail sonoro deveras interessante. Juntos desde 2002, os dois membros desta banda têm alcançado um grande sucesso a nível nacional. Neste momento contam já com os seguintes álbuns: Vol.1 - (2004), Vol. 2 - Quando A Alma Não É Pequena - (2006), Guitars From Nothing - (2007), Lusitânia Playboys - (2008), Lisboa Mulata - (2011), A Bunch of Meninos - (2014).
Entremos no mundo dos Dead Combo…

Nome dos membros da banda e instrumentos que tocam: 
- Tó Trips (guitarras)
- Pedro V. Gonçalves (contrabaixo, kazoo, melódica, piano, espingardas e guitarras).

A todas as bandas/músicos, o FLAMES pergunta...

A pergunta de sempre… como se conheceram e como decidiram começar esta banda?
A história já é sobejamente conhecida. Após um concerto, o Tó pediu-me boleia, como não tinha carro fomos a pé. Convidou-me para gravar uma música e assim começou…

Porquê este nome para a vossa banda? 
Porque significa um conjunto que não existe.

Músicos/Bandas favoritas que vos inspirem: São muitos e muito diferentes uns dos outros, demasiados, para sermos justos teríamos de ter várias folhas para escrever…..

Local onde mais gostariam de tocar: Patagónia, Sibéria e Almada

Lembram-se do vosso primeiro ensaio? Onde foi: Em casa do Pedro, que vivia no Bairro Alto.

Quem compõe as músicas?
Os dois

Que cartaz/mensagem gostariam de ver a ser erguida no meio do público? 
“Dispam-se”

Aos DEAD COMBO, o FLAMES pergunta...

São uma banda que veio “desafiar” o panorama musical português com a vossa originalidade, fundindo o fado com o rock. Como foram as primeiras reações da crítica e do público ao vosso trabalho? 
Foram bastante boas, temos tido essa sorte desde sempre de as pessoas gostarem da nossa música, esperemos que assim continue.

Os Dead Combo estão intimamente ligados ao mundo do cinema, algo que é evidente pela vossa participação na criação da banda sonora do filme "Slightly Smaller Than Indiana" e pela vossa atuação no festival de Cannes. Entrar no mundo do cinema era uma ambição vossa ou aconteceu por acaso?
Os Dead Combo começaram também por “culpa” do Edgar Pêra, realizador [vejam a entrevista que o FLAMES lhe fez aqui]. Desde a nascença que estávamos fadados a ter ligação com o cinema.

Consideram a possibilidade de colaborar com outros músicos e/ou cantores portugueses? 
Já o fizemos e continuamos a fazer e faremos até que nos doa a voz (embora não cantemos)

O vosso 6º álbum de estúdio, “A Bunch of Meninos” acabou de ser editado. O que podem dizer-nos sobre ele? Houve alguma evolução na banda desde a edição do “Lisboa Mulata” (2011)?
Sabemos tocar melhor, somos mais económicos na escolha de notas e de acordes, e temos mais facilidade em saber o que é o nosso território musical.

Já conquistaram tanto nos últimos anos… Quais os sonhos que ainda almejam concretizar enquanto banda?
Continuar a tocar até cair para ao lado é o que almejamos enquanto banda, e já agora que ainda haja público que nos ature nessa altura.

Qual é a pergunta que nunca ninguém vos fez e à qual gostariam de responder? 
Boa pergunta! Não faço ideia, vão ter de continuar a tentar!!!

Onde e quando serão os vossos próximos concertos?
Dia 10 de Maio nos Açores,
Dia 17 de Maio no Barreiro,
Dia 22 de Maio Évora,
Dia 23 de Maio Faro,
Dia 30 de Maio Abrantes e por ai a fora…

Partilha no Facebook, Twitter ou Google Buzz:
Partilha no teu Facebook Partilha no teu Twitter Pubblica noGoogle Buzz

2 comentários:

  1. Gostei da banda e acho que vai ser óptimo para influenciar o meu pai a adoptar outros estilos (como rock) :-D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito bem Alípio! Força! :) vamos mete-lo a evoluir :)

      Eliminar

Obrigada por ter passado pelo nosso Blog e por comentar! A equipa do FLAMES agradece ;)

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.

1%

1%