Envie esta página a um amigo!

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

12

Livro: Felicidade

Título Original: Happiness
Autor: Will Ferguson
Género: Comédia, Aventura
Ano: 2003
Páginas: 335


Quem é que nunca olhou para uma montra de uma livraria e se deparou com os mais diversos manuais de auto-ajuda? Os milagrosos livros que prometem revolucionar a nossa vida de uma forma simples, barata, rápida e indolor?! Há de tudo um pouco: livros para deixarmos de fumar, livros para percebermos como usar as beterrabas a nosso favor e chegar ao Verão com um corpo escultural…
Agora imaginem um livro que permitiria às pessoas perder peso, deixar de fumar, curar o vício do jogo, do alcoolismo, da toxicodependência, atingir o equilíbrio interior, ganhar dinheiro, melhorar a sua vida sexual, etc. ... fazendo com que se tornassem mais auto-confiantes, altruístas, em paz e auto-suficientes? Sem esquecer que também poderiam melhorar a sua ortografia e a sua postura? E melhor ainda: imaginem que esse livro existia e realmente FUNCIONAVA?

Pois bem, é esta a premissa para a hilariante história que Will Ferguson nos apresenta em “Felicidade”.

O protagonista é Edwin de Valu, um jovem editor que simplesmente odeia a cidade onde vive, o seu patrão, os seus colegas (excepto a sua colega May por quem tem uma paixoneta), tem medo da sua mulher e não percebe como é que após tantas horas passadas no ginásio continua a ser “um saco de ossos”.
Contudo, a sua vida está prestes a mudar, ou melhor, TODO O MUNDO está prestes a mudar quando num dia não muito especial vai parar às mãos de Edwin um manuscrito de um desconhecido autor – Tupak Soiree – intitulado: “O que aprendi na montanha”. A primeira reacção de Edwin é lançá-lo para o lixo mas quis o destino (ou melhor, a pressão do odiado patrão para apresentar algum livro para publicação num tempo recorde) que o livro acabasse por ser publicado.
E é assim que o fim do mundo começa, quando este livro de mais de mil páginas, cheio de erros de gramática e sem qualquer ponta de credibilidade se torna no melhor best-seller de sempre e as pessoas decidem começar a viver seguindo os seus princípios “à risca”.

Foi completamente por acaso que comprámos este livro (uma vez que nunca tínhamos ouvido falar nem do livro nem do autor) quando numa feira do livro nos deparámos com ele a um preço verdadeiramente apetecível. E ainda bem que o fizemos, pois simplesmente adorámos esta história! Will Ferguson apresenta-nos, com um humor sarcástico, uma divertidíssima história que faz o leitor rir do início ao fim; com uma escrita muito agradável e uma imaginação, no mínimo, muito fértil. Mas o que torna este livro ainda mais interessante é o facto de, no meio de piadas e caricatas situações, o autor conseguir fazer uma dura crítica à sociedade ocidental e à sua obsessão pela felicidade. Desta forma, aquilo que começou por ser uma história de puro entretenimento acaba por se tornar em algo que nos desafia a pensar sobre várias situações do dia-a-dia...

Sem dúvida, é um livro que vale a pena ler!


Partilha no Facebook, Twitter ou Google Buzz:
Partilha no teu Facebook Partilha no teu Twitter Pubblica noGoogle Buzz

12 comentários:

  1. Vou seguir o conselho e dar-lhe uma oportunidade :)

    ResponderEliminar
  2. Fazes muito bem Roberta, vais ver que não te arrependerás ;)
    Depois vem cá deixar a tua opinião para sabermos se realmente valeu a pena!

    ResponderEliminar
  3. Muuáááááhhhhhhhhh!!! Tenho esse livro em meu poder! (o do Will Ferguson, não o do Tupak Soire!!) :P

    Estou prestes a acabar de o ler, diga-se de passagem que "Felicidade" é hilariante!
    Um pormenor que eu acho extremamente engraçado é a embirração que Edwin tem pelo Sr.Bom-Serás (quem será??) :)
    O livro é bom e recomenda-se!! :D
    Beijinho

    ResponderEliminar
  4. Nós percebemos logo que te referias ao livro do Will. Caso tivesses o do Tupak em teu poder nunca estarias a desperdiçar o cantar das cigarras à luz do luar nas montanhas do tibete (que seria a tua nova habitação).

    Ainda bem que estás a gostar.
    Também gostamos muito da "tal" embirração mas para nós um dos nossos pontos favoritos envolve uma espingarda e um dedo no nariz, simplesmente hilariante!! E mais não podemos adiantar para não "spoilar".

    ResponderEliminar
  5. Pela descrição, parece livro que merece ser lido (tal como o Post)
    HJ

    ResponderEliminar
  6. Leia HJ e vai ver que não se arrependerá.

    Bom fim de semana!!

    ResponderEliminar
  7. Já recebi 11, e já enviei 10. Estou a adorar !

    Beijos

    ResponderEliminar
  8. Obrigadape pelo conselho!!! :)

    ResponderEliminar
  9. Nós é que agradecemos a tua visita Raquel!
    Depois se leres o livro passa por cá para deixares a tua opinião ;)

    ResponderEliminar
  10. Eu tinha mesmo de dizer isto!!
    Este livro é super-hiper-mega-estrondosomente espectacular!
    O livro é mesmo demais!
    Eu li-o há pouco tempo e já tenho vontade de o ler outra vez!
    Como já devem ter percebido, estou oficialmente rendida ao livro!
    Está mesmo fixe! (achei melhor deixar bem explícito!)

    ResponderEliminar
  11. Cátia, a tua opinião ficou completamente explícita!!!
    Ainda bem que gostaste, agora és uma das pouco afortunadas que percebe como é que uma espingarda e um dedo no nariz podem estar relacionados de alguma forma :D

    ResponderEliminar
  12. uffa! ainda bem, pensei que tinha de descrever novamente as inúmeras qualidades do livro... :P
    e quem sabe? o facto de uma espingarda e um dedo no nariz pode mudar o rumo de muitas coisas!! :D

    ResponderEliminar

Obrigada por ter passado pelo nosso Blog e por comentar! A equipa do FLAMES agradece ;)

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.

1%

1%