Envie esta página a um amigo!

terça-feira, 19 de março de 2013

3

Filme: A vida de Pi




Título Original: Life of Pi
Ano de estreia: 2012
Género: Aventura, Fantástico
Realizador: Ang Lee


Não é todos os dias que um filme é nomeado para 11 Óscares (!), nomeadamente em algumas das mais importantes categorias ("Melhor filme", "Melhor realizador"), ...).  É verdade que "apenas" ganhou 4, mas todo o burburinho à volta desta história, aliado a um trailer interessante e surpreendente, despertaram em nós uma ENORME vontade em ver "A vida de Pi".
 
 
A história fala-nos da aventura vivida por Pi Patel, um jovem indiano que sofre um naufrágio, juntamente com a sua família, enquanto emigravam para um outro país, juntamente com todos os animais do seu jardim zoológico, em busca de uma vida melhor.
Infelizmente, Pi é o único sobrevivente do naufrágio. Único, claro está, se não contarmos com os animais que também resistiram à tempestade e que, com o jovem indiano, partilham um pequeno bote salva-vidas: uma zebra, uma hiena, um orangotango e um tigre.
Assim começa a aventura de uma vida... uma aventura que irá testar todos os limites, possíveis e imaginários, do jovem Pi! 
 
 
Este filme foi, para nós, a maior desilusão do ano! Se calhar podemos chocar muitas pessoas com esta afirmação, mas a verdade é que, "A vida de Pi", não passou de um filme normalíssimo para nós.
Admitimos que o facto de termos expectativas muito elevadas de início poderá ter contribuido para este sentimento que nos assaltou no fim do filme, ou não estivessemos nós à espera de um dos melhores filmes de sempre... mas, também não é menos verdade que, para nós, "A vida de Pi" não trouxe nada de novo ao que na 7ª arte já se tinha feito até então: uma história de conteúdo fundamentalmente filosófico, sobre a vida, sobre a força de viver e o quão resistentes podemos ser em situações extremas...tudo muito bonito mas sem nada de novo, a nosso ver.
O destaque positivo fica para os efeitos especiais (o filme ganhou mesmo o Óscar nesta categoria) que são, verdadeiramente, espectaculares!
Em suma, "A vida de Pi" não passa de um filme com bons efeitos especiais mas com uma mensagem já bastante "desgastada" que acaba por se tornar bastante aborrecida. 

Partilha no Facebook, Twitter ou Google Buzz:
Partilha no teu Facebook Partilha no teu Twitter Pubblica noGoogle Buzz

3 comentários:

  1. lol..a pior critica que já vi feita sobre um filme e nomeadamente sobre este filme!
    As espectativas nunca poderão ser usadas para falar de um filme ou o que quer que seja! As expectativas são como a agua benta, cada um toma a quantidade que quer!
    Se falam em acrescentar algo de novo à 7a arte...será que algum filme acrescentou o ano passado?..e será que é isso que faz ou não um bom filme?..a força deste filme reside não só nos efeitos especiais mas também no seu argumento! Se fossem ler o livro iam notar que é um dos filmes que melhor conseguem transpor para o grande ecrã uma história não muito fácil de adaptar sem perder o espirito (e o filme consegue-o em pleno)! E se não ficaram surpreendidos com a revelação final, ou estavam distraídos ou então já conheciam a história anteriormente!
    Respeito a vossa opinião, mas não resisti a comentar o que do meu ponto de vista considero uma critica muito injusta a um dos melhores filmes do ano!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gryps, quando é necessário ler o livro primeiro para se apreciar verdadeiramente um determinado filme, então tal significa que o filme não é realmente de grande qualidade. Um filme deve ser capaz de falar por si mesmo. E se algum filme acrescentou algo de novo à 7ª arte no ano passado? Não. Quer-nos parecer que não. Mas isso não torna "A vida de Pi" um filme menos mau, simplesmente por ter estreado num ano algo pobre no mundo do cinema.
      E não. Não ficámos minimamente surpreendidas com o final. A palavra que utilizaria mais seria: desiludidas. Se a história, em si, não foi muito interessante, o final que a poderia ter "salvo" foi, na nossa opinião, algo demasiado "típico" em filmes deste género: "vamos agora apresentar uma reviravolta e deixar o espectador a matutar sobre o que realmente aconteceu".
      E desde quando é que as expectativas não contam para avaliar um filme? Quem quer que diga que vai ao cinema sem quaisquer expectativas está a mentir! Somos humanos e, por isso mesmo, o simples título do filme, o poster, ou até o tamanho da fila de pessoas a comprar bilhete para um determinado filme cria em nós SEMPRE uma certa expectativa, seja ela boa ou não. Isso é inevitável. Ao filme resta corresponder a essa expectativa ou (melhor ainda) ultrapassá-la!
      Mas, claro está, isto é apenas a nossa opinião. E, acredita Gryps, respeitamos a tua forma de ver o filme tanto como respeitamos a nossa e até podemos dizer que ficámos contentes com o teu comentário pois o nosso principal objectivo com este blog é isto mesmo: trocar opiniões e debater ideias com pessoas que, como nós, são apaixonadas por uma ou várias das categorias de que aqui falamos.
      Por isso, pedimos-te que nos digas SEMPRE o que pensas acerca de tudo aquilo que aqui escrevemos!

      Eliminar
  2. Olá Mariana... quando este filme saiu eu estava a ver o trailer com um amigo que me disse "TENHO de ver este filme" e eu respondi "Olha, é mesmo o teu género, mas eu também estou curiosa" então ambos decidimos ver e depois falar sobre isso. Uns dias depois ele contacta-me e diz: "Roberta, queres um conselho? Não percas tempo a ver aquele filme". Fiquei muito espantada. Continuava com vontade de ver, mas depois ele disse-me exactamente o que tu aqui descrever. Resultado - Não vou ver.

    Roberta

    ResponderEliminar

Obrigada por ter passado pelo nosso Blog e por comentar! A equipa do FLAMES agradece ;)

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.

1%

1%