Envie esta página a um amigo!

sábado, 26 de julho de 2014

0

Evento + 64ª Entrevista do FLAMES: Zimun e Primitive Reason no MUSICBOX


Zimun 
+
Primitive Reason



(Vídeo da Cobertura do FLAMES no MusicBox)

No passado dia 25 de Julho foi a primeira actuação de Zimun (banda brasileira) em Portugal.
O concerto foi partilhado com Abel Beja e Guillermo de Llera dos Primitive Reason (vejam a entrevista que lhes fizemos aqui).


Foi no Backstage e antes do concerto que foi possível falar com eles! Vejam o que nos disseram:

Ao Abel e ao Guillermo, gostaríamos de perguntar porque se lembraram de trazer esta banda cá a Portugal:
Conhecemos Zimun através dos nossos Mannagers que se encontraram numa Feira Internacional e acharam que tinham bandas com um som em comum. Deram-nos a conhecer a música e penso que ambas as bandas acharam o som interessante, e achámos que seria interessante juntarmo-nos, colaborar com músicos que nunca tínhamos conhecido, mas com o mesmo estilo. Com improviso, com mistura de estilos e culturas - sempre fomos abertos a isso mas nunca antes tinha surgido a oportunidade. Na altura os Zimun tinham já marcado uma digressão europeia e estavam a tentar marcar algumas datas em Portugal e então... Foi uma coisa muito natural. Falámos com a MusicBox e eles acharam uma grande ideia. Entretanto já marcaram mais datas...

Que expectativas têm para o concerto de logo:
Vai ser fenomenal! Julgando pelo ensaio.. onde houve logo um click...! Parece que já nos conhecemos há muitos anos!


A todos os artistas/músicos o FLAMES pergunta...

Como é que se conheceram e como é que decidiram constituir esta banda?
A gente se conhece desde muito novo! De infância! E tudo começou no Skate... O Skateboarding, foi o elo de ligação. A gente se encontrava à noite. Era um lugar onde todo o mundo escutava o mesmo som, era também o pessoal que se encontrava na associação de skate e aí, como é um meio muito diverso, foi-se catalisando o nosso encontro... 

Porquê o nome Zimun para a vossa banda?
(Muitos risos e todos a falarem ao mesmo tempo...) Isso é um nome carinhoso (risos)... não pronto.. é uma série de piadas entende? São algumas brincadeiras com palavras brasileiras... (risos) Hoje por acaso eles nos perguntaram (aponta para os Primitive Reason) e eu contei toda a história, muito demoradamente.. mas fizemos um pacto para nunca mais respondermos a essa pergunta (risos)...

Ok, vamos deixar então um misticismo, o nome como um enigma...
Ora, exactamente! Mas vamo-vos deixar uma dica. No nosso estado a gente normalmente come as palavras.. A gente sempre reduz! Então.. (risos) é isso...!

Quais são as bandas que mais vos inspiram?
Ah tem muita coisa. O Zimun é uma banda de sete pessoas, então cada um escuta muita coisa! Isso é mesmo verdade. Cada qual ouve uma coisa diferente. Temos influências muito vastas. Música africana, rap, música brasileira, étnica, música clássica. Do erudito ao popular tem muita mistura. E é engraçado porque muitas das influências que formaram o som deles foram algumas das nossas influências. É interessante porque a gente evoluiu. Ao princípio a gente era mais uma banda de rap não é? Mas cultura do rap obriga à coisa do sample. Então, você pega numa música, tem o sample do Tchaikovsky, outra do, sei lá, Roberto Leal (risos), Fado, e outra da Madonna, tudo recortado, fazes uma batida, e aí é como se fosse uma música viva de rap.

Quem compõe as vossas músicas e letras?
As letras é mais pelos 2 MC's. A gente prima mais pelo poético do que pelo manifesto. As composições musicais são de todos. Então eu acredito que isso faça com que o publico alvo se expanda e seja maior. E não é uma coisa também tão fechada.. são as peças das cabeças das várias pessoas. É uma coisa colectiva.

Qual o local onde mais gostariam de actuar?
A gente estando aqui já é um começo disso tudo. A gente vai viver esta experiência e vamos definir a partir disso. E daqui a gente vai para a Itália, vamos fazer essa mini-tournée na Europa... a partir daqui a gente vai-se projectar de novo e vamos poder corrigir as perspectivas que a gente tinha. Acho que não há um lugar para tocar, mas é assim, a nossa perspectiva é criar mais som, criar mais cosias...

Que cartaz ou mensagem gostariam de ver ser erguida no meio do público durante um concerto?
(risos) Deixa eu ver... arh... é complicado cara! "Surpeendam-nos".



Aos Zimun, o FLAMES pergunta...


Então e como está a ser a vossa passagem aqui por Portugal? Está tudo a correr bem?
Graças a Deus está a correr tudo bem! Estamos aqui há poucos dias então ainda estamos todos a recuperar da viagem longa. O Jet-Leg está pegando todo o mundo (risos)! Mas a gente está adorando cara! Conhecer essas figuras (aponta para Primitive Reason)! A gente está encantado. Fizemos um ensaio ali agora, fomos conversando também que é o mais importante. Vai ser uma honra cara! E aqui em Portugal.. há comida boa e vinho bom! Esperamos voltar muitas mais vezes!

Qual é a expectativa que os Zimun têm aqui para o MusicBox? Esperam casa cheia? Estão a ser bem acolhidos?
Cara, sempre, acho que sempre! Mas o mais importante é que quem estiver aí, vai sentir o que é que é e o que é que a gente criou com estes dois cara aqui! Com sinceridade! Existe este contraste... Quando a casa está cheia a gente fica feliz porque quando a casa está cheia temos mais gente a escutar a nossa música e quando acontece o contrário tentamos na mesma que o show seja o melhor para a gente. Para a gente desfrutar também! É o que acontece. De qualquer forma é sempre bom! É sempre assim.

Antes de irmos para a Itália ainda vamos tocar em Almada, Cascais, Coimbra! Há mais possibilidades de nos verem ao vivo! 

Fotos e captação de vídeo por António Raposo e Bruno Mendes.

Partilha no Facebook, Twitter ou Google Buzz:
Partilha no teu Facebook Partilha no teu Twitter Pubblica noGoogle Buzz

0 Opiniões:

Enviar um comentário

Obrigada por ter passado pelo nosso Blog e por comentar! A equipa do FLAMES agradece ;)

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.

1%

1%