Envie esta página a um amigo!

domingo, 24 de agosto de 2014

0

75ª Entrevista do FLAMES: Trikk - No Fusing Culture Experience 2014


Trikk


Festivais como o Fusing têm destas coisas: fazem-nos descobrir verdadeiros génios em várias áreas, é o caso de Trikk, genial em música electrónica, para além de ser uma simpatia em pessoa. Fiquem com a entrevista que nos concedeu numa noite muito fria na Figueira da Foz... 

Em Portugal, finalmente, cada vez mais se começa a dar importância e algum espaço para a música electrónica. Tem havido uma mudança nesse sentido. Sentes isso?
Eu não vivo aqui, mas sempre que venho aqui tocar, sinto uma maior adesão pelo simples facto de, nos últimos dois anos, a música electrónica em todo o mundo tem vindo a crescer, mesmo de forma comercial. Começou a ser tocada nas rádios... É por isso que eu acho que agora as pessoas se interessam mais, e se calhar agora já não há nenhum festival onde falte um palco electrónico. Já há espaço para isso. Num festival que seja maioritariamente rock, ou que tenha bandas em geral, antigamente não havia sequer palcos electrónicos. Mas agora é obrigatório. Por isso eu acho mesmo que está a crescer em Portugal. 

Sentes essa mudança...
Sim, eu acho que sim.

Tiveste oportunidade de ver o cartaz e as bandas que vão actuar aqui? Tens curiosidade em ver alguma coisa?
Sim, vi.. Eu estive a ver um bocado do cartaz e achei bom o facto do cartaz ser maioritariamente português, quer seja na música electrónica ou nas bandas. Pelo que eu reparei, parece ser maioritariamente português com pequenas misturas de bandas internacionais. Mas claramente que no Fusing estão a dar destaque aos portugueses, no meio de bandas internacionais... o que é bom e nunca há! Acho que nunca há um destaque da música portuguesa quando há música internacional. Por isso, acho que aqui fazem um bom destaque ao que é português, e penso que há uma boa diversidade de bandas, para o público. 

Vais tentar ver alguma coisa do festival? 
Vou, sim.. quero ver Sensible Soccers, tenho seguido a música deles já há alguns anos, e sempre me interessei pelo trabalho deles, acho que é muito bom! Tem ali uma fusão com a electrónica e com  a banda ao mesmo tempo. Por isso é das bandas que eu vou querer ver hoje. 

Tens algum ritual antes de entrar em palco? Alguma coisa que gostes de fazer antes...
Não.. para ser sincero, antes de entrar em palco, tenho sempre de ir à casa de banho. É obrigatório ir à casa de banho antes de tocar que é para relaxar e entrar bem. Maioritariamente em festivais, que é onde sinto uma responsabilidade acrescida, tem mais pessoas, e neste caso as bandas acabam por volta da 01h da manhã, ou seja, vamos acabar por não ter mais bandas aqui neste palco principal, e as pessoas acho que se vão começar a encostar mais para o outro palco, o palco Experience, ou seja, vou ter mais pessoas e mais pressão ainda, mas eu acho que isso vai ser bom!

Já te aconteceu alguma situação caricata num festival?
Hum... Uma vez toquei num festival na Croácia, o Dimensions, eu ía tocar na praia e eu meia hora antes de tocar aproveitei e fui para a praia. Uns amigos meus levaram-me para a água antes de eu ir tocar.. e pronto... acabei por ter de ir tocar todo molhado, ainda com a toalha, acho que foi assim a coisa mais diferente que já me aconteceu num festival... 

Muito obrigada ao Trikk pela sua disponibilidade e simpatia :) 


Partilha no Facebook, Twitter ou Google Buzz:
Partilha no teu Facebook Partilha no teu Twitter Pubblica noGoogle Buzz

0 Opiniões:

Enviar um comentário

Obrigada por ter passado pelo nosso Blog e por comentar! A equipa do FLAMES agradece ;)

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.

1%

1%