Envie esta página a um amigo!

domingo, 11 de maio de 2014

2

45ª Entrevista: Noiserv (artista/músico português)


Noiserv

(Foto por Vera Marmelo)

Tudo começou em 2005, quando David Santos, conhecido pelo seu nome artístico Noiserv, criou um álbum demo que viria a ser editado online alguns meses mais tarde. Três anos depois, o primeiro álbum de estúdio é editado sob o título One Hundred Miles from Thoughtlessness. O sucesso foi imediato e os elogios dos fãs e da imprensa não se fez esperar. O próximo passo foi o estrangeiro, onde Noiserv encantou amantes de música em países como a Inglaterra, Alemanha e Áustria. Daí até dar o ar de sua graça no mundo do cinema foi um pequeno instante, começando por participar na banda sonora do famoso documentário de Miguel Gonçalves Mendes sobre José Saramago, “José & Pilar” seguindo para o filme “Noiserv” (2001) de Paulo Dias. No ano passado editou o álbum “Almost Visible Orchestra” que apenas confirmou a qualidade a que Noiserv tem habituado os seus fãs, tendo-lhe valido o prémio de Melhor Álbum 2013 segundo a Sociedade Portuguesa de Autores. Vamos conhecê-lo um pouco melhor…

A todas as bandas/músicos, o FLAMES pergunta...

A pergunta de sempre… porque decidiu entrar para o mundo da música?
Acho que não é uma coisa que se decida, é algo que vai acontecendo. Do que me lembro desde muito pequeno que havia algo que me fascinava nos músicos, nos concertos, nos discos, nos videoclipes, etc

Porque é que escolheu este nome artístico?
Foi uma brincadeira, inverti a palavra “version” e troquei o ‘e’ pelo ‘r’, e gostei do que vi.

Músicos/Bandas favoritas que o inspirem:
Não sei se existem bandas que me inspirem directamente, há apenas aquelas que gosto mais que outras, entre as quais, Radiohead, Sigur Rós, Explosions in the Sky...

Local onde mais gostaria de tocar: 
O importante não são os locais onde se toca, mas as pessoas que lá foram para te ver, desta forma não há nenhum sitio onde gostasse de tocar mais que outro, gostava apenas de ter a oportunidade de ao longo do tempo conseguir tocar para o maior número de pessoas diferentes.

Quem compõe as suas músicas? 
Eu!

Que cartaz/mensagem gostaria de ver a ser erguida no meio do público? 
Nunca tinha pensado nisso. Mas não sou “esquisito” gosto de saber o que as pessoas acham/sentem com a minha música, por isso qualquer mensagem me deixaria feliz.

Tem alguma história caricata para nos contar sobre um dos seus concertos? 
Todos os concertos têm as suas histórias :)!

Ao Noiserv o FLAMES pergunta...

Cantar em inglês foi uma opção a pensar numa internacionalização mais fácil ou há outro motivo subjacente?
O motivo é que toda a música que ouvia na altura que comecei a fazer as primeiras canções era cantada em inglês, foi inevitável que o fizesse da mesma forma. Em relação à internacionalização, e olhando para os casos de sucesso entre os músicos portuguesas, cantar em português teria sido a melhor decisão se fosse esse o meu objectivo!

Ao longo dos seus 9 anos de carreira sente que o seu som evoluiu ou o Noiserv manteve-se “fiel” ao seu estilo inicial? 
Eu acho que evoluiu, porque eu também evolui enquanto músico. No entanto acho que nunca houve uma mudança drástica de “estilo” pois eu sou a mesma pessoa que há 9 anos atrás, apenas sinto que tenho mais capacidade para fazer o que gosto e imagino.

Como foi a receção do público ao seu mais recente álbum “Almost Visible Orchestra”
Foi muito boa mesmo, estou contente.


Os seus concertos podem ser considerados algo intimistas. Por isso mesmo, a sua atuação no festival Fusing, no próximo mês de Agosto na Figueira da Foz, representa para si um desafio acrescido? 
Eu acho que a música deve funcionar bem em qualquer palco, no entanto é natural que um festival ao ar livre, com mais distracções externas possa distanciar um pouco o público do(s) músico(s) e dessa forma o concerto não será tão intimista, e poderá ser um desafio maior para quem está a tocar manter o público sempre atento.

Se fosse começar tudo de novo, mudaria alguma coisa ou faria tudo exatamente igual? 
Acho que não, se começasse de novo seria feliz se acontecesse tudo da mesma forma.

Quer dizer-nos quando e onde serão os seus próximos concertos? 
Tenho algumas datas, falando apenas do mês de Maio:
10 de Maio - TEMPO - Portimão
17 de Maio - Auditório Padre Carlos Alberto Guimarães - Lisboa
31 de Maio - Festival Entre Paredes - Paredes

Muito obrigada pela sua disponibilidade, 
Mariana Oliveira e Roberta Frontini

Obrigado eu, Beijinhos e obrigado pelo apoio à minha música!

Partilha no Facebook, Twitter ou Google Buzz:
Partilha no teu Facebook Partilha no teu Twitter Pubblica noGoogle Buzz

2 comentários:

  1. Grande artista. Espero ansiosamente por um concerto em Coimbra já que me escapou o último

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Grande mesmo! A sua legião de fãs não para de crescer!
      É uma questão de estar atento Luís porque, mais cedo ou mais tarde, a oportunidade de vibrar num concerto do Noiserv ao vivo irá surgir!

      Eliminar

Obrigada por ter passado pelo nosso Blog e por comentar! A equipa do FLAMES agradece ;)

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.

1%

1%